As influências do cinema samurai em Ghost of Tsushima

Desde o enredo, personagens, câmara e tudo o mais.

Ghost of Tsushima é verdadeiramente um jogo apaixonante para os que vivem fascinados com a cultura japonesa, especialmente com os míticos guerreiros samurai, que se regiam por um código de honra e respeito. A Sucker Punch inspirou-se fortemente nestes guerreiros para criar Ghost of Tsushima, o seu mais recente jogo, tal como se inspirou na bela ilha de Tsushima, no Japão, como uma forma de condensar todo o seu encanto por aquele país. No entanto, existe uma característica de Ghost of Tsushima que é uma das suas mais marcantes.

Ghost of Tsushima foi altamente influenciado pelo cinema samurai, especialmente pelo mestre Akira Kurosawa e és um grande adepto dos samurais, certamente tiveste o teu período no qual consumiste fervorosamente filmes japoneses, especialmente as obras de Kurosawa. O mítico realizador japonês é responsável por filmes marcantes, que perduram ao longo das décadas, graças a um estilo que torna especial até a mais banal das cenas. Seja pela teatralidade, jogo de luz e sombra, mais tarde com o acréscimo da cor, as expressões faciais dos seus personagens, enquadramento das cenas ou até pelos dilemas que explora em narrativas que se ramificam além do que está à superfície, existem imenso a apreciar nas obras de Kurosawa.

Recordo que a chegada de Onimusha às lojas me incentivou a explorar o cinema samurai para manter viva essa paixão e no meu circuito Kurosawa, centrado nos filmes de samurais, comecei quase naturalmente por "Seven Samurai", um dos seus mais aclamados filmes. Com esta sensacional obra, descobri o actor Toshiro Mifune, que com as suas arrebatadoras performances conquistou direito a protagonizar inúmeros filmes de Kurosawa. Focado nesta "dupla", assisti a filmes como "Yojimbo", "The Hidden Fortress", "Sanjuro", Throne of Blood", "Red Beard" e outros mais, sem esquecer outros como "Ran".

1

Não vou falar aqui do quão fascinantes são estes filmes de Kurosawa e como se tornou numa referência, mas a verdade é que após assistir aos seus filmes, fiquei sempre com a vontade de ter um jogo de acção e aventura em mundo aberto com samurais. Um jogo mais ambicioso do que Onimusha conseguiria ser, o que até me fez explorar séries como Dynasty Warriors e Samurai Warriors para tentar preencher esse desejo. Claro que não podia estar mais longe do objectivo, mas assim que joguei Ghost of Tsushima, percebi que o momento tinha chegado.

É fácil jogar Ghost of Tsushima e sentir que estamos perante uma espécie de "Akira Kurosawa: The Videogame" e isso vai muito além do filtro Kurosawa ou da capacidade de o jogar a preto e banco. Essa sensação provém da metodologia empregue pela Sucker Punch, que avança os mesmos filmes aos quais assisti como das principais influências para o seu jogo.

2

"Existem cenas e actividades que relembram momentos dos mais icónicos filmes de samurais".

Desde o argumento na narrativa principal aos contos opcionais e às tarefas que podes realizar em Ghost of Tsushima, existe muito do cinema samurai nos seus poros. A qualquer momento, enquanto cavalgas no meio das flores que ondulam com o vento guiador, poderás encontrar um inesperado momento que te remete para os filmes de samurais. Desde os primeiros instantes que podes ver as influências de Akira Kurosawa neste trabalho da Sucker Punch, seja na forma como a câmara é posicionada na sequência inicial ou no discurso que dá início à batalha.

Ghost of Tsushima começa com pompa e circunstância, começa com um momento que pretende arrepiar-te, que mostra um confronto de grande escala na qual um enorme exército invasor terá de ser derrotado por um pequeno grupo de samurais. É uma espécie de "Batalha das Termópilas", na qual o teu Jin Sakai assume o papel do Rei Leônidas I para tentar travar os mongóis. Existe aqui um certo dramatismo e exagero que não parece enquadrar-se em pleno com o que o gameplay em si permite, mas as primeiras batidas da narrativa são feitas com um método que será familiar para os que se apaixonaram pelo cinema samurai.

3

É um pouco difícil abordar esta temática e esta influência sem aprofundar acontecimentos de história que decorrem numa fase mais avançada, mas vou-me focar na fase inicial do jogo e nos momentos que a exploração livre permite. Ghost of Tsushima não te coloca amarras e deixa-te explorar à vontade o seu mundo de jogo, o que permitirá que o meu percurso no jogo seja totalmente diferente do teu, que desbloqueies coisas primeiro do que eu. Não existe forma errada de o jogar, não existe um caminho ideal para o vento guiador. Existe apenas a tua curiosidade para saciar e paisagens poéticas a absorver.

No entanto, enquanto exploras esta versão reduzida da ilha de Tsushima, encontrarás situações aleatórias, contos opcionais como já referido e locais para libertar das garras dos invasores. É nestes momentos que encontrarás ainda mais o efeito de Kurosawa na equipa responsável pelo jogo. Aquela cena inicial em que Yuna age com enorme teatralidade para se mostrar indefesa perante o soldado mongol é um bom indicativo, o exagero e a expressividade facial que caracteriza as películas de Kurosawa estão bem presentes aqui, na sua esmagadora maioria através do elenco de suporte e não propriamente através de Jin Sakai.

4

Ao explorar Tsushima, deparei-me perante com situações que frequentemente pareciam prestar homenagem directa aos filmes dos mestres japoneses. Seja através das aldeias ou povoações que tens de libertar, que originam diálogos que te poderão fazer pensar em "Seven Samurai" ou seja na forma como o Yojimbo de Toshiro Mifune parece ter sido a base de algumas actividades opcionais e combates, é fácil para um apaixonado pelo cinema samurai ficar rendido a Ghost of Tsushima.

Estarás em sintonia com a Sucker Punch e receptivo às suas mensagens, apreciador das suas influências e prestarás mais atenção a determinadas poses, falas, enquadramento cinematográfico, iluminação e até procurarás posicionar a câmara para tornar mais intenso um qualquer duelo. Acredito que Ghost of Tsushima permite que te transformes num realizador de cinema samurai, dando a sensação que nenhuma cena, nenhum segundo da exploração do mundo aberto desilude, apenas precisas procurar o enquadramento certo.

5

"O silêncio antes da tempestade. As pausas que antecipam os duelos e os comentários em si são constantes reflexos do que o cinema samurai nos ensina".

No entanto, mais do que as cenas ou a forma como a câmara é posicionada, sem esquecer claro algumas situações ao longo do gameplay em si, são as personagens e a forma como são capturadas pela "lente" da Sucker Punch que me continuam a fascinar. Existem diversas subtis homenagens ao cinema samurai e se procurares por esses filmes, acredito que começarás a sentir de que formas Ghost of Tsushima ostenta essas influências.

O mais importante é como o gameplay assente numa metodologia minimalista e livre é engrandecido com esta influência no cinema samurai. Sendo um jogo que decorre no Japão Feudal, parece quase óbvio que a Sucker Punch teria de perseguir essas obras para obter maior conhecimento de como expressar a suas mensagens visuais, mas não acredito que fosse tão óbvio quanto isso. As inspirações podiam ser outras, mas agradeço que tenham sido estas.

8

Salta para os comentários (12)

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (12)

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários