Burnout Paradise Remastered Switch review - queimar borracha

Sensacional em modo portátil.

Burnout Paradise Remastered chegou finalmente à Nintendo Switch e isto representa uma oportunidade para jogar um dos maiores clássicos da era PS3 e Xbox 360. Desenvolvido em 2008 pela Criterion Games para a Electronic Arts, Burnout Paradise transportou para os mundos abertos o género de corridas e introduziu diversos dos elementos e mecânicas gameplay que ainda hoje perduram com impressionante vigor. Um jogo de condução arcada, que rompeu com os moldes dos anteriores e se desafiou a ir mais além, apostando numa velocidade frenética, gameplay incrivelmente acessível e constantes novos desafios.

Disponível desde 2018 para a Xbox One e PS4 - versão que na altura teve direito a um Recomendado - Burnout Paradise Remastered chegou finalmente à Nintendo Switch e torna-se no mais recente exemplo de uma experiência que te agarra de imediato pela sua acessibilidade, quando dás por ela estás conquistado. Como é normal, existem concessões tomadas para assegurar que o jogo corre na perfeição na dock e portátil, tornando-se num dos seus maiores atractivos.

O Paraíso antes do Horizonte

Burnout Paradise foi uma total reinvenção da série Burnout, pensado, na altura, como um jogo verdadeiramente de nova geração, com gameplay e design de nova geração. Essa ambição recompensou imenso na altura e em 2020 consegues perceber a sua grandiosidade e o quão bem envelheceu. O seu impacto é imenso e perceptível, pois antes de Forza Horizon da Playground Games ter chegado e conquistado, a Criterion aplicou muitos desses conceitos nesta Paradise City, que infelizmente nunca teve sequela.

Um jogo de condução arcada, em mundo aberto, com ciclo de dia e noite, aceder em tempo real a locais para trocar rapidamente de carro, no qual podias activar o modo online com o simples pressionar de um botão e no qual cada cruzamento permite entrar num de diversos estilos de evento (corrida, duelo, corridas Takedown para eliminar adversários ou corrida acrobática) são os principais traços da personalidade de Burnout Paradise e que o consagraram como um jogo revolucionário em 2008. Muitas dessas mecânicas e facetas do design podem hoje ser referidas sobre a série Forza Horizon (evoluídas ou adaptadas), mas a verdade é que este jogo foi o ponto de partida.

É mesmo isto que Burnout Paradise Remastered é, um jogo de condução arcade que parece simplesmente não ficar sem carga. Estás constantemente a acelerar por Paradise City e arredores, sempre atento aos cruzamentos para iniciar uma corrida, que decorrerá a tamanha velocidade que os teus reflexos serão testados. A condução é incrivelmente fluída, imediata e derrapar é aconselhado, para aumentar os pontos e o nitro. Esta versão Burnout Paradise Remastered inclui todos os conteúdos e actualizações lançados para o original. Isto significa que poderás começar desde logo a jogar com motos, carrinhos de brincar ou desfrutar dos carros especiais, ultrapassando a experiência original de começar do zero e crescendo corrida a corrida.

Portabilidade num clássico fenomenal

Não podemos negar que a portabilidade está a injectar novo ânimo em clássicos de outrora e que perder algum polimento visual é uma contra-partida que alguns estão dispostos a aceitar. Desde que seja um acto equilibrado e não comprometa em demasia a experiência gráfica, os ports para a Nintendo Switch permitem desfrutar de jogos como Burnout Paradise Remastered em qualquer lugar e no caso deste jogo da Criterion Games, é algo que se torna mais sensacional do que pensas.

Como referido, Burnout Paradise Remastered é um jogo sem igual na Nintendo Switch, um jogo de condução arcade em mundo aberto, com um gameplay frenético e a electrizantes 60fps. Apesar da sua idade, Burnout Paradise Remastered aguenta-se muito bem, mas como seria de esperar, quando o comparas com outras versões existentes, a perda de qualidade visual é mais perceptível e até poderá ter mais impacto do que previas. A descida na resolução na dock afecta um pouco a percepção dos percursos e, no pequeno ecrã da Switch, poderás começar a sentir que te despistas mais do que normal pois a combinação da elevada velocidade com o pequeno ecrã torna mais difícil perceber os trajectos, especialmente no meio da cidade à noite.

No entanto, Burnout Paradise Remastered continua incrivelmente imediato, divertido como poucos e na Switch poderás levar essa diversão para qualquer lugar. Foi precisamente essa acessibilidade que me permite começar a jogar em segundos que me fez continuar a ter vontade de jogar um jogo que joguei até à exaustão em 2008. Além do mais, não existe nada semelhante na Nintendo Switch e o que realmente confirma o estatuto sublime de Burnout Paradise é que passados 12 anos ainda continua incrivelmente divertido e actual.

Prós: Contras:
  • Remaster altamente competente com uma performance muito boa
  • A banda sonora ainda traz boas memórias
  • Pacote completo de um dos mais divertidos jogos da sua geração
  • Possibilidade de jogar em modo portátil um jogo de carros sem igual nesta plataforma
  • Ocasionalmente, a velocidade poderá tornar difícil perceber o que estamos a ver no pequeno ecrã
  • Jogar em modo dock poderia apresentar mais melhorias visuais

Lê o nosso Sistema de Pontuação

Salta para os comentários (5)

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (5)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários