EA vai recorrer de uma multa de 5 milhões de euros aplicada pelo governo Holandês

Caixas de loot e FIFA.

A Electronic Arts vai recorrer de uma multa de 5 milhões de euros, aplicada pelas autoridades Holandesas, relacionada com as caixas de loot na série FIFA, que recentemente apresentou FIFA 21 nas lojas.

A meio de Outubro, um juiz decidiu a favor da Autoridade Holandesa do Jogo (a KSA) que desde 2019 tentava importa uma pesada multa à companhia e a decisão foi apresentada hoje, o que deixa a EA em apuros perante as autoridades Holandesas.

A EA tem 3 semanas a partir de 15 de Outubro para alterar FIFA 19, FIFA 20 e FIFA 21 na Holanda. Assim sendo, tem apenas uma semana para mudar os mais recentes jogos e em caso de recusa, terá de pagar 250 mil euros por cada semana, o que poderá resultar numa multa máxima de 5 milhões de euros, caso deixe as coisas continuarem assim.

A KSA declarou que as caixas de loot são ilegais pois constituem jogo de sorte e desta forma violam a lei do país. Perante a lei holandesa, um jogo de probabilidade que permite que um prémio possa ser obtido apenas pode ser providenciado com a devida licença.

FIFA deixa os jogadores gastar dinheiro real em pacotes Ultimate Team, onde encontras um conjunto aleatório de jogadores para usar online contra outros jogadores ou o computador. FIFA tem sido acusado de encorajar crianças a gastar dinheiro ao tornar-se numa experiência pay-to-win, incrivelmente lucrativa para a EA.

Piers Harding-Rolls, analista na indústria, a série FIFA gera mais de 1.7 mil milhões de euros todos os anos e a grande maioria das receitas são provenientes dos pacotes Ultimate Team.

Em 2018, a KSA investigou uma possível relação entre jogar jogos com caixas de loot e o desenvolvimento da ludopatia. René Jansen disse na altura que é imperativo impedir que crianças sejam expostas a jogos de suporte e apoiava a separação dos jogos de sorte do gaming, especialmente porque os mais jovens são mais suscetíveis a desenvolver um vício.

A KSA pediu às companhias de videojogos para adaptar os seus jogos para não infringirem a lei holandesa e várias companhias assim fizeram, mas a EA não foi uma delas. Em sua defesa, a EA alegou que procura tornar os jogos o mais divertidos o possível e que as caixas de loot são mecânicas surpresa que tornam a experiência altamente apelativa para os jogadores.

Em Janeiro de 2019, as autoridades belgas viram a sua vontade finalmente concretizada, quando a EA retirou os FIFA Points de venda, após investigações a partir das quais podiam surgir queixas crime contra a EA. Para o governo belga não existem dúvidas, as caixas de loot são um jogo de sorte e podem criar vício, algo periogoso para os mais novos.

Em países como Portugal, os FIFA Points continuam disponíveis para compra e os pacotes começam nos 2.49 euros e podem ir até aos 99.99 euros, dependendo do quanto queres gastar. As probabilidades de obter as melhores cartas também tem sido algo criticado pela comunidade de FIFA, que alega que a EA apresenta probabilidades ridículas, apenas para que gastes mais dinheiro real.

1

Salta para os comentários (14)

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Conteúdos relacionados

Também no site...

A Juventus é exclusiva do PES 2020

Será o único jogo com o nome do clube, o emblema e estádio.

PES 2020 - Demo chegará a 30 de Julho

Arsenal, FC Barcelona, Palmeiras, Flamengo e mais.

FIFA 18 - As melhores promessas e estrelas escondidas

Os jogadores melhores e com mais potencial com menos de 21 anos.

PES 2020 não terá o Liverpool licenciado

O contracto com a Konami terminou.

PES 2020 - Data de lançamento, Gameplay, Trailer - Tudo o que sabemos

O que esperar do novo simulador de futebol da Konami?

Comentários (14)

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários