Estúdio de The Sinking City acusa Nacon de hackear e piratear o seu jogo

Parece um filme da Mafia.

A Frogwares, que desenvolveu os jogos da série Sherlock Holmes e mais recentemente The Sinking City, está a acusar a Nacon, uma editora videojogos e fabricantes de acessórios como comandos, de hackear e piratear o seu jogo.

"A Nacon crackou, hackeou, mudou o código e conteúdos do nosso jogo, e fez um upload ilegal de The Sinking City para o Steam a 26 de Fevereiro de 2021 para comercializá-lo debaixo do seu nome sem o nosso conhecimento," acusa a Frogwares numa entrada do seu blogue.

O texto publicado pelo estúdio explica que desde o lançamento de The Sinking City a 27 de Junho de 2019 que tiveram problemas contínuos com a Nacon. Embora o Steam seja uma das plataformas listadas no contrato entre as duas partes, "as acções ilegais da Nacon forçaram a Frogwares a defender a sua propriedade e a reagir perante as leis francesas por falta de pagamentos, tentativas de roubar a nossa propriedadade, entre outras coisas".

"Desde então a Nacon tentou forçar a Frogwares a entregar uma nova versão master do jogo através dos seus advogados. A Justiça Francesa recusou as exigências da Nacon duas vezes, a primeira em Julho de 2020 e depois em Outubro de 2020 durante um recurso. A decisão final de se a Frogwares é obrigada a entregar a versão Steam que a Nacon está a exigir será determinada em tribunal nos próximos meses ou anos."

Para surpresa do estúdio, a 26 de Fevereiro encontraram The Sinking City à venda no Steam. Esta versão não foi submetida pela Frogwares à Nacon. Na realidade, segundo as evidências encontradas pelos produtores, a Nacon comprou a versão à venda na Gamesplanet e modificou-a, alterando logótipos e outros pequenos detalhes, para a vender no Steam debaixo do seu nome.

"A Nacon, debaixo da gestão do seu presidente Alain Falc, pediu a alguns dos seus funcionários, que até identificamos, para crackar, hackear e piratear o nosso jogo, mudar os seus conteúdos para comercializá-lo com o seu nome, e é assim que o fizeram," é dito no site da Nacon, seguindo-se várias evidências que provam as acusações do estúdio.

A Frogwares pede aos jogadores para não comprarem a versão Steam de The Sinking City. Aliás, de momento, a página do jogo já não se encontra disponível. O estúdio vai agora recorrer à Justiça Francesa, comentando "temos que medir o que aconteceu e seguir o melhor caminho legal para prevenir que algo como isto aconteça novamente".

"O dono da Nacon, Alain Falc, terá que enfrentar as consequências legais da decisão de piratear e roubar a propriedade da Frogwares," é dito. "Incidentalmente, as leis de propriedade intelectual da França são sérias e podem levar até 7 anos de prisão e multas de 750,000 euros mais danos."

Salta para os comentários (5)

Sobre o Autor

Jorge Loureiro

Jorge Loureiro

Editor

É o editor do Eurogamer Portugal e supervisiona todos os conteúdos publicados diariamente, mas faz um pouco de tudo, desde notícias, análises a vídeos para o nosso canal do Youtube. Gosta de experimentar todo o tipo de jogos, mas prefere acção, mundos abertos e jogos online com longa longevidade.

Conteúdos relacionados

Epic já perdeu mais de 380 milhões de euros com a sua Epic Games Store

Investimento a longo prazo significa fundos perdidos.

Outriders review - lootstorm

Ação frenética e repetitiva, mas agora com loot.

Rumor: PlayStation prepara resposta ao Xbox Game Pass

Quer reagir à popularidade do serviço da Microsoft.

Também no site...

Comentários (5)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários