"Streamers deviam pagar comissões aos estúdios", diz diretor criativo na Google Stadia

As editoras permitem transmitir gameplay e não ganham com isso.

Alex Hutchinson, que atualmente trabalha como diretor criativo num dos estúdios da Google Stadia, semeou o caos ao comentar que os streamers deviam pagar comissões aos estúdios pelo dinheiro que ganham a transmitir os seus jogos.

Hutchinson, que trabalhou na equipa criativa de jogos como Far Cry 4, Assassin's Creed 3, The Sims 2 e mais recentemente criou Journey to the Savage Planet antes de ser recrutado pela Google, escreveu no Twitter que a indústria dos videojogos é a única que permite aos criadores de conteúdos transmitir vídeos sem pagar comissões, algo que devia ficar na mente desses criadores.

"Os streamers preocupados em ver o seu conteúdo removido porque usaram música pela qual não pagaram deviam estar mais preocupados pelo facto de transmitirem jogos que também não pagaram. Desaparecerá tudo assim que as editoras decidiram forçar isto."

"A verdade é que os streamers deviam pagar aos estúdios e editoras pelos jogos que transmitem. Deviam comprar uma licença, como em qualquer outro negócio e pagar pelo conteúdo que usam."

Os comentários de Hutchinson geraram imensa polémica e tornaram a palavra "Stadia" numa das mais comentadas em todo o mundo no Twitter, especialmente porque muitos confundiram a sua posição. Hutchinson é o diretor criativo de um dos estúdios da Google, em Montreal, no Canadá, mas não é o diretor criativo de toda a Google Stadia, algo que muitos ficaram a pensar que é.

Como seria de esperar, diversos criadores de conteúdos decidiram reagir e criticar as palavras de Hutchinson, especialmente streamers focados no Youtube, plataforma da Google, defendendo que existe uma relação de mútuo apoio. Os jogos transmitidos ganham mais visibilidade e mais pessoas decidem comprá-los, o que beneficia ambas as partes.

Hutschinson não recuou e voltou a carregar no mesmo sentido, acrescentando que é "espantoso para mim que as pessoas estejam incomodadas por alguém dizer que os criadores do conteúdo devem ganhar algum dinheiro quando outra pessoa usa o seu conteúdo para lucrar."

Tudo isto motivo a Google a agir e fez isso através de um comunicado, esclarecendo que as palavras do seu funcionário não representam a Google Stadia, a Google e muito menos o Youtube.

"As recentes mensagens de Alex Hutchinson, diretor criativo no Montreal Studio da Stadia Games and Entertainment, não refletem as da Stadia, YouTube ou Google."

Ryan Wyatt, um dos principais responsáveis por gerir o gaming no Youtube, também comentou a situação e também se afastou das palavras proferidas por Hutchinson.

"Acreditamos que as Editoras e Criadores têm uma espantosa relação simbiótica que permitiu a criação de um ecossistema próspero. Um que beneficiou mutuamente toda a gente!"

Salta para os comentários (51)

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Conferências Gamescom 2019 - Confere as datas e horas

O teu guia para o maior evento de videojogos do ano.

A Switch Lite tem melhor bateria

É ainda mais pequena e leve que o modelo original.

A Switch Lite não veio para substituir a 3DS

Enquanto houver procura, a velha portátil será suportada.

Anunciada a Nintendo Switch Lite

Exclusivamente portátil e mais barata.

Comentários (51)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários