Dragon Quest 11 S: Definitive Edition - Maravilhoso

Verdadeiramente, definitiva.

Dragon Quest XI S: Echoes of an Elusive Age - Definitive Edition está finalmente disponível na Nintendo Switch e isso significa que a Square Enix entregou à consola da Nintendo aquele que é provavelmente o melhor JRPG da geração. Disponível desde Setembro de 2018 na PlayStation 4 e PC, Dragon Quest 11 chegou à híbrida numa versão S - Definitive que mostra bem o porquê de envergar esse nome. Dragon Quest XI S é uma versão melhorada e refinada de um título que traçou cuidadosamente a delicada linha entre legado e futuro, um JRPG que apesar de inserir novidades numa das mais acarinhadas e respeitadas séries entre os Japoneses, implementou os primeiros passos para a preparar para uma nova geração.

Há cerca de um ano atrás, estava a analisar o jogo na PS4 Pro e agora, dei por mim completamente rendido e incapaz de parar de jogar este versão Nintendo Switch. Depois de 90 horas na versão PS4 e 80% dos Troféus conquistados, jamais esperaria investir tão cedo o meu tempo em Dragon Quest XI S além da mera curiosidade. Mas este é um dos meus jogos favoritos desta geração e a versão Nintendo Switch apresentou argumentos que me deixaram convencido que estava na hora de reviver a jornada do Luminary.

A versão Nintendo Switch do cómico, charmoso, encantador e glorioso Dragon Quest XI S - todos estes elogios são merecidos, apresenta novidades que a tornam superior às existentes (PS4 e PC). A esperada descida na qualidade dos visuais não impede que o jogo ostente uma qualidade impressionante na híbrida, especialmente devido à estética escolhida pela Square Enix neste jogo que usa o Unreal Engine 4. É surpreendente ver Dragon Quest XI S a correr no pequeno ecrã quando jogas em modo portátil. A capacidade para jogar um título desta envergadura em qualquer lugar é inesperadamente divertida e apelativa, mas são as inúmeras novidades, melhorias, ajustes e refinamentos que elevam esta versão a um novo patamar e o porquê de ter ficado rendido.

Dragon Quest 11 S contém mais de 60 melhorias ou novidades, algo que num jogo tão divertido como o original apenas significa que o bom se tornou delicioso. Tão simples quanto isto. Dragon Quest 11 S é um jogo verdadeiramente mágico, pensado para honrar as expectativas de um povo que cresceu com este jogo e capaz de encantar sonhadores de todas as idades, dos 8 aos 80. É um marco Japonês e em todos os instantes deste mundo colorido e variado que vais percorrer, notarás facilmente o carinho inserido em cada elemento da narrativa, combates por turnos ou exploração dos cenários. A estrutura de ambientes de maior escala não significa uma experiência em mundo aberto, mas dá uma sensação bem equilibrada de algo aproximado.

"As novas vozes Japoneses tornam a sua emocional e adorável história mais envolvente"

Dragon Quest 11 S é um JRPG altamente acessível, é pensado para todo o tipo de jogadores que respeitam o significado do nome Dragon Quest, mas o equilíbrio entre a acessibilidade e a opcional profundidade é bem gerido. Nesta nova versão, a Square Enix foi ainda mais além e apesar de te dar as mesmas opções adicionais de dificuldade, melhorou imenso a experiência. Recordo-me de diversos segmentos que tive de repetir na PS4 e na Switch passei à primeira (como a fuga do dragão na caverna), não porque sabia o que fazer, mas sim porque foram alvo de melhorias importantes. Além disso, esta versão Switch recebeu refinamentos que melhoram a qualidade geral da experiência, sejam as vozes Japonesas, as novas secções de história ou até a possibilidade de acelerar o ritmo das batalhas. O grind não é pesado em Dragon Quest 11 S, mas a opção é mais do que bem vinda para alguns momentos e dificuldades superiores.

No meio destas melhorias e novidades, muitas delas pequenas que nem darás por elas, algumas são significativas e tornam-se imprescindíveis. O Photo Mode é um bom exemplo e uma curiosidade, mas a nova banda sonora orquestral é sensacional e traça finalmente uma linha entre passado e futuro. No entanto, existe uma novidade que se torna fascinante, o novo modo 2D que me fez sorrir horas a fio. A versão Nintendo Switch dá-te acesso à versão PC/PS4 original, mas também te deixa jogar no modo 2D, disponível na versão 3DS - que ficou pelo Japão, até agora. Em qualquer igreja ou estátua divina onde podes gravar o progresso, podes alternar para 2D e o progresso é separado. O modo 2D mostra-te Dragon Quest 11 S como se fosse um jogo da SNES e é um trunfo sublime que a Square Enix deu à Nintendo.

Se tens uma Nintendo Switch e estás à procura de um dos melhores jogos desta geração, não percas tempo, Dragon Quest XI S: Echoes of an Elusive Age - Definitive Edition tem argumentos suficientes para elevar um clássico instantâneo para um patamar superior. Seja na dock ou em modo portátil, é difícil não ficar encantado com o charme do Luminary e companheiros, numa história emocionante e que vai mexer contigo. A versão original representa um dos maiores triunfos do recente percurso conturbado da Square Enix, a versão Definitive na Switch glorifica-o.

Publicidade

Salta para os comentários (25)

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (25)

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários