O que estamos a jogar - 1 Maio

Chameleos.

24 de Abril de 2021

Olá, bem-vindo a esta nossa rúbrica semanal, na qual falamos de alguns dos jogos que temos jogado nas últimas semanas ou que ainda estamos a jogar nestes dias de confinamento. Estes são os jogos que nos entusiasmam e que mesmo com tempo limitado, não conseguimos resistir a jogar.

Nós por aqui temos sempre muito que fazer, sempre atarefados com novos jogos, novidades da indústria, e claro, há que manter a nossa comunidade informada e a par de que se passa. Tentámos chegar a todo o lado, e isso retira-nos aquele tempo especial para relaxarmos e jogar o que mais amamos. Há sempre aquele jogo especial que não conseguimos largar, e agora irão ficar a saber o que temos andado a jogar às "escondidas".

Miitopia Demo (Nintendo Switch)

2

Esta semana chegou à eShop da Nintendo Switch a demonstração de Miitopia. Tive que descarregar imediatamente. Para os que não estejam recordados, Miitopia foi lançado para a Nintendo 3DS em 2017, e consiste num jogo de role-play que decorre num mundo de fantasia onde a nossa personagem e aquelas que nos acompanham e lá habitam são Mii's, as personagens que apareceram originalmente na Nintendo Wii e que constituíam os avatares de quem jogava na consola. Inspirado em Tomodachi Life, um sim life que já permitia jogar com os Mii, Miitopia na Switch é o remaster da versão 3DS

Há elementos de role play, escolha de classes e demandas a levar a cabo em grupo. Até porque Dark Lord é o responsável por roubar os olhos, a boca e os ouvidos dos Mii para os "colar" em insectos e plantas, fazendo deles autênticos monstros. Cabe-nos reparar a situação e travar os maquiavélicos planos desta figura sobrenatural. Há imensa comédia e um caricato da situação, algo que é reforçado na componente multiplayer, quando são adicionados mais jogadores à demanda. Esta demonstração é particularmente generosa, e permite avançar uma boa parte inicial do jogo.

Vítor

Este é um daqueles jogos que primeiro estranha-se, depois entranha-se. O roguelike da Housemarque conquista algo que é raro nos dias de hoje: oferecer uma proposta única. É certo que não é o primeiro roguelike, todavia, o estúdio finlandês fez uma combinação única entre um género que conhecia bem - inferno de balas e jogos arcade - e os roguelikes. É garantidamente muito desafiante, mas desde que comecei a jogar que ainda não consegui pousar o comando. Há, obviamente, pausas, mas passadas algumas horas a vontade de voltar a Returnal para mais uma tentativa reaparece.

Jorge

Resident Evil 7 (PC)

Já lá vão alguns anos desde que peguei e decorei Resident Evil 7, o jogo foi lançado em 2017, e fiquei surpreendido pelo facto de o jogo continuar a ser muito atual, tanto em grafismo como em termos de imersão. É dos jogos que mais me dediquei da franquia Resident Evil, juntamente com o remake do segundo. Evidentemente que a opção de o voltar a jogar tem muito a ver com a chegada de Village já no próximo dia 7 de maio. Sou apreciador deste tipo de jogos, que nos fazem sentir vivos, despertam em nós aqueles sentimentos ocultos. A passagem para uma jogabilidade em primeira pessoa não agradou a todos, mas pessoalmente penso que foi um passo importante na série que a voltou a revitalizar e a dar um toque mais sombrio de terror psicológico. Manteve muitas mecânicas antigas que foram adaptadas a este novo conceito, e a critica especializada aclamou essa mudança. Venha Resident Evil Village.

Adolfo

Monster Hunter Rise (Nintendo Switch)

1

Após mais de 60 horas com a experiência que chegou às lojas a 26 de Março, comecei de imediato a jogar a grande atualização de Abril, que implementou em Monster Hunter Rise grandes novidades. A possibilidade de elevar finalmente o Hunter Rank fez-me caçar Bazelgeuse para obter a sua armadura S, enquanto juntei dinheiro para aumentar até ao máximo (90!) cada pela do set Golden de Rajang e me preparar para as novas bestas. Agora, o objetivo é Chameleos, um dos Elder Dragons adicionados a Rise, para aumentar o meu HR além de 20 e começar a antecipar os confrontos contra Teostra e Kushala Daora. Esta atualização poderá garantir mais 60 horas de jogo e estou a adorar cada momento.

Bruno

Salta para os comentários (20)

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (20)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários