Fitness Boxing 2: Rhythm & Exercise - Review - O boxe liberta

Esquerda seguida de um cachação.

Mantém-nos activos, mas é um jogo com poucas diferenças e novidades face ao original.

A introdução da Nintendo Wii, com Wii Sports (2006), permitiu à Nintendo trabalhar e desenvolver os jogos de movimento e ritmo. À época foi um sucesso este binómio. Dois anos depois foi lançado Wii Fit, um jogo que ofereceu o mérito particular de levar a queima de calorias ao espaço reservado junto do televisor. Nada que programas de vídeo (cassetes VHS) ou aparelhos reservados a abdominais não tenham experimentado antes com algum sucesso junto do público das televendas, mas no formato consola esse tipo de oferta ganhou um assinalável desenvolvimento e ainda hoje permanece entre algumas franjas. O mais recente compromisso do videojogo conciliado com o exercício dá pelo nome Ring Fit Adventure (2018) e permaneceu esgotado durante os meses mais duros de confinamento, ao ponto dos especuladores do costume em sites de vendas de usados se aproveitarem da procura acrescida.

Foi também em 2018, no final do ano, que a Nintendo editou Fitness Boxing, um jogo que não sendo bem um simulador de boxe, incentiva igualmente ao treino diário. Claro que na realidade nenhum destes jogos substitui um programa de treinos de um ginásio, para quem pretenda ganhos mais substanciais. No entanto, são um óptimo ponto de partida se o nosso objectivo consiste em nos mantermos activos em casa, o que é uma mais valia especialmente nestes tempos estranhos que atravessamos. Além disso, conciliam divertimento com bem-estar, que no fundo é a mais valia deste tipo de oferta.

Dois anos depois, a Nintendo regressa à mesma premissa do boxe e ritmo, com uma nova vaga de treinos em Fitness Boxing 2: Rhythm & Exercise. Aqui, importa até esclarecer o subtítulo, já que na realidade não estamos perante um jogo inspirado no clássico Punch Out! (Wii), com toda a composição comic e arcade do clássico das arcadas, mas sim diante de um jogo de exercício e ritmo que nos põe a fazer socos e a queimar calorias ao longo de períodos de tempo diários, visando objectivos mensais. Com este jogo, há objectivos a cumprir. Sobretudo um conjunto de actividades diárias que, no âmbito máximo, produzem resultados, ainda que moderados. Por isso é também menos jogo que Punch Out! e mais um programa específico de treino. Nesta altura do ano joga-se o apelo ao treino, com todas as iguarias, doces e excessos natalícios, razão pela a janela de oportunidade se escancara.

1
As instruções dos movimentos a aplicar são apresentadas de forma clara.

Os imprescindíveis alongamentos antes e depois do treino principal

Qualquer pessoa que treine regularmente sabe que os alongamentos são uma componente crucial do treino. Habilitam o corpo e preparam-no para o esforço a que o vamos submeter por um período de tempo. De outra forma, começar a treinar a frio, ou terminar abruptamente o treino, só leva a que mais cedo ou mais tarde surjam lesões. Assim, também aqui há precauções a esse nível. Desde logo somos convidados a efectuar um conjunto de exercícios antes e depois do treino, isto depois de avançarmos dados como a nossa idade, altura e peso.

Antes também de entrarmos nos ritmos diários de treino, somos convidados a percorrer um "tutorial" que nos leva a adoptar a postura correcta e a compreender os golpes. A postura é importante se queremos maximizar o potencial de treino e conseguir melhores resultados. Depois, segurando um Joy-Com em cada mão, lançamo-nos nos golpes a efectuar de acordo com a grelha apresentada sob a forma de intervalos e espaços de activação. O objectivo imediato passa por conjugar performance com resistência. Ainda que possamos falhar algumas activações, o jogo vai medindo a nossa actividade em termos de ganhos. É também importante acompanhar as descrições do nosso treinador. Desta vez foram adicionados novos profissionais, o que atribui mais variedade e opções a nosso gosto. Além disso, podemos definir a duração do treino, escolher novos temas musicais e até personalizar a indumentária do instrutor gastando uns "vouchers".

A componente motivação é importante e aqui também encontramos diferenças, havendo-os mais ou menos vociferantes. De resto, o objectivo é o mesmo e passa por nos mantermos activos e de postura correcta, seguindo as coordenadas através do televisor, sempre com o "personal trainer" em destaque, alertando-nos para o sucesso ou não da nossa actividade. Encontrada a postura correcta, passamos a aplicar uma série de golpes no "timming" apresentado. A variedade de golpes é a esperada. Há socos directos, jabs, ganchos e uppercuts. Embora seja importante conseguir um bom desempenho de movimentos, não somos realmente avaliados pela postura, já que ao longo de 30 ou 40 minutos de treino o desgaste é assinalável e podemos ficar suados com facilidade. Adequa-se jogar com uma indumentária de treino. No entanto, a nossa performance é avaliada unicamente pelo prisma do "timming" e contacto dos movimentos nas janelas marcadas na grelha. Quão mais perfeitos formos nessa execução, mais pontos recebemos e concomitantemente melhor pontuado é o nosso treino (perfeição equivale a 5 estrelas). Porém e como disse, é pena que a postura não entre em equação. No limite podem jogar sentados, não são penalizados por isso. Além disso, ocorrem por vezes algumas detecções de movimentos desequilibradas, mais parecendo existir alguma desafinação no sistema de comandos. Quantas vezes apliquei o golpe no "timming" correcto e não foi assinalado no ecrã ou só surgiu a indicação fracções de segundo depois. Esperemos que um update venha a caminho.

2
Há toda uma indumentária.

Música para nos dar ritmo

Uma boa forma de perceber a nossa evolução neste programa de treinos passa por exercitar diariamente, seguindo o calendário, já que isso nos dá uma perspectiva diária e geral da actividade, sobretudo no que toca a ganhos. Porém, podemos sempre personalizar um treino e realizar um extra fora do calendário, se nos sentirmos com capacidade para aperfeiçoar um pouco mais. Como referi, não há uma grande preocupação em emular o boxe, mas sim em trabalhar a componente cardio, potencialmente elevando os níveis de fitness. Numa semana podemos conseguir apreciáveis ganhos. Aliás, jogo é óptimo para conjugar com quem faça regularmente actividade no ginásio, compensando naqueles dias em que não tempos tanta vontade para nos deslocarmos, ou porque faz mau tempo ou porque estamos impedidos por algum motivo.

Importa referir que nos ganhos é revelado o nível de calorias despendido, no entanto este número é apenas uma estimativa e não corresponde ao número exacto pois não dispomos de um aparelho que meça realmente a nossa pulsação cardíaca e o número de energia consumida. A apresentação e o design é bastante minimalista, quase discreto, deixando ver apenas as janelas com as grelhas e o nosso "personal trainer" no "espaço", como que resumido ao essencial. Há o tal nível de personalização de equipamentos mas nada de muito exaustivo. Nem faltam abundantes sonoridades pop a servir de acompanhamento na manutenção do ritmo. Porém, os temas são apresentados somente na sua versão instrumental, o que pode ser desapontante. Há uma opção para dois jogadores, onde rivais jogam à vez para saber quem acerta mais vezes no alvo.

O sucesso deste Fitness Boxing 2: Rhythm & Exercise depende do máximo que podemos extrair, considerando que estamos sobretudo diante de um programa de treino tipo diário, conjugando actividade com divertimento. O nosso compromisso será tanto maior consoante o ganho em resultados, ao nível das calorias gastas. Mas muito da preparação e de um corpo "fit" depende da alimentação, do tempo que dormimos e de uma actividade física diversificada (quase 30% dos ganhos provêm do treino). Em boa análise Fitness Boxing 2 não diverge sobremaneira do título que o precedeu, embora tenha o mérito de continuar a servir pessoas de diferentes idades, pela forma como comunica com simplicidade e pelo grau de exigência moderado.

Prós: Contras:
  • Treinar em casa
  • Serve todas as idades
  • Fácil de aprender
  • Personalização da indumentária dos treinadores
  • Falhas na detecção de alguns movimentos
  • Não regista o nível real de calorias gastas
  • Diverge pouco do original lançado há dois anos
  • Músicas instrumentais

Lê o nosso Sistema de Pontuação

Salta para os comentários (1)

Sobre o Autor

Vítor Alexandre

Vítor Alexandre

Redator

Adepto de automóveis é assim por direito o nosso piloto de serviço. Mas o Vítor é outro que não falha um bom old school e é adepto ferrenho das novas produções criativas. Para além de que é corredor de Maratona. Mas não esquece os pastéis de Fão.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Xbox aumenta o preço do Xbox Live Gold

Atualização: Microsoft muda de ideias.

Digital FoundryResident Evil Village: Maiden demo examinada na PlayStation 5

4K, ray tracing, desempenho e mais, discutidos pela equipa.

Cyberpunk 2077 é o melhor lançamento digital de todos os tempos

Vendidas mais de 10 milhões de unidades digitais em Dezembro.

Comentários (1)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários