Mass Effect Legendary Edition review - Odisseia espacial

Tínhamos saudades desta Bioware!

Há RPGs para todos os gostos, de todas as formas e feitios como se costuma dizer, mas no que toca à ficção científica, ainda nada tocou na trilogia Mass Effect. A ópera especial da Bioware é um clássico do género, que marcou e influenciou uma geração de videojogos, e que deixou um buraco por preencher quando desapareceu. A EA ainda tentou preencher esse buraco com Mass Effect: Andromeda, lançado em 2017, mas já todos sabemos o que aconteceu: o jogo foi uma desilusão por várias razões, desde um desenvolvimento apressado até à ausência de membros importantes da equipa que tinham contribuído imenso para a trilogia original. Depois de três jogos incríveis, a reputação da série ficou assim manchada, e quando a EA mostrou intenções de colocar a série na prateleira para a Bioware se dedicar a outros projectos (como Anthem, outra desilusão), foi uma despedida injusta e triste.

Mass Effect Legendary Edition, ainda que não seja uma sequela, tem uma grande responsabilidade nas costas. Pode parecer que é uma mera remasterização como tantas outras que foram lançadas ao longo desta e da geração anterior, mas tem o papel de revitalizar a série Mass Effect e de recuperar a honra perdida por Andromeda. Por isso mesmo, a Bioware não poupou esforços no desenvolvimento de Legendary Edition. As remasterizações são muitas vezes um projecto secundário para os estúdios, uma forma relativamente fácil de lucrar com a nostalgia dos fãs. Seria fácil seguir essa rota, mas a Bioware escolheu outro caminho, certamente mais difícil, mas com resultados infinitamente superiores. Esta é provavelmente a remasterização mais extensiva e completa que já pude experimentar. A única forma de entregar algo melhor do que isto era fazer um remake dos três jogos.

A experiência completa de Mass Effect num só pacote

Mass Effect é um dos poucos RPGs em que as decisões do jogador no primeiro jogo continuam a ter influência nos seguintes. Ter a trilogia original num só pacote é ideal porque permite dar continuidade às tuas escolhas sem complicações. E digo isto porque, dependendo da plataforma onde jogaste, a continuidade pode não ter sido suave. Mass Effect 2 foi o primeiro jogo da série a chegar à PS3, mas só em 2011, um ano mais tarde comparativamente à Xbox 360 e PC. Além disso, na consola da Sony, o primeiro Mass Effect só chegou em 2012 (ou seja, um ano depois da sequela). Resumidamente, se jogaste a trilogia na PS3, podes não ter tido a oportunidade de jogar a trilogia por ordem e desfrutar realmente da continuidade das tuas escolhas.

Mesmo quem tenha jogado noutras plataformas pode ter passado pelo mesmo. O primeiro Mass Effect foi durante muito tempo quase um jogo de culto. O sucesso da série só explodiria com a sequela e posteriormente com o terceiro jogo. Por esta razão, muitas pessoas saltaram para o "barco" sem sequer terem conhecido a história do primeiro. Esta Legendary Edition é, deste modo, o pacote perfeito para conhecer Mass Effect do princípio ao fim. Tem ainda a vantagem de incluir a enorme lista de conteúdos adicionais. A qualidade dos DLCs não é uniforme, mas todos acabam por acrescentar algo à história e são um bom extra. Uma novidade exclusiva desta edição é que normaliza o criador de personagens para os três jogos (originalmente, a Bioware foi adicionando opções de criação nas sequelas), ou seja, o teu Shepard de Mass Effect 1 terá o mesmo aspecto em Mass Effect 3.

Uma remasterização minuciosa

As texturas, shaders, modelos, iluminação e efeitos foram melhorados nos três jogos da trilogia, mas o jogo que mais precisava de "obras" era o primeiro. A Bioware sabia disso e por isso dedicou atenção especial ao primeiro capítulo, refinando a jogabilidade - tornando-a mais próxima das sequelas - ajustando a inteligência artificial, entre outras coisas. Uma das facilidades do novo launcher é que permite saltar facilmente entre os diferentes jogos. Originalmente, passar do Mass Effect 2 ou Mass Effect 3 para o primeiro era um choque enorme. Nesta Legendary Edition nem tanto, ainda que se notem diferenças. A jogabilidade do primeiro é claramente mais clunky e o sistema de cobertura não funciona tão bem como nas sequelas. A jogabilidade com as armas também não está tão aprimorada, já que a Bioware foi melhorando este aspecto até Mass Effect 3 (que se comportava mais como um jogo de tiros na terceira pessoa).

"Originalmente, passar do Mass Effect 2 ou Mass Effect 3 para o primeiro era um choque enorme. Nesta Legendary Edition nem tanto"

Apesar do que acabei de referir, o primeiro Mass Effect ainda é um deleite, um RPG que consegue fazer frente a qualquer jogo do género lançado nos últimos anos. A direcção da narrativa, o cuidado com os diálogos, a forma inesperada como as diferentes personagens ficam gravadas na nossa memória, as rivalidades galácticas entre as muitas raças... ainda não há nada igual. De entre todas as melhorias aplicadas no primeiro Mass Effect, há que sublinhar os loadings reduzidos na Citadel (principalmente no elevador!) e os controlos melhorados para o Mako (o tanque de seis rodas) na exploração de planetas. Que conste que as partes de conduzir a Mako ainda são aborrecidas (há planetas tão vazios), um contraste com o resto do jogo, mas pelo menos agora já não vais sofrer com os seus controlos absolutamente horríveis.

Embora certos momentos denunciem a idade dos jogos da trilogia (como as expressões faciais, em que as personagens apenas mexem a boca e têm um olhar vidrado), o trabalho de remasterização da Bioware foi fenomenal. Com suporte para 4K, 60 fotogramas por segundo e HDR, além das melhorias visuais já referidas, é impossível dizer que qualquer um dos três jogos tem mau aspecto numa televisão moderna. A resolução extra, anti-aliasing, e nova iluminação fazem realmente um brilharete e recuperam aquela sensação de imersão que Mass Effect sempre teve quando aterras num novo planeta. A Bioware também melhorou as texturas, mas certos momentos, vais notar sempre que são texturas antigas, bastante inferiores aos padrões actuais (isto acontece sobretudo em texturas secundárias).

Honra recuperada!

Os últimos anos não têm sido bons para a Bioware. O último título bem recebido do estúdio foi Dragon Age: Inquistion, já em 2014. Anthem, que sugou imenso esforço, dedicação e tempo, foi um projecto falhado que acabou por "morrer" oficialmente no início de 2021. Jogar Mass Effet Legendary Edition até me deixa arrepiado, pois recorda-me do que este estúdio é verdadeiramente capaz e daquilo que alcançou há duas gerações atrás. O lançamento desta remasterização mostra que o estúdio está recuperar a sua forma e valores de produção. É a colecção perfeita para quem quer conhecer a trilogia Mass Effect ou simplesmente para aqueles que querem matar saudades daquele que continua a ser um dos melhores RPGs já feitos.

Prós: Contras:
  • O pacote completo de Mass Effect, incluindo DLCs
  • Um excelente trabalho de remasterização
  • Suporte para 4K, 60 FPS e HDR
  • O primeiro Mass Effect é quase um remake
  • Continua a ser um dos melhores RPGs que podes encontrar
  • Criador de personagem padronizado para os três jogos
  • Não tem multiplayer no Mass Effect 3
  • Expressões faciais robóticas

Lê o nosso Sistema de Pontuação

Salta para os comentários (13)

Sobre o Autor

Jorge Loureiro

Jorge Loureiro

Editor

É o editor do Eurogamer Portugal e supervisiona todos os conteúdos publicados diariamente, mas faz um pouco de tudo, desde notícias, análises a vídeos para o nosso canal do Youtube. Gosta de experimentar todo o tipo de jogos, mas prefere acção, mundos abertos e jogos online com longa longevidade.

Conteúdos relacionados

Miitopia review - O social da Nintendo

Pleno de humor mas leve em mecânicas.

Biomutant review - Mutantes de palmo e meio

Um jogo demasiado arrojado para as dimensões da equipa.

Retro Machina - Review - Triunfo das máquinas

Sobre as ruínas da humanidade.

Recomendado | NieR: Replicant - review - clássico de culto

Requintada obra recebe uma merecida dose de polimento e melhorias.

Também no site...

Comentários (13)

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários