Voz original de Claptrap diz ter sido agredido pelo CEO da Gearbox e fala da sua ausência em Borderlands 3

David Eddings diz ter sido forçado a revelar a verdade.

Esta não é a primeira telenovela na qual Randy Pitchford, CEO da Gearbox Software, que trabalha em Borderlands 3, se vê envolvido, mas é uma das mais intrigantes e até preocupantes.

Recentemente, Pitchford esteve no centro de outras polémicas relacionadas com Borderlands 3, como a sua reacção às reacções da exclusividade Epic Games Store na versão PC do jogo, mas também devido à sua aparente incapacidade para compreender o que são micro-transacções e a sua presença no seu próximo jogo.

No passado, o CEO da Gearbox já tinha gerado controvérsia ao negar uma versão f2p de Battleborn enquanto anunciava uma versão f2p e quando reagiu às críticas a Alien: Colonial Marines - sem esquecer as acusações de posse de pornografia infantil.

As controvérsias seguem Pitchford e as suas reacções caricatas já se tornaram bem conhecidas, mas agora temos uma que terá maior impacto para os fãs de Borderlands pois fala de uma ausência de peso e de possíveis mentiras apresentadas.

David Eddings, a voz original de Claptrap, não estará de volta para lhe dar voz em Borderlands 3 e quando questionado sobre isto, Pitchford disse que Eddings recusou uma boa quantia de dinheiro e não podiam fazer nada.

"O senhor Eddings recebeu muitíssimo bem pelo seu trabalho. Após o seu trabalho, ele recebeu uma oferta relativamente generosa para voltar ao papel. Infelizmente, ele recusou essa oportunidade."

Estas palavras de Randy Pitchford em reacção a um pedido para pagar à voz de Claptrap foram verdadeiramente incendiárias e forçaram David Eddings a contar o seu lado da história.

Eddings diz que, ao contrário do que Pitchford anda a contar, ele não recebeu "muitíssimo bem" pelo seu trabalho e que não é por mero capricho que não estará de volta para Borderlands 3.

A resposta de Eddings, também feita através do Twitter, promete gerar ainda mais controvérsia pois relata situações graves e uma realidade muito diferente da que Pitchford partilhou.

Eddings diz que "estava muito bem em seguir em frente após a Gearbox. Mas quando o meu antigo patrão começa a falar sobre vários aspectos do meu emprego, incluindo o 'quão bem recompensado' eu fui e o quão 'generoso' ele é, sinto-me obrigado a corrigir isto."

"Fiquei com imensas sensações mistas quando me pediram para voltar ao papel de Claptrap no final do ano passado e eventualmente compreendi que estava disposto a colocar de lado as diferenças e fazer algo fixe pelos fãs de Borderlands e pelos meus amigos na Gearbox," continuou Eddings.

"Acabei por me oferecer para o fazer 'de borla' em troca de anteriores direitos autorais que me deviam e uma desculpa por algo sobre o qual nunca falei publicamente até à data: o Randy agrediu-me fisicamente na entrada do Marriot Marquis na GDC 2017."

O mais espantoso na resposta de Eddings é que esta não é a sua única acusação série ao CEO da Gearbox.

Eddings vai ainda mais além e reafirma o que o anterior advogado da companhia tinha dito, Randy Pitchford desviou dinheiro da companhia.

"Pessoalmente, penso que o Randy tem estado instável nos últimos anos. Não é uma vítima como se faz passar. Até o bloqueie há uns anos atrás por me perseguir nas redes sociais. O que é demais é demais."

Eddings diz que está feliz por se ver livre das "meias verdades" e "decepções totais" e fala ainda em contentamento por não ter de ouvir as pessoas serem referidas como "muggles" - um termo originário de Harry Potter e usado para descrever as pessoas sem talentos especiais ou capacidade para usar magia.

"Já agora, acho um pouco suspeito ele falar no meu salário mas não mencionar nada sobre os $12 milhões de receitas que sugou da piscina de remunerações dos funcionários. Para a vossa informação, é pedido aos funcionários da Gearbox para aceitarem salários mais baixos com a promessa de partilha de remunerações."

"A 2K diz que não apresentará um comunicado oficial sobre o processo legal em curso, mas se a alegação é falsa, então parece simplesmente muito mais fácil negá-la pois é a única razão pela qual é mencionado. Tudo isto cheira mal."

As palavras de Eddings são duras e falam numa teia de mentiras e num ambiente altamente tóxico na Gearbox - algo que, infelizmente, parece ter-se tornado comum nos últimos tempos.

Salta para os comentários (6)

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Conteúdos relacionados

Anunciado Outcast 2: A New Beginning

Sequela de um clássico de culto para PS5, Xbox Series X|S, e PC.

Atualização para Ghost of Tsushima Director's Cut

Já podes adquirir seda ao mercador no NG+.

Destroy All Humans 2 remake revelado antecipadamente pela Sony

Foi avistado algo curioso antes de desaparecer.

Diretor de Astral Chain trabalha em novo projeto

Mas ainda não está pronto para o revelar.

Também no site...

Teaser do RPG mobile da SEGA está a ser inundado de dislikes

Os fãs não gostaram da ideia de um novo jogo mobile.

Destroy All Humans! 2 remake e Outcast 2 são 2 dos 7 jogos anunciados pela THQ Nordic

SpongeBob SquarePants: The Cosmic Shake também foi anunciado.

Anunciado Outcast 2: A New Beginning

Sequela de um clássico de culto para PS5, Xbox Series X|S, e PC.

Comentários (6)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários