NiOh Remaster Collection na PS5 é ação Samurai de qualidade superior

Jogar Nioh a 4K com 60fps quase perfeitos é sensacional.

Após longos anos no limbo, Nioh da Koei Tecmo transformou-se quando chegou às mãos da Team Ninja, que ansiosa por apostar numa nova experiência de ação, pegou no ADN do adormecido Ninja Gaiden, que descansa desde 2012, com a missão de o revigorar e atualizar para uma geração totalmente rendida às exigências das experiências Souls da From Software. Atualmente, em 2021, poderá nem parecer e até já o poderás ter esquecido até, mas em 2017 parecia que todo o mundo queria o seu pedaço do sucesso da From Software e todos queriam algo similar. A Team Ninja não se limitou a copiar a fórmula e a explorar o período Sengoku, que tanto a Koei Tecmo usa em jogos Musou, decidiram criar uma espécie de Ninja Gaiden Souls feudal que se tornou de imediato numa obsessão pessoal.

A equipa liderada por Yosuke Hayashi, produtor na série Dead or Alive desde o 5º jogo e diretor de Ninja Gaiden 3, decidiu relembrar ao mundo o seu pedigree único no que diz respeito a jogos de ação. O resultado foi o primeiro Nioh, cuja ação brutal e violenta, alcançada através de um firme foco no gameplay e performance, para que os reflexos e impulsos sejam maximizados sem inconveniências, um jogo com controlos coesos que exigem a tua dedicação e relembraram ao mundo que foi por isto que nos apaixonamos pela Team Ninja.

A análise que escrevi em 2017 menciona que "NiOh é tudo aquilo que podias esperar de uma Team Ninja em forma. É um jogo de ação rápida e implacável, com uma incrível profundidade". Mesmo passados mais de 3 anos, Nioh ainda permanece um Action RPG singular pela forma como mistura Ninja Gaiden e Dark Souls, uma experiência que foi de tal forma sensacional, mesmo numa indústria hipnotizada por experiências Souls, que facilmente justificou uma sequela, lançada em Março de 2020 e chamada simplesmente de Nioh 2. Lançado 3 anos após o original, Nioh 2 chegou na reta final da sua geração e com o potencial para elevar a fórmula para novos patamares.

Com Nioh 2, a Team Ninja explorou novas mecânicas e tentou aprofundar os seus sistemas gameplay para tornar ainda mais intensas estas lutas entre samurais e demónios. O conceito de que cada adversário representa um duelo e mesmo o mais banal dos inimigos pode ser o teu fim foi glorificado com adversários ainda mais temíveis, uma nova barra Yokai e ainda poderes Yokai, que te permitem transformar em demónio para despoletar golpes mais poderosos. O conceito de risco vs recompensa ganhou novas camadas e a Koei Tecmo conseguiu manter a série em estado de graça.

"As versões Remaster de Nioh 2 na PS5 são o equivalente a uma transformação Yokai.

Apesar de sentir que Nioh 2 caminha entre uma linha muito ténue entre expansão e sequela, como referi na sua análise, especialmente devido à pouca evolução visual, design e conceitos gameplay, a verdade é que foi o jogo que mais joguei em 2020 e com o qual me entretive a descobrir cada novo local, missões e armas nas expansões. Apesar de sentir que não alcança em todo o significado o termo sequela, relembra o quão divertido é o original e como adoramos morrer incontáveis vezes para depois rejubilar quando triunfamos perante o adversário que tanto nos massacrou.

A matemática encenação coreografada de ação masoquista de NiOh 2 recebeu uma camada extra no equilíbrio da experiência com as habilidades e transformação Yokai, mas existem diversos sinais que a Team Ninja se esforçou ao máximo para afinar ainda mais a experiência. Existem inúmeros parâmetros e mecânicas que terás de dominar, exigências do lado RPG da fórmula, mas tal como o original, NiOh 2 permanece um jogo brutal e viciante, cujo gameplay samurai oferece gratificação quase imediata. O teu samurai (no original tens William como protagonista pré-definido, mas a sequela deixa-te criar um personagem original) move-se com incrível velocidade e golpeia com agilidade, mas tens de gerir o teu vigor e constantemente calcular o risco de cada ação. É isso que dá todo o significado a Nioh e o torna em algo muito acima do habitual martelar de botões visto na Koei Tecmo.

Talvez a pensar no quão bem Nioh 2 funcionaria como um jogo cross-gen, a Koei Tecmo decidiu apresentar uma versão Remaster para a PlayStation 5, que acompanha o lançamento da versão PC, que na versão Nioh Collection chega acompanhada do original, um jogo que poderá surpreender pelo qual atual e divertido permanece. Foi precisamente esta Nioh Collection para a PS5 que tivemos a oportunidade de jogar e que nos voltou a relembrar o quão apaixonados ficamos pela série, apesar de, como já referi, ter passado o ano de 2020 a jogar Nioh 2. As expansões foram lançadas ao longo do ano e em Dezembro tivemos a última, por isso Nioh 2 ainda é um jogo bem presente e querido. No entanto, estas versões Complete e Collection na PS5 são equivalentes ao efeito da transformação Yokai, tornam a experiência mais poderosa.

1
A incrível nitidez dos visuais e a maior robustez da performance tornam a experiência Nioh ainda melhor.

Podes jogar estas versões completas na PS4, incluem o jogo base, todas as atualizações até à versão 1.23 em Nioh e 1.24 em Nioh 2, juntamente com as expansões para cada um dos jogos, mas ao jogar na PlayStation 5, tens acesso a uma experiência de qualidade quase transformadora. É quase comparável a uma transformação Yokai, é o mesmo jogo, mas com importantes melhorias onde mais importam. Se já jogaste Nioh ou Nioh 2 na PS4, podes aceder a essa versão e enviar para a nuvem o teu personagem, processo feito no menu de opções de cada jogo. Em seguida, podes entrar na versão PS5 e descarregar o personagem guardado na nuvem (mais uma vez, o processo é efetuado no menu principal dos jogos). Isto permite-te continuar do ponto onde estavas e não perder progresso. Isto é especialmente importante para Nioh 2, um jogo com menos de um ano e que acabou de receber uma expansão. No entanto, Nioh 2 tem atualização gratuita para o remaster e poderás nem precisar de efetuar este processo se já o jogavas na PS5.

Com o teu personagem recuperado e pronto para ser utilizado, podes continuar a tua jornada samurai do exato altar em que estavas, seja numa expansão ou no caminho principal e as melhorias são evidentes ainda antes de chegar ao gameplay. Os loadings de Nioh e Nioh 2 já eram rápidos, mas na PS5 tornam-se praticamente inexistentes e falamos de tempos de espera de cerca de 3 a 4 segundos para ir do menu principal para o gameplay. Os famosos incrivelmente curtos tempos de espera entre mortes foram praticamente removidos, talvez demorem um segundo. Isto torna a experiência ainda mais dinâmica, mas não eram problema sequer. Pelo contrário, é um dos mais elogiados elementos que ficou ainda melhor.

Se tiveres em conta que Demon's Souls remake é o único jogo do estilo feito de raiz para a nova geração, é fácil perceber o porquê da Koei Tecmo ter colocado a Team Ninja a desenvolver Remasters de Nioh e Nioh 2 para a PS5. São jogos singulares e incrivelmente viciantes, que são elevados para novos patamares, acima do que a retrocompatibilidade da consola conseguia. As novidades mais relevantes a nível da tecnologia estão na resolução e performance, onde é possível jogar até em modo 120fps, caso o teu equipamento seja capaz disso.

Jogar Nioh e Nioh 2 a 4K nativo torna toda a experiência incrivelmente cristalina e muito acima do que é possível na PlayStation 4 Pro, aproximando-te do que esperas de um port PC. É mais fácil notar os detalhes nos cenários e faz com que o jogo, apesar das suas competências gráficas humildes, conquiste um novo fôlego. As texturas estão melhoradas, a nitidez é superior, a iluminação beneficia com estes aumentos e os detalhes nos personagens ficam enriquecidos por esta qualidade visual reforçada. Melhor ainda, não precisas de te preocupar se preferes dar privilégio aos gráficos ou performance. Nioh Remaster Collection na PS5 significa que terás uma imagem altamente nítida, acompanhada por uma performance simplesmente eletrizante.

Seja no original ou na sequela, os 60fps são quase perfeitos e isto significa que todo e qualquer movimento é efetuado com grande agilidade e maior velocidade. De repente, parece que jogava com uma tartaruga na PS4 Pro e agora jogo com um felino surpreendentemente ágil. Sim, tens de gerir o vigor e os teus movimentos tornam-se ainda mais importantes, mas nesta dança violenta de coreografia sangrenta, os teus reflexos contam imenso e agora tens uma performance que se mantém no nível elevado que desejas. A Koei Tecmo esforçou-se para manter uma performance elevada na PS4 e PS4 Pro no modo pensado para isso, mas agora ao alcançar gráficos 4K cristalinos com 60fps quase perfeitos, tens exatamente o que esperarias de um remaster.

Nioh Remaster Collection apresenta-te os mesmos jogos que provavelmente conheces, em formato completo e com todas as atualizações. São experiências que bem conheces e que se transformam graças ao poder adicional da PlayStation 5. É difícil explicar o impacto que o aumento na resolução tem na experiência, mas as melhorias na performance e os 60fps praticamente perfeitos, sem mencionar os 120fps, glorificam todo o conceito de Nioh e do ADN da Team Ninja. Para quem, como eu, ainda está imerso em Nioh 2, é uma transformação sensacional e que me deixa ainda mais contente por o estar a jogar, mas jamais esperava sentir esta enorme vontade em jogar novamente Nioh com estas melhorias, mas foi o que aconteceu.

Salta para os comentários (40)

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Jogos Project Zero poderão receber mais remasters

Koei Tecmo ficou surpresa com as reações.

Netflix não comprará estúdios de jogos a torto e a direito

Estará atenta a oportunidades que façam sentido.

Abertas as reservas para Cotton 100% e Panorama Cotton

Strictly Limited Games e ININ Games celebram 30 anos da série.

Vídeo | Lootbox #34 LIVE - Em direto com a comunidade

Junta-te a nós pelas 16h de Portugal, 12h no Brasil.

Comentários (40)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários