A Warner Bros. e a DC parecem dispostas em afastar-se do universo interligado que parecia forçar todos os filmes a conectarem-se e estão empenhadas numa nova abordagem.

Wonder Woman 1984 é o próximo filme da Mulher Maravilha e segundo o seu produtor, não será uma sequela no sentido tradicional, mas sim a próxima história da personagem.

Charles Roven, o produtor de Wonder Woman 1984 que está a ser realizado por Patty Jenkins, confessou que desde o início que o novo filme não foi pensado como uma sequela directa e que querem escapar aos moldes que o termo representa.

"Ela estava determinada que este filme deveria ser a próxima versão da Wonder Woman, mas não uma sequela e está definitivamente a cumprir com isso," disse Roven sobre o trabalho de Jenkins.

"É um enquadramento temporal totalmente diferente e terás uma ideia do que a Diana/Wonder Woman esteve a fazer durante os anos que passaram. Mas é uma história completamente diferente que vamos contar."

"Mesmo tendo muitas das mesmas coisas emocionais, muito humor, muita acção corajosa. Também terá momentos emocionantes."

Gal Gadot será novamente Wonder Woman e Chris Pine também voltará como Steve Trevor, um dos maiores mistérios do filme, o que torna estas afirmações ainda mais curiosas.

O que Roven parece sugerir é que a Warner e a DC não querem seguir o recente percurso, onde os diversos filmes estavam ligados por uma fundação comum, tal como a Marvel faz no seu Universo Cinemático.

Wonder Woman 1984 não será uma sequela directa pois o salto da década de 1910 para a década de 1980 certamente lhe permitirá tornar-se quase num filme em separado, tal como aconteceu com séries como Indiana Jones ou James Bond.

Publicidade

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Mais artigos pelo Bruno Galvão