Fizemos um test drive a Project Cars 3 no PC

Slightly Mad Studios aposta na evolução.

Já lá vão quase três anos desde o último lançamento de Project Cars, uma série que, embora não tenha alcançado a popularidade de Forza Motorsport ou Gran Turismo, tem a ambição de conseguir um lugar no pódio entre as grandes referências do género. Apesar da proximidade das consolas de próxima geração, Project Cars 3 repete as plataformas do título anterior e será lançado para PC, PS4 e Xbox One já a 28 de Agosto deste ano. Tal como acontece antes de comprarmos um novo carro, é conveniente fazer um test drive. Felizmente, recebemos um convite para isso mesmo e podemos partilhar convosco as nossas primeiras impressões desta nova incursão da Slightly Mad Studios no universo dos desportos monitorizados.

Project Cars 3 aposta novamente num modo carreira, que foi revisto e bastante aperfeiçoado. Está agora mais interessante e profundo quando o comparamos a PC2. Neste modo, começamos por um nível baixo comprando um veículo e vamos completando eventos propostos que nos atribuem experiência e créditos para posteriormente comprar mais novos carros e melhorias para os mesmos. No geral, a experiência está mais apelativa, contribuindo muito para isso o facto de agora se poder comprar carros e os modificar.

Na verdade, é uma estreia em Project Cars o facto de se poder comprar e alterar os carros a nosso gosto ou conforme os objectivos propostos pelos eventos, muito à semelhança de jogos rivais. A alteração do bólide vai mais além do facto de se colocar determinado pneu, ou melhorar o motor, alguns dos veículos têm até kits completos de modificação para corrida, que altera por completo o seu visual bem como o desempenho em pista.

"É uma estreia em Project Cars o facto de se poder comprar e alterar os carros a nosso gosto"

Outra opção/modo de jogo que podemos seguir é denominada por Rivals .São desafios que tanto podem ser diários, semanais e até mensais. Nesses desafios temos que, como é óbvio, completar o que nos pedem, como por exemplo hot laps. A nossa performance é comparada com a de outros jogadores, existindo assim um ranking e tabelas de liderança a nível mundial a comparar todos os que aí participam.

CorvetteStingray_Shanghai_3
Visualmente dá um salto em relação ao antecessor.

"É de enaltecer a preocupação que a Slightly Mad Studios teve em melhorar o controlo dos carros através do comando"

Claro que não poderia faltar o modo multiplayer, que não irei cobrir nesta preview já que não se encontrava disponível. Finalizando os modos de jogo, temos por último a possibilidade de criar corridas a nosso gosto, escolhendo o circuito, as condições da pista e carros, e outros parâmetros óbvios. O acesso aos modos de jogo é muito mais intuitivo que anteriormente, havendo uma enorme melhoria no interface do jogo.

Como é natural, jogar de volante é o mais adequado, mas é de enaltecer a preocupação que a Slightly Mad Studios teve em melhorar o controlo dos carros através do comando, nota-se uma grande evolução em relação ao jogo anterior e até se conseguem tempos muito competitivos. Existe agora uma enorme afinação na precisão dos analógicos e dos gatilhos, que podemos pressionar com a força que se deseja e o jogo responde de uma forma eficaz. Já não existe aquele handicap entre o volante e o comando, algo que era bastante evidente em PC2.

Visualmente, em termos de grafismo, nota-se uma evolução em relação ao jogo anterior, com os carros e circuitos mais detalhados. Inicialmente o salto na qualidade visual não era evidente, mas tirei as dúvidas voltando a jogar PC2 e colocando os dois jogos lado a lado. Há que sublinhar que só tivemos acesso à versão para PC, não sei se o salto visual nas versões de consola é exactamente igual.

No território da física - a parte mais importante num jogo de condução - a minha adaptação foi muito fácil, pois já percorri quilómetros de asfalto a competir no multiplayer de PC2. Realmente, já tinha saudades de me sentar no meu setup simulador de corrida. Havia alguma dúvida em relação à direcção que o jogo iria levar após a aquisição da Slightly Mad Studios por parte da Codemasters, que poderia dar um novo rumo e seguir um sentido mais arcade. Não me parece motivo para preocupação, já que apenas o interface está mais colorido e simplificado, afastando-se um pouco daquele aspecto mais técnico dos dois primeiros jogos. Colocarei mais pormenores relacionados com a física do jogo na análise que irei fazer à sua versão final.

"Podemos ter em vista um jogo que irá agradar a um universo mais alargado de jogadores"

Ainda falta praticamente um mês para o lançamento, e há melhorias a fazer, principalmente em relação à performance no PC, que ainda se nota algo enferrujada. Neste momento o jogo é bem exigente. Jogámos com um Intel Core i7-8700k e uma Nvidia GTX 1080ti a 1440p, e tivemos dificuldades em superar os 60fps, principalmente quando temos muitos oponentes em pista e quando as corridas decorrem com chuva.

Resumindo esta minha primeira experiência com o jogo, existe um esforço em o direccionar para um público mais desejoso por um modo carreira aprofundado e ao mesmo tempo de fácil integração. Não quer isto dizer que a Slightly Mad Studios mudou o rumo do jogo, acredito que não, pois em termos de física continua a ser muito semelhante ao antecessor. Podemos ter em vista um jogo que irá agradar a um universo mais alargado de jogadores, com uma união de dois mundos. Resta agora esperar pela versão final de Project Cars 3, que como já disse, chega a 28 de Agosto deste ano.

Salta para os comentários (7)

Sobre o Autor

Adolfo Soares

Adolfo Soares

Director

É o nosso homem do PC, por isso qualquer coisa é com ele. É também responsável pelo Eurogamer, bem como dá uma perna nas notícias.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (7)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários