Cadence of Hyrule - Análise- Ritmo irresistível

Inesperada homenagem a um clássico.

Cadence of Hyrule é a mais recente energética demonstração da colorida tonalidade que os indies pintam na indústria. Desenvolvido pela Brace Yourself Games, um inesperado acontecimento tendo em conta o quão proteccionista a Nintendo é com as suas propriedades, Cadence of Hyrule é o cruzamento entre Crypt of the NecroDancer e The Legend of Zelda, tal como o nome sugere.

A Brace Yourself Games pegou no gameplay do seu rogue-like ritmado de NecroDancer e misturou com uma estética The Legend of Zelda para criar uma experiência na qual és enviado para um mundo que presta homenagem aos dois primeiros jogos da série da Nintendo. Cadence of Hyrule envia-te para uma versão de Hyrule na qual um misterioso homem usou os seus instrumentos musicais para adormecer Link, Zelda e o Rei de Hyrule. Cadence, a heroína de NecroDancer, é enviada para Hyrule para acordar Link e Zelda e ajudar a salvar o reino.

No entanto, Cadence of Hyrule não é uma mera recriação de The Legend of Zelda onde percorres o mundo para descobrir masmorras e obter itens para entrar no Castelo de Hyrule e enfrentar Ganon - aqui tudo é feito ao som do ritmo da música. Ao longo dos vários "rectângulos" que compõe Hyrule e os seus 4 principais locais, encontrarás diversos inimigos e, tal como tu, eles movimentam-se com o seu próprio ritmo e padrões. Isto vai-te forçar a agir de acordo para não perderes a vida.

Enquanto derrotas os monstros vais apanhando Rupees e corações, que podem ser usados para comprar itens ou benefícios para a arma, terás de ter em conta que estás num rogue-like, o que significa que perdes itens e Rupees quando perdes a vida. Quando renasces numa Sheikah Stone, apenas terás os diamantes (ganhos ao derrotar todos os inimigos naquele local) e os itens principais (como espadas, boomerangs, escudos e outros itens vindos directamente das aventuras de Link).

O conceito de um rogue-like cuja principal faceta do seu gameplay é exigir que te movas de acordo com o ritmo da música é desde logo surreal e a base de NecroDancer funciona na perfeição com a roupagem The Legend of Zelda. A recriação de locais como Kakariko Village, Gerudo Valley, Lake Hylia e Lost Woods com mecânicas inspiradas nos jogos originais, os diversos locais escondidos, pequenos puzzles para aceder a tesouros ou a locais elevados, Cadence of Hyrule rapidamente se torna em algo mais do que pressionar o botão direccional no momento certo.

Se entrares em pânico ou se fores muito lento, Link e Zelda correm o risco de falhar a batida e não realizam o movimento desejado, ficando à mercê dos inimigos. Este é um jogo no qual o som é fundamental e jogar com uns headphones é quase obrigatório. Eleva a experiência para um novo patamar e faz justiça à qualidade sonora. A experiência não é tão difícil quanto NecroDancer e, apesar da perda de rupees ou itens como tochas, anéis ou botas especiais ser doloroso (quanto mais acumulas, menos queres perder), Cadence of Hyrule permite rapidamente recuperar espólio e ficar novamente pronto. No entanto, alguns inimigos e puzzles vão-te forçar a puxar pela memória - para perceber onde os novos itens te vão permitir finalmente obter um novo tesouro.

Cadence of Hyrule apresenta-te ainda algumas boss fights e todas elas são surpreendentes. Como seria de esperar, estes bosses também são escravos do ritmo e os seus principais movimentos estão relacionados com a batida. Mantém a calma, aprende os seus movimentos e entra no ritmo. Conseguirás despachá-los com relativa dificuldade alguns e outros vão exigir mais de ti. É compreensível que o uso de um nome como The Legend of Zelda force a Brace Yourself a afinar a dificuldade, mas os bosses podiam ser um pouco mais exigentes. No geral, dão-te bons momentos e glorificam o gameplay centrado no ritmo da música.

O respeito e o cuidado que o pequeno estúdio demonstra pela série The Legend of Zelda é imenso, revelando uma grande paixão pela icónica série da Nintendo. Isso é perceptível não apenas nos visuais e na forma como inserem diversas referências aos jogos de decorrem em Hyrule, enquanto tentam criar a sua própria experiência, também é perceptível na música. Um jogo focado no ritmo precisa de música capaz de sustentar a sua essência e Cadence of Hyrule enverga a magistral sonoridade da icónica série da Nintendo. No entanto, a Brace Yourself apresenta as suas versões de temas memoráveis e a sua qualidade é muito boa, o que torna a experiência ainda mais divertida.

Cadence of Hyrule é uma inesperada proposta da Nintendo e figura desde logo como um dos melhores títulos que encontrarás na eShop para a tua Nintendo Switch. Desenvolvido por um pequeno estúdio indie apaixonado pela propriedade que lhe foi emprestada, Cadence of Hyrule vibra com uma forte energia que se torna contagiante através das batidas que definem o gameplay. É um dos jogos mais divertidos que tive a oportunidade de jogar na Nintendo Switch e é fácil ficar encantado com este ritmo.

Prós: Contras:
  • Gameplay focado no ritmo é divertido
  • A estética visual é um mimo
  • Imensas referências a The Legend of Zelda
  • Uso de armas ou itens para solucionar quebra-cabeças
  • Incentiva-te a respeitar o ritmo
  • A banda sonora é sensacional
  • Modo cooperativo aumenta a diversão
  • Poderia ser um pouco mais difícil
  • A longevidade é bastante curta

Publicidade

Lê o nosso Sistema de Pontuação

Salta para os comentários (2)

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Conteúdos relacionados

A Juventus é exclusiva do PES 2020

Será o único jogo com o nome do clube, o emblema e estádio.

Também no site...

Vota já: vais comprar a Nintendo Switch Lite?

A consola chegará a 20 de Setembro.

A Juventus é exclusiva do PES 2020

Será o único jogo com o nome do clube, o emblema e estádio.

Comentários (2)

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários