Voz original de Claptrap diz ter sido agredido pelo CEO da Gearbox e fala da sua ausência em Borderlands 3

David Eddings diz ter sido forçado a revelar a verdade.

Esta não é a primeira telenovela na qual Randy Pitchford, CEO da Gearbox Software, que trabalha em Borderlands 3, se vê envolvido, mas é uma das mais intrigantes e até preocupantes.

Recentemente, Pitchford esteve no centro de outras polémicas relacionadas com Borderlands 3, como a sua reacção às reacções da exclusividade Epic Games Store na versão PC do jogo, mas também devido à sua aparente incapacidade para compreender o que são micro-transacções e a sua presença no seu próximo jogo.

No passado, o CEO da Gearbox já tinha gerado controvérsia ao negar uma versão f2p de Battleborn enquanto anunciava uma versão f2p e quando reagiu às críticas a Alien: Colonial Marines - sem esquecer as acusações de posse de pornografia infantil.

As controvérsias seguem Pitchford e as suas reacções caricatas já se tornaram bem conhecidas, mas agora temos uma que terá maior impacto para os fãs de Borderlands pois fala de uma ausência de peso e de possíveis mentiras apresentadas.

David Eddings, a voz original de Claptrap, não estará de volta para lhe dar voz em Borderlands 3 e quando questionado sobre isto, Pitchford disse que Eddings recusou uma boa quantia de dinheiro e não podiam fazer nada.

"O senhor Eddings recebeu muitíssimo bem pelo seu trabalho. Após o seu trabalho, ele recebeu uma oferta relativamente generosa para voltar ao papel. Infelizmente, ele recusou essa oportunidade."

Estas palavras de Randy Pitchford em reacção a um pedido para pagar à voz de Claptrap foram verdadeiramente incendiárias e forçaram David Eddings a contar o seu lado da história.

Eddings diz que, ao contrário do que Pitchford anda a contar, ele não recebeu "muitíssimo bem" pelo seu trabalho e que não é por mero capricho que não estará de volta para Borderlands 3.

A resposta de Eddings, também feita através do Twitter, promete gerar ainda mais controvérsia pois relata situações graves e uma realidade muito diferente da que Pitchford partilhou.

Eddings diz que "estava muito bem em seguir em frente após a Gearbox. Mas quando o meu antigo patrão começa a falar sobre vários aspectos do meu emprego, incluindo o 'quão bem recompensado' eu fui e o quão 'generoso' ele é, sinto-me obrigado a corrigir isto."

"Fiquei com imensas sensações mistas quando me pediram para voltar ao papel de Claptrap no final do ano passado e eventualmente compreendi que estava disposto a colocar de lado as diferenças e fazer algo fixe pelos fãs de Borderlands e pelos meus amigos na Gearbox," continuou Eddings.

"Acabei por me oferecer para o fazer 'de borla' em troca de anteriores direitos autorais que me deviam e uma desculpa por algo sobre o qual nunca falei publicamente até à data: o Randy agrediu-me fisicamente na entrada do Marriot Marquis na GDC 2017."

O mais espantoso na resposta de Eddings é que esta não é a sua única acusação série ao CEO da Gearbox.

Eddings vai ainda mais além e reafirma o que o anterior advogado da companhia tinha dito, Randy Pitchford desviou dinheiro da companhia.

"Pessoalmente, penso que o Randy tem estado instável nos últimos anos. Não é uma vítima como se faz passar. Até o bloqueie há uns anos atrás por me perseguir nas redes sociais. O que é demais é demais."

Eddings diz que está feliz por se ver livre das "meias verdades" e "decepções totais" e fala ainda em contentamento por não ter de ouvir as pessoas serem referidas como "muggles" - um termo originário de Harry Potter e usado para descrever as pessoas sem talentos especiais ou capacidade para usar magia.

"Já agora, acho um pouco suspeito ele falar no meu salário mas não mencionar nada sobre os $12 milhões de receitas que sugou da piscina de remunerações dos funcionários. Para a vossa informação, é pedido aos funcionários da Gearbox para aceitarem salários mais baixos com a promessa de partilha de remunerações."

"A 2K diz que não apresentará um comunicado oficial sobre o processo legal em curso, mas se a alegação é falsa, então parece simplesmente muito mais fácil negá-la pois é a única razão pela qual é mencionado. Tudo isto cheira mal."

As palavras de Eddings são duras e falam numa teia de mentiras e num ambiente altamente tóxico na Gearbox - algo que, infelizmente, parece ter-se tornado comum nos últimos tempos.

Salta para os comentários (6)

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (6)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários