EA vai recorrer de uma multa de 5 milhões de euros aplicada pelo governo Holandês

Caixas de loot e FIFA.

A Electronic Arts vai recorrer de uma multa de 5 milhões de euros, aplicada pelas autoridades Holandesas, relacionada com as caixas de loot na série FIFA, que recentemente apresentou FIFA 21 nas lojas.

A meio de Outubro, um juiz decidiu a favor da Autoridade Holandesa do Jogo (a KSA) que desde 2019 tentava importa uma pesada multa à companhia e a decisão foi apresentada hoje, o que deixa a EA em apuros perante as autoridades Holandesas.

A EA tem 3 semanas a partir de 15 de Outubro para alterar FIFA 19, FIFA 20 e FIFA 21 na Holanda. Assim sendo, tem apenas uma semana para mudar os mais recentes jogos e em caso de recusa, terá de pagar 250 mil euros por cada semana, o que poderá resultar numa multa máxima de 5 milhões de euros, caso deixe as coisas continuarem assim.

A KSA declarou que as caixas de loot são ilegais pois constituem jogo de sorte e desta forma violam a lei do país. Perante a lei holandesa, um jogo de probabilidade que permite que um prémio possa ser obtido apenas pode ser providenciado com a devida licença.

FIFA deixa os jogadores gastar dinheiro real em pacotes Ultimate Team, onde encontras um conjunto aleatório de jogadores para usar online contra outros jogadores ou o computador. FIFA tem sido acusado de encorajar crianças a gastar dinheiro ao tornar-se numa experiência pay-to-win, incrivelmente lucrativa para a EA.

Piers Harding-Rolls, analista na indústria, a série FIFA gera mais de 1.7 mil milhões de euros todos os anos e a grande maioria das receitas são provenientes dos pacotes Ultimate Team.

Em 2018, a KSA investigou uma possível relação entre jogar jogos com caixas de loot e o desenvolvimento da ludopatia. René Jansen disse na altura que é imperativo impedir que crianças sejam expostas a jogos de suporte e apoiava a separação dos jogos de sorte do gaming, especialmente porque os mais jovens são mais suscetíveis a desenvolver um vício.

A KSA pediu às companhias de videojogos para adaptar os seus jogos para não infringirem a lei holandesa e várias companhias assim fizeram, mas a EA não foi uma delas. Em sua defesa, a EA alegou que procura tornar os jogos o mais divertidos o possível e que as caixas de loot são mecânicas surpresa que tornam a experiência altamente apelativa para os jogadores.

Em Janeiro de 2019, as autoridades belgas viram a sua vontade finalmente concretizada, quando a EA retirou os FIFA Points de venda, após investigações a partir das quais podiam surgir queixas crime contra a EA. Para o governo belga não existem dúvidas, as caixas de loot são um jogo de sorte e podem criar vício, algo periogoso para os mais novos.

Em países como Portugal, os FIFA Points continuam disponíveis para compra e os pacotes começam nos 2.49 euros e podem ir até aos 99.99 euros, dependendo do quanto queres gastar. As probabilidades de obter as melhores cartas também tem sido algo criticado pela comunidade de FIFA, que alega que a EA apresenta probabilidades ridículas, apenas para que gastes mais dinheiro real.

1

Salta para os comentários (14)

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Conteúdos relacionados

Também no site...

PlatinumGames espera revelar jogos em 2021

Trabalha em vários projetos.

Sony remove datas do seu trailer CES 2021

Project Athia, Ghostwire Tokyo e outros ficam novamente sem data.

Digital FoundryNvidia na CES 2021: revelados portáteis com GPUs RTX 3060 e série RTX 30

A Ampere vai para o mainstream, mais um grande impulso para os GPUs de portáteis.

Comentários (14)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários