MLB: The Show 21 review - Make it major

Simulação incrivelmente aprofundada e divertida.

No meio de toda a cultura que o mundo importa dos Estados Unidos, o basebol não conseguiu a adesão que muitas outras coisas conseguiram, nem de longe. O desporto que é incrivelmente popular nos EUA conseguiu conquistar o seu espaço em países como Japão, Coreia do Sul ou Canadá, mas para a grande maioria do mundo continua a ser algo relativamente desconhecido. Muitos provavelmente até conhecem o basebol graças a Jerry Seinfeld, que devido à sua paixão pelos New York Mets fez questão de vincar a presença do desporto em diversos episódios da popular sitcom, seja através de referências, locais, personagens ou até adereços nos cenários. Existem duas realidades distintas no que diz respeito ao basebol, uma dentro do país onde faz as multidões vibrar e os adeptos das estatísticas ficar ao rubro, e depois o quase total desconhecimento, na grande maioria do mundo.

No entanto, o basebol e a Major League Baseball (MLB) é muito mais do que os bonés celebrizados por Fred Durst dos Limp Bizkit na década de 90, que enquanto fã dos New York Yankees fazia questão de usar um e multidões em todo o mundo decidiram imitar e comprar um igual, mesmo não sabendo o que representava. O basebol da MLB é uma competição incrivelmente popular nos Estados Unidos da América, com estádios que se enchem para assistir a atletas a atirar bolas para outros atletas que devem batê-las com o taco na esperança de conseguir uma bola, quem sabe o Home Run (quando a bola é batida dentro da área de jogo e ultrapassa os limites), o que lhes permite conquistar bases.

Como é apanágio nos americanos, tudo é feito "à grande", tudo é transformado num espetáculo e, perante a sua estrondosa popularidade, não podiam deixar de existir as adaptações para videojogos. Com a ajuda da MLB, dona da competição, a Sony San Diego Studios consegue há longos anos produzir jogos de simulação fabulosamente competentes, fieis às transmissões televisivas e capazes de viciar multidões.

Como se a existência de uma versão Xbox não o evidenciasse de forma suficiente (a MLB renegociou o contrato com a Sony para a forçar a tornar a série multiplataforma), MLB: The Show 21 representa a vontade da MLB em tornar a série mais apelativa, mais popular. O objetivo é leva-la até mais jogadores, suavizar a barreira de acesso e criar uma experiência capaz de satisfazer os veteranos e entusiasmar os estreantes. O objetivo foi alcançado em pleno pela Sony San Diego, que cumpriu de forma gloriosa com os requisitos de criar uma simulação profunda, que poderá motivar os fãs da série a passar centenas de horas nesta MLB virtual, intimamente ligada à real, mas que também será amigável o suficiente dos novatos para aos poucos e poucos os conquistar. Essa foi uma das melhores sensações no jogo onde Fernando Tatís Jr. (El Niño) dos San Diego Padres foi escolhido para a capa.

MLB: The Show 21 brilha especialmente nas versões de nova geração, onde o grafismo é elevado para um novo patamar. Existem momentos realmente espantosos e de grande realismo, muito próximo do que vês nas transmissões televisivas, com loadings mínimos. É percetível o fator cross-gen em elementos dos estádios e algumas expressões faciais, mas no geral a Sony San Diego conseguiu um trabalho de grande qualidade. Isso também pode ser dito na abordagem aos variados graus de conhecimento do basebol. Como referido, um novato pode pegar em MLB: The Show 21 e começar a descobrir o desporto aos poucos e poucos, sem ser subjugado por estatísticas ou referências.

Podes jogá-lo e receber constantes dicas sobre o que se passa, como se joga, e rapidamente começarás a dominar. Além disso, a dificuldade é dinâmica e ajusta-se de acordo com a tua prestação, para que jamais sintas que a experiência se está a tornar frustrante devido à tua falta de prática ou conhecimento. Para ajudar, existe ainda um modo de jogo que te coloca em praticamente todas as situações, para que possas descobrir gradualmente a MLB e o basebol.

2
A recriação minuciosa de todos os elementos do basebol significa que existem imensas coisas a aprender, mas no seu cerne, The Show 21 é um jogo simples e direto, altamente divertido de jogar

MLB: The Show 21 é uma comemoração da MLB e do basebol, mas também pode ser descrito como uma forma de apaixonar mais pessoas pela modalidade, não sendo apenas um jogo recomendado para quem já adora a MLB. Meros curiosos podem pegar no jogo e ficarem rendidos aos vários momentos deste desporto, que ao contrário da perceção de muitos, até consegue ser intenso e abundante em espetáculo.

Road to the Show é o modo no qual crias uma personagem e tentas ir de uma equipa pequena até uma das que competem na MLB, uma espécie de A Jornada de FIFA, mas com um nível de realismo muito superior. The Show é desenvolvido com a própria MLB e isto significa mais do que nomes, jogadores, estádios e equipamentos oficiais, significa que todo o envolvimento pré e pós jogo é recriado de forma brilhante para aumentar a imersão, autenticidade e realismo, dentro e fora dos estádios. Road to the Show é descrito como uma espécie de "Modo RPG" e deixa-te viver as emoções de um atleta que aspira ser um dos maiores nomes do basebol, que quanto melhor jogas, melhor se torna. Tendo em conta que as partidas podem durar perto de uma hora, existe um formato híbrido que simula o jogo e te coloca a jogar somente os momentos em que o teu personagem joga. Este efeito também pode ser escolhido nas partidas de exibição e é mais um pequeno belo toque que a equipa teve em conta para dinamizar a experiência para quem o assim deseja.

Com uma qualidade gráfica repleta de momentos impressionantes, dificuldade dinâmica, realismo, autenticidade, uma simulação tão profunda quanto a sua representação das estatísticas e acompanhamento em tempo real da MLB, The Show 21 é sem dúvidas incontornável para os adeptos da modalidade. Mas mesmo enquanto videojogo, revela facilmente os incríveis esforços da Sony San Diego. Seja com o modo Diamond Dynasty (para relembrar momentos de glória do passado, onde podes construir equipas com lendas e até enfrentar jogadores online) ou March to October que te deixa satisfazer as maiores fantasias como profissional virtual da MLB, quase uma espécie de filme, sem esquecer os modos online. MLB: The Show 21 é muito competente, profundo e abrangente.

1
Momentos visualmente incríveis que recriam de forma altamente fiel as transmissões televisivas, graças ao contributo oficial da MLB.

Existem 14 modos de jogo e todos eles exploram uma faceta da MLB em formato videojogável. No meio de toda a simulação e representação fidedigna com um extremo foco na precisão minuciosa dos detalhes, MLB: The Show 21 também apresenta modos mais relaxados. Seja o modo retro ou o modo Challenge of the Week, especialmente divertido para sessões rápidas, o trabalho da MLB e Sony San Diego em expandir o alcance e apelo da série The Show merece elogios. A edição deste ano faz imenso para tornar o basebol mais amigável de curiosos em todo o mundo.

Após anos a surpreender nos Estados Unidos e nos poucos países onde o basebol conseguiu conquistar o seu espaço, MLB: The Show 21 representa uma nova era nos esforços da MLB em apresentar a série ao mundo e a novas audiências. O objetivo é mais do que cumprido e se os veteranos da série recebem mais um jogo profundo e incrivelmente completo, os novatos ficam perante um dos melhores jogos de desporto que algumas vez podem jogar, mesmo que sejam simples curiosos pelo desporto na vida real.

Prós: Contras:
  • A qualidade visual consegue momentos impressionantes
  • Incrível nível de realismo e fidelidade na recriação da MLB
  • Dificuldade dinâmica que se ajusta na hora consoante a tua prestação
  • Altamente amigável dos estreantes através de dicas e modos para aprender as regras
  • Grande variedade de modos apelativos
  • O Challenge of the Week é quase um pequeno toque arcade no meio desta simulação
  • O Road to the Show pode transformar-se num autêntico vício
  • Alguns momentos visuais de fraca qualidade
  • Muitas das áreas envolventes aos estádios revelam uma qualidade gráfica muito má

Lê o nosso Sistema de Pontuação

Salta para os comentários (9)

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Conteúdos relacionados

WRC 9 - Review - Geração pré-híbrida

Os carros mais rápidos nas estradas do dia-a-dia.

Captain Tsubasa: Rise of New Champions Review - Lenda viva

Simulação e arcade dão lugar ao futebol fantástico.

Também no site...

Fortnite Crew Dezembro - recompensas, preço, como subscrever

Tudo o que tens de saber sobre o Fortnite Crew de Dezembro.

STALKER 2: Heart of Chernobyl precisa de 180GB de disco

Um dos jogos a ocupar mais espaço no dia de lançamento.

Clockwork Aquario - Review - Colorido mundo

Há mais vida nos jogos de plataformas 2D.

Comentários (9)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários