A Activision parece ter em mente algo diferente para o plano de desenvolvimento rotativo da série Call of Duty, que envolve três estúdios principais - Sledgehammer, Infinity Ward e Treyarch Studios.

Enquanto a Infinity Ward desenvolve o Call of Duty deste ano, praticamente confirmado como Modern Warfare 4, a Sledgehammer trabalha no Call of Duty de 2020, mas a Activision decidiu mudar as coisas.

Segundo avançado pelo Kotaku, a Activision informou a Raven e a Sledgehammer que não vão continuar à frente do projecto e que a Treyarch será a responsável por lançar Call of Duty: Black Ops 5 no próximo ano.

A Sledgehammer Games apresentou em 2017 o popular Call of Duty: WW2 e esta é uma grande mudança no habitual ciclo de desenvolvimento de três anos que permitia aos três estúdios intercalar lançamentos.

A Treyarch apresentou Call of Duty: Black Ops 4 em Outubro de 2018 e estas informações não oficiais indicam que, ao contrário do que aconteceu até à data, não terá dois anos para desenvolver um novo jogo.

O Kotaku diz ter sido informado que a Sledgehammer e a Raven estavam a colaborar num Call of Duty que te iria levar para a Guerra Fria, presumivelmente no Vietname, mas agora vão trabalhar para a Treyarch - para transformar a campanha do seu jogo na campanha de Black Ops 5.

Fontes dentro da Treyarch dizem que isto não é totalmente do seu agrado e que menos um ano para desenvolver o novo jogo significará imensas horas extra e um esforço incrível.

A série Call of Duty permanece uma das mais populares da indústria, mas as vendas de Black Ops 4 não se mantiveram em alta tanto tempo quanto a Activision gostaria e a editora está a pensar em formas de dinamizar o nome Call of Duty.

Jason Schreier do Kotaku diz ter conversado com pessoas nestes estúdios e ter descoberto que a relação entre a Raven e a Sledgehammer não era das melhores e que as discussões eram demasiado frequentes, o que forçou a Activision a tomar medidas.

Publicidade

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.