Se tens um PlayStation VR ou estás a pensar adquirir uma unidade no futuro próximo, Blood & Truth é obrigatoriamente um dos jogos que tens de manter debaixo de olho. Existe um fundamentando para as expectativas que estão a ser colocadas neste título. Antes de tudo, trata-se de um projecto do London Studio da Sony, uma potência criativa que tem acompanhado desde início as inovações da PlayStation, desde o EyeToy da PS2 até mais recentemente ao Wonderbook da PS4. Foi também este estúdio que criou uma propriedade intelectual há muito adormecida: The Getaway. Blood & Truth não é uma sequela directa desse jogo e nem sequer tem um mundo aberto, mas traz à baila o mesmo tema e a mesma cidade: o mundo criminoso de Londres.

O Pedigree do London Studio já é um fundamento para estarmos entusiasmados, mas temos outra razão: o tempo de desenvolvimento. O jogo foi anunciado na Paris Games Week de 2017, portanto, já estava em desenvolvimento antes disso. Criar um jogo, ainda por cima um jogo de elevado calibre para uma tecnologia emergente para a realidade virtual, leva tempo e ficamos contentes por verificar que a Sony deu o tempo necessário ao estúdio para fazer tudo com calma. Como diz o ditado, depressa e bem há pouco quem. Até há pouco tempo, o London Studio só tinha mostrado uma demo pública de Blood & Truth, mas num evento recente dedicado ao PS VR, surgiu uma demo de uma secção que nunca tínhamos visto.

A demo começa um interrogatório, mas rapidamente somos transportados, através de um flashback do protagonista, para uma guerra no meio do deserto. Um rápido olhar à nossa volta e vemos destruição em todas as direcções do horizonte. Colunas de fumo erguem-se ao longe e mesmo por cima de nós passam aviões a jacto do exército para bombardear um local próximo. A nossa missão é resgatar um soldado aliado preso numa casa ali perto. O jogo assume o controlo do movimento, ou por outras palavras, é on-rails. Para o propósito que o London Studio deu ao jogo, ser um jogo de acção altamente cinematográfico com momentos dignos de filmes como Missão Impossível e Die Hard, é melhor que sejam assim.

Jogos com liberdade total de movimentos na realidade virtual ainda são difíceis de gerir e podem ter um efeito negativo no utilizador, causando indisposição. Em Blood & Truth isso não acontece devido ao fardo reduzido. O utilizador não tem que se preocupar com o movimento da personagem, mas ainda tens outros momentos de interacção para que te sintas envolvido no mundo virtual. O simples acto de abrir uma porta requer que simules esse movimento com o PlayStation Move. O mesmo acontece com cargas explosivas para rebentar com portas, em que tens de ir buscar a carga à bolsa, retirá-la do seu sítio de descanso, colocá-la na porta e proceder ao seu accionamento.

São pequenas interacções que experimentamos nesta demo do deserto, mas o foco estava claramente na acção. É quando as balas estão a sobrevoar a nossa cabeça que Blood & Truth está no seu auge. É um Virtua Cop dos tempos modernos, desenhado para tirar partido máximo da imersão do PlayStation VR. Não estejas à espera de ter uma cruz no meio do ecrã para apontar para os inimigos. Apontar em Blood & Truth é uma acção mais aproximada da realidade em que precisas de alinhar o cano da arma com o teu olhar para que consigas apontar para onde queres. Recarregar a arma também é diferente de um jogo de tiros normal. Tens que ir buscar, com a mão que tenhas livre - o jogo permite que segures a arma na mão esquerda ou direita - um recarregador guardado num suporte que tens ao peito e colocá-lo na arma.

"É quando as balas estão a sobrevoar a nossa cabeça que Blood & Truth está no seu auge"

Nas secções de tiros, é devolvida alguma liberdade de movimento ao jogador e podes deslocar-te entre coberturas para ficares melhor protegido ou teres um melhor ângulo de visão sobre os inimigos. É um jogo divertido em que rapidamente nos sentimos envolvidos no que está a acontecer. A acção impera e, no caso desta demo, vai crescendo até à parte final, uma perseguição a alta velocidade em que nos sentamos no lugar de passageiro de um carro e temos que disparar contra motas e SUVs que nos estão a perseguir. Um sinal positivo, que já tínhamos sentido na demo anterior, é que ficamos com vontade de jogar mais. Para isso teremos que esperar até 28 de Maio, data de lançamento para Blood & Truth

Como nota final, atenta que esta demo foi jogada com o PlayStation Move. Não é um acessório obrigatório para Blood & Truth já que poderás jogar com o Dualshock 4, mas é altamente recomendado para obteres a experiência máxima. Apontar, recarregar, guardar a arma, trocar de arma, abrir portas, desbloquear fechaduras e plantar explosivos são acções que ganham mais dimensão com controlos por movimento. Estamos, ainda assim, curiosos pela versão final para poderemos testar os controlos com o Dualshock 4.

A viagem e estadia para o evento do PlayStation VR foram custeadas pela PlayStation.

Publicidade

Sobre o Autor

Jorge Loureiro

Jorge Loureiro

Editor

É o editor do Eurogamer Portugal e supervisiona todos os conteúdos publicados diariamente, mas faz um pouco de tudo, desde notícias, análises a vídeos para o nosso canal do Youtube. Gosta de experimentar todo o tipo de jogos, mas prefere acção, mundos abertos e jogos online com longa longevidade.

Mais artigos pelo Jorge Loureiro