A Epic reagiu às acusações que o seu launche está a aceder sem permissão a dados do Steam.

Foi através do subreddit de Phoenix Point, um jogo que também está a gerar polémica pela sua exclusividade na loja digital da Epic, que um utilizador revelou que o launcher da loja da Epic acede a ficheiros que não devia.

1
A Epic Games Store tem dado que falar desde a sua chegada.

Na sua mensagem, chamada Epic Game Store, Spyware, Tracking, and You!, notte_m_portent acusa a Epic de correr processos e tentar aceder a DLLs e certificados root sem que o utilizador saiba que isto é feito. Segundo diz, os dados obtidos são enviados para a Epic e a aplicação da Epic Games Store armazena informação do hardware no seu registo.

Como seria de esperar, este tópico gerou imensa preocupação entre os utilizadores e Daniel Vogel, Vice Presidente de Engenharia na Epic, decidiu responder.

Vogel confirma que a Epic Games Store usa um tracking pixel, tracking.js para o programa Support-A-Creator program, para poder pagar aos criadores. Vogel também confirma que a aplicação regista as estatísticas de página e que o launcher envia um inquérito de hardware em intervalos regulares, algo que relembra estar na política de privacidade da Epic.

Vogel também confirmou que o launcher analisa os teus processos activos para impedir que os jogos que estão actualmente a correr sejam actualizados, mas insiste que estes dados não são enviados para a Epic.

"Apenas importamos os teus amigos Steam com a tua explícita permissão. O launcher cria uma cópia local encriptada do teu ficheiro localconfig.vdf do Steam. No entanto, a informação deste ficheiro apenas é enviada para a Epic se escolheres importar os teus amigos do Steam e depois, somente ids partilhadas são enviadas e nenhuma outra informação."

Muito do descontentamento sobre a Epic Games Store parece vir da relação com a Chinesa Tencent, uma das maiores companhias de videojogos do mundo e dona de parte da Epic - o que deixa muitos preocupados com a possibilidade do governo Chinês obter acesso a dados.

"A Epic é controlada por Tim Sweeney. Temos muitos donos de acções externos, nenhum deles tem acesso a dados dos consumidores," assegura Vogel.

Vogel gerou uma onda de respostas sobre o porquê do launcher executar sequer estes procedimentos - aparentemente sem permissão. Um deles é eorl que diz: "O meu perfil no Steam está privado, no entanto, estão a investigar o meu disco local para analisar o Steam e nem sequer conectei o Steam à Epic."

"Não podes desculpar isto com a recolha de dados porque não o estás a recolher da tua aplicação especialmente quando nem sequer o demos autorização para tal. Isto está ao nível de spyware e é nojento.

"Além disso, obrigado por essa última frase absolutamente bizarra. Fico contente por saber que é apenas o Tim que anda a ver os meus dados privados."

O próprio Sweeny comentou o assunto e disse que a Epic vai ajustar a forma como funciona a Epic Games Store após as críticas.

Neste comentário, Sweeney diz que a Epic "deveria apenas aceder ao ficheiro localconfig.vdf após o utilizador escolher importar amigos do Steam," dizendo que a culpa é sua.

"A actual implementação é um resto da nossa pressa em implementar funcionalidades sociais nos primeiros dias de Fortnite. Na verdade, a culpa é minha por forçar a equipa responsável pelo launcher em apoiá-lo tão rapidamente e depois identificar que tivemos de o mudar. Uma vez que este problema veio ao de cima, será corrigido."

Apesar da tentativa em esclarecer o assunto, a Epic Games continua debaixo de críticas e do escrutínio dos utilizadores, descontentes com as formas escolhidas pela companhia para combater o Steam da Valve.

Publicidade

Jogos em destaque neste artigo

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Mais artigos pelo Bruno Galvão