Epic pede ajuda ao tribunal para parar o que diz ser retaliação da Apple

Quer Fortnite na App Store mesmo quebrando as políticas da Apple.

A Epic Games decidiu recorrer a um tribunal para impedir o que descreve como "retaliação" da Apple.

A companhia submeteu um pedido para colocar novamente Fortnite na App Store, enquanto o seu caso anti-monopólio decorre contra a criadora do iPhone, dispositivos para os quais o battle royale não está mais disponível.

No final de Agosto, a Apple encerrou a conta de programador da Epic, bloqueando a sua capacidade de actualizar Fortnite, após a Epic Games ter decidido voluntariamente quebrar as políticas e normas estabelecidas para a App Store, num acto de rebeldia contra os 30% que a Apple exige da receitas das apps existentes na sua loja digital.

"Hoje pedimos ao Tribunal para impedir a retaliação da Apple contra a Epic por se atrever a desafiar restrições ilegais enquanto o nosso caso anti-monopólio decorre," disse a Epic. "Isto é um passo necessário para libertar os consumidores e programadores do dispendioso e anti-competitivo controlo da Apple."

A Epic lançou a campanha #FreeFortnite nas redes sociais e tentou pressionar a Apple, mas após pedir a ajuda dos consumidores, decidiu recorrer aos tribunais para conseguir colocar Fortnite na App Store e recuperar a sua conta de programador. A Epic Games afirma que sofrerá danos irreparáveis e que o número de jogadores Fortnite no iOS desceram mais de 60% desde que foi removido da loja digital da Apple.

Segundo a Epic, a plataforma iOS é a maior de Fortnite, com mais de 116 milhões de jogadores registados, quase um terço dos 350 milhões de utilizadores registados no battle royale. Além disso, a Epic alega que 63% dos jogadores iOS de Fortnite apenas o jogam no dispositivo iOS. A companhia teme que não voltará a ver de novo os jogadores iOS que deixaram de jogar o jogo, uma vez que esta versão não recebeu a mais recente actualização com a Season 4 do Chapter 2 e que a comunidade está dividida.

A Epic alega que a Apple ameaçou bloquear qualquer tentativa de tentar obter uma nova conta de programador e que a remoção de Fortnite da loja iOS impedirá a iniciativa de tornar Fortnite num universo persistente. "Danos como estes feitos à principal app da Epic não podem ser calculados em danos."

As acusações de uma Apple monopolista, que proíbe qualquer tipo de concorrência, algo que acredita ter sido demonstrado quando Fortnite foi removido da App Store, após desafiar as regras. Do seu lado, a Apple diz que permitirá o regresso de Fortnite à sua loja se a Epic decidir que quer novamente respeitar as suas regras e políticas.

Douglas G. Vetter, Vice Presidente e Conselheiro Geral Associado da Apple disse que "certamente a Epic compreenderá que a Apple tem o direito a um retorno do seu investimento e do uso da sua propriedade. Afinal de contas, a Epic esforça-se imenso para proteger os seus próprios investimentos e propriedade intelectual."

"No entanto, acredita que a Apple não tem o direito a fazer o mesmo e quer todos os benefícios que a Apple e a App Store fornecem, sem querer pagar um cêntimo. A Apple não se pode curvar a uma exigência sem sentido."

No entanto, tendo em conta o fim de semana prolongado nos Estados Unidos, não são esperadas grandes evoluções.

Salta para os comentários (40)

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (40)

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários