Rescaldo E3 2021: Bethesda salva Microsoft e ofusca Halo

Entretanto, o Game Pass continua a ficar mais forte.

A conferência da Microsoft na E3 2021 veio carregada de expectativas. Claro que há sempre elevadas expectativas para uma conferência vinda de uma fabricante de consolas, mas este ano era especialmente importante. Em Novembro do ano passado as consolas Xbox Series X e Series S chegaram às lojas e desde então que não houve um único novo jogo vindo dos Microsoft Game Studios. A Microsoft tem feito um bom trabalho a manter os compradores da consola entretidos com novas adições regulares ao Xbox Game Pass - a grande força motriz da marca Xbox agora - mas quem compra uma máquina de nova geração tem ansia de experiências novas e entusiasmantes que aproveitem ao máximo as potencialidades do hardware. A Microsoft sabe disto e tem estado numa corrida às compras de estúdios e propriedades desde que começou a preparar a sua nova geração de hardware.

A aquisição de estúdios inteiros é a única solução para a Microsoft para ter rapidamente novos jogos entusiasmantes associados à sua marca de consolas. É verdade que também tem investido em novos estúdios, mas quem acompanha a indústria dos videojogos de perto sabe que o processo de criar equipas talentosas e propriedades de sucesso é um processo lento e que não pode ser apressado. Em Setembro de 2020, já depois de ter adquirido vários estúdios como a Ninja Theory, Playground Games, InXile, Compulsion Games e Obsidian, a Microsoft fez a sua maior adição de sempre à Xbox: comprou a Bethesda, uma das maiores editoras de videojogos. A Bethesda é mais do que um estúdio, é um conjunto de várias equipas experientes e com um leque vasto de propriedades intelectuais.

Halo foi nota de rodapé, outros jogos first-party não apareceram

Na E3 2021, o enorme leque de propriedades que a Microsoft adquiriu quando comprou a Bethesda foram o grande destaque, desviando a atenção daquela que era até então a cara mais importante da marca: Master Chief. Perante o que a Microsoft mostrou durante a sua conferência da E3 2021, a aparição de Halo Infinite foi meramente um nota de rodapé. Se calhar até foi para o melhor, se calhar até foi intencional. Há um ano, Halo Infinite foi a vergonha da Microsoft na E3 2020. O jogo, que deveria estar pronto para o lançamento da Xbox Series e destacar as capacidades da consola, foi completamente destroçado por memes devido aos seus visuais ultrapassados. Tudo o que vimos do jogo este ano foi um trailer cinemático da campanha e gameplay do multiplayer, que foi convertido num modo isolado e gratuito para todos os jogadores da Xbox e Windows 10 PC.

"A aparição de Halo Infinite foi meramente um nota de rodapé. Se calhar até foi para o melhor, se calhar até foi intencional"

O estado de Halo Infinite continua a ser uma incógnita. A Microsoft prometeu que a campanha será épica e a maior de sempre com Master Chief, mas são meramente palavras de marketing. Depois do fiasco do ano passado, é um daqueles casos em que é necessário ver para crer. Seja como for, o jogo permanece agendado para o Natal de 2021, pelo que nos próximos meses terá que ser obrigatoriamente mostrado. Se Halo Infinite pareceu uma nota de rodapé, as muitas novidades da Bethesda (e anúncios para o Xbox Game Pass) ajudaram a disfarçar a ausência de grandes jogos first-party já anunciados. Títulos como Hellblade 2 da Ninja Theory, Everwild da Rare, e Fable da Playground Games não apareceram, embora muitos aguardassem novidades e possivelmente gameplay destes jogos.

Microsoft diz orgulhosamente que Starfield é um exclusivo

A exclusividade na Microsoft não tem propriamente o mesmo significado que nas consolas da PlayStation e da Nintendo, mas a marca ainda precisa de ter grandes títulos associados à sua marca, ainda que esta se alargue a mais do que uma plataforma. Não é surpreendente, portanto, ver a Microsoft a anunciar orgulhosamente a exclusividade de Starfield. Durante anos, a Xbox foi uma marca mais pobre em propriedades intelectuais do que as restantes, ficando praticamente restrita a Halo, Gears e Forza. A narrativa tem mudado nos últimos anos e a história agora é outra. Com a Bethesda aliada à Xbox, a Microsoft tem agora um leque muito variado de jogos para o futuro. Em 2021 a Microsoft ainda teve que compensar fazendo acordos com estúdios third-party para assegurar estreias no Xbox Game Pass, mas 2022 parece ser muito promissor com Starfield e Redfall, um novo jogo cooperativo de caçar vampiros (está a ser desenvolvido pela equipa de Prey).

"Com a Bethesda aliada à Xbox, a Microsoft tem agora um leque muito variado de jogos para o futuro"

Enquanto 2022 não chega, o grande jogo para este ano parece ser mesmo Forza Horizon 5. A equipa da Playground Games tem feito coisas incríveis com esta série e o novo capítulo, que nos levará até ao México, deixou-me de boca aberta com o trailer gameplay. Chega para lá Halo, este é que promete ser o jogo que realmente vai mostrar as capacidades da Xbox Series X | S! Mais do que a resolução 4K nativa e os 60 FPS da jogabilidade, o que mais impressiona são os detalhes do cenário e o céu extremamente realista. Para conseguir este detalhe, a Playground gravou os céus do México durante horas, recorrendo depois a técnicas avançadas de fotogrametria para obter resultados foto-realistas em Forza Horizon 5. E enquanto este estúdio já fez praticamente dois jogos (Forza Horizon 4 e Forza Horizon 5), a Turn10 ainda está a preparar o próximo Forza Motorsport (que também esteve ausente). Já nem vou falar da Polyphony Digital...

"Chega para lá Halo, este é que promete ser o jogo que vai mostrar as capacidades da Xbox Series X"

Subscritores do Xbox Game Pass esfregam as mãos

O valor do Xbox Game Pass já estava mais do que comprovado antes da E3 2021, mas as novidades apresentadas pela Microsoft na sua conferência fortaleceram ainda mais aquele que já era um serviço incrível. O combo de uma consola Xbox Series + Xbox Game Pass vai continuar fortíssimo e senti os subscritores a esfregarem as mãos com os sucessivos anúncios na conferência da Microsoft. É difícil não ficar contente quando sabes que por 9,99€ por mês (ou mesmo 12,99 € no caso do Ultimate) vais ter acesso a títulos como Yakuza: Like a Dragon, 12 Minutes, Hades, Forza Motorsport 5, Age of Empires IV, STALKER 2, Shredders, Halo Infinite, Starfield, Redfall, entre outros.

Apesar da boa dose de novidades que a Microsoft apresentou e do futuro aparentemente risonho, faltou trailers com gameplay e coisas mais palpáveis. Aqui a vitória vai novamente para Forza Horizon 5, que teve a apresentação mais prolongada da conferência. The Outer Worlds 2 foi anunciado com apenas um logótipo, com o narrador a afirmar descaradamente que é basicamente o que a equipa tem da sequela (ou seja, o lançamento está bem longe). Starfield resumiu-se a um trailer CGI, bem como Redfall. De Contraband também não vimos praticamente nada. Por um lado, é verdade que a Microsoft teve muitos anúncios, mas por outro, não mostrou assim tanta coisa. Resta esperar que o Xbox Game Show Extended, anunciado para 17 de Junho, tenha mais detalhes do que simples trailers CGI ou de logótipos.

Salta para os comentários (246)

Sobre o Autor

Jorge Loureiro

Jorge Loureiro

Editor

É o editor do Eurogamer Portugal e supervisiona todos os conteúdos publicados diariamente, mas faz um pouco de tudo, desde notícias, análises a vídeos para o nosso canal do Youtube. Gosta de experimentar todo o tipo de jogos, mas prefere acção, mundos abertos e jogos online com longa longevidade.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Fortnite é um pesadelo, diz José Mourinho

Os jogadores passam demasiado tempo a jogar.

Parte 2 de Fantasian está quase pronta

Mistwalker promete que será maior que a primeira.

Artigo | Spider-Man: Miles Morales tem algo a ensinar aos jogos em mundo aberto

Insomniac Games ressuscitou uma sensação que pensava perdida.

Comentários (246)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários