Se ainda não estás totalmente convencido com as maravilhas da tecnologia Ray Tracing, as imagens de comparação que te vamos apresentar mostram bem a diferença que esta técnica de iluminação pode fazer.

As imagens de comparação são de Quake 2, lançado originalmente em 1997. Em primeiro lugar, tens as imagens no aspecto normal do jogo. Depois, tens as imagens capturadas da versão com efeitos Ray Tracing.

O projecto de adicionar efeitos Ray Tracing a Quake 2 pertence a Christoph Schied, um estudante Ph.D. no Karlsruhe Institute of Technology da Alemanha e um estagiário da Nvidia.

Christoph Schied conseguiu adicionar uma técnica de ray tracing que une todos os efeitos - como sombras e reflexos - num único algoritmo de Ray Tracing. O resultado é um belíssimo facelift para um jogo com mais de 20 anos.

Inicialmente, um dos problemas da transformação eram visuais "salpicados" e com ruído, mas foi resolvido com uma solução que combina os resultados de múltiplos frames do jogo (semelhante à técnica Anti-Aliasing temporal).

As imagens de comparação falam por si. Com o Ray Tracing aplicado, Quake 2 ganha nova vida. A Nvidia tem sido uma das companhias que mais tem impulsionado a tecnologia (com o interesse de vender novas gráficas), mas um dos entraves é o impacto no desempenho do jogo.

Actualmente, para jogares títulos recentes com efeitos Ray Tracing a 60 fotogramas por segundo precisas de um PC topo de gama.

quake_ii_rtx_screenshot_001_rtx_off
quake_ii_rtx_screenshot_001_rtx_on
quake_ii_rtx_screenshot_005_rtx_off
quake_ii_rtx_screenshot_005_rtx_on
quake_ii_rtx_screenshot_007_rtx_off
quake_ii_rtx_screenshot_007_rtx_on

Publicidade

Sobre o Autor

Jorge Loureiro

Jorge Loureiro

Editor

É o editor do Eurogamer Portugal e supervisiona todos os conteúdos publicados diariamente, mas faz um pouco de tudo, desde notícias, análises a vídeos para o nosso canal do Youtube. Gosta de experimentar todo o tipo de jogos, mas prefere acção, mundos abertos e jogos online com longa longevidade.

Mais artigos pelo Jorge Loureiro