A Intelligent Systems, Koei Tecmo e Nintendo revelaram novas informações sobre Fire Emblem: Three Houses que chegará em Julho como um exclusivo Nintendo Switch.

Através da revista Famitsu, foram reveladas novidades sobre o gameplay, personagens e até sobre alguns dos locais onde Three Houses decorre.

Neste novo jogo inserido na aclamada série da Nintendo, serás um mercenário, chamado Byleth, que após mostrar o seu talento é convidado para ensinar os alunos da Officer's Academy no mosteiro de Garegg Mach.

Uma das tuas maiores ajudas será Sothis, uma jovem e misteriosa mulher de cabelo verde, que salva o protagonista. Ela comunica telepaticamente com Byleth e mais nenhuma outra personagem a consegue ver.

Sobre o gameplay, foi revelado que em Fire Emblem: Three Houses poderás recorrer a uma funcionalidade Rewind, que graças a Sothis, te permitirá recuar no tempo e remediar erros que possas cometer numa turn.

Este sistema é similar ao que viste em Fire Emblem: Echoes, onde podes recuar no tempo um movimento, mas o seu uso será limitado.

A Nintendo confirmou ainda que mecânicas como "efeito de terreno" estarão presentes e um dos exemplos dado foi a possibilidade de recuperar HP ao posicionar o personagem num ponto ou até aumentar o rácio de evasão.

A revista revela ainda que Fire Emblem: Three Houses usará um sistema de Exame de Qualificação para mudar a classe das personagens - terás de usar passes de exame para realizar este teste e aceder a uma nova classe. Assim que a desbloqueares, poderás alternar livremente entre as classes disponíveis para esse personagem.

Dependendo das suas origens, os personagens começam na classe Nobre ou Comum, uma condição que afectará as suas estatísticas e até a capacidade para usar magia.

Fire Emblem: Three Houses chegará a 26 de Julho, como um exclusivo Nintendo Switch.

Publicidade

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Mais artigos pelo Bruno Galvão