Sayonara Wild Hearts é um dos mais fantásticos jogos de 2019

Novo desafio ao conceito de experiência interactiva artística.

A indústria dos videojogos não é estranha a experiências interactivas que desafiam o conceito de videojogo. Este Sayonara Wild Hearts é o mais pertinente exemplo disso, um "eufórico sonho transformado em vídeo musical" da mente dos Suecos na Simogo. Apesar de apresentar mecânicas que confirmam que estás perante um videojogo, Sayonara Wild Hearts coloca o foco na componente visual e sonora, não fosse este um vídeo musical transformado num videojogo e a verdade é que, inesperadamente, resulta. Supostamente não deveria resultar, mas a qualidade da criatividade artística é imensa.

Sayonara Wild Hearts é uma experiência breve - dura pouco mais de uma hora - mas é absolutamente frenética, inspirada e memorável. Imagina que vais escutar um álbum de música electrónica composto por temas que te absorvem e reforçam a sensação de imersão, mas cujo vídeo é interactivo e a personagem principal é controlada por ti. No entanto, isto é um sonho surreal e repleto de segmentos abstractos embalados por uma fenomenal sensação de estilo. A dada altura ficarás com a certeza que a Simogo ama imenso Persona 5. Em vários segmentos parecia que estava perante uma versão alternativa dos Phantom Thieves - especialmente quando envolve corações roubados.

Estes Suecos não se contiveram e revelam uma veia artística vibrante.

O mais surpreendente é como foi alcançado um resultado visual e estético verdadeiramente majestosos através de um estilo minimalista. Poderás ficar facilmente impressionado com as cenas, ritmo e a forma como a música complementa tudo, mas a estética visual minimalista também é um dos seus triunfos. Desenvolvido por um estúdio cujo currículo confirma a sua forte veia artística e a vontade de brincar com o conceito de realidades alternativas através de sonhos, a carga artística e a forma como te deparas com tantas cenas inesperadas não deixa de surpreender.

Sayonara Wild Hearts é um álbum cujas faixas inspiram loucos níveis, nos quais uma mulher de coração partido lutará contra diversos desafios para encontrar a sua outra metade. The Fool, o seu nome neste sonho, percorrerá o imaginário dos seus sonhos em busca de si mesma, mas também será transportada para uma cidade onde perseguirá Little Death e os seus aliados: os Dancing Devils, Howling Moons, Stereo Lovers e Hermit 64

Em termos de gameplay, isto significa que nesta surreal experiência musical interactiva, carregada de estilo e audácia. Terás de movimentar The Fool para recolher corações e tentar obter a melhor pontuação possível, num gameplay on-rails. Não existe Game Over em Sayonara Wild Hearts, mas algumas músicas/níveis mais exigentes vão-te forçar a repetir alguns checkpoints (que podes avançar se forem muito difíceis). Existem músicas/níveis absolutamente geniais, embebidos em estilo e criatividade artística. Em alguns momentos, até a perspectiva é usada como ferramenta para elevar o gameplay e algumas perseguições de moto passam para a primeira pessoa, por exemplo.

A banda sonora faz parte da essência e eleva a imersão e envolvimento.

Desde já peço desculpa pelos spoilers, mas não posso deixar de partilhar este excelente exemplo da genialidade artística revelada pela Simogo neste Sayonara Wild Hearts. Numa determinada faixa deste álbum, o surreal sonho da protagonista faz com que seja transformada num cartucho e inserida numa espécie de capacete de realidade virtual. Naquele local, terás de navegar, a partir de diferentes perspectivas, por sublimes homenagens a clássicos de outras gerações - relembrando de forma muito divertida o gameplay de alguns jogos dos anos 80.

O estilo é mais do que muito, mas também ostenta substância e por isso mesmo, Sayonara Wild Hearts é mais um inesperado desafio ao conceito do que é um videojogo. É uma experiência interactiva de grande qualidade artística que efectivamente se torna numa das mais fantásticas experiências de 2019. As músicas compostas por Daniel Olsén (Ilomilo, Year Walk) e Jonathan Eng (The Sailor's Dream) estão disponíveis no Spotify e se gostares do que ouves, imagina-as acompanhadas de uma experiência visual verdadeiramente sensacional. O Sayonara aos Wilds Hearts resulta na chegada de um mais um forte indie que vibra com energia.

Publicidade

Salta para os comentários (8)

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Conteúdos relacionados

Todos os jogos da Ubisoft e Warner Bros. em promoção na Xbox One

O difícil é escolher o que queremos comprar.

Arrancaram os testes do xCloud da Microsoft

Por enquanto apenas para E.U.A, Reino Unido e Coreia.

PS5 poderá não ser retro-compatível com todos os jogos PS4

A Sony está a trabalhar nesse sentido, mas não o pode garantir.

State of Play - Assiste aqui em directo

The Last of Us: Parte 2 está confirmado!

Também no site...

Comentários (8)

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários