A recepção a Anthem, o novo jogo da Bioware, poderá fazer-te lembrar o lançamento de No Man's Sky em Agosto de 2016 - um jogo que dividiu as opiniões e muito deu que falar pela internet fora.

A mais recente propriedade intelectual da Electronic Arts é descrita como um promissor jogo vivo que poderá ter ficado aquém do seu potencial, nesta fase inicial de lançamento, e distante da visão originalmente apresentada.

Como seria de esperar, a recepção mista vai causar impacto no valor das acções e a CNBC questionou vários analistas sobre o que se passou com Anthem e quais as possíveis consequências deste lançamento abaixo do desejado.

Michael Pachter, famoso analista, foi questionado pela CNBC sobre a chegada de Anthem - disponível a 15 de Fevereiro para PC, via EA Premier Access, enquanto a 22 de Fevereiro chegaram as versões de consola. Para Pachter, é mais um exemplo da má execução da EA ao longo dos últimos meses.

Apesar do lançamento "fenomenal" de Apex Legends, Pachter diz que "a prestação da EA tem sido pobre todo o ano (agora esperam conseguir receitas de $4.75 mil milhões e a previsão há 9 meses atrás era de $5.5 mil milhões)."

"As pobres análises a Anthem são consistentes com a sua pobre prestação ao longo do ano."

Não esquecendo que Anthem é uma nova propriedade intelectual, algo que habitualmente significa diversos riscos, mesmo quando falamos de companhias tão conhecidas como a Bioware, Pachter considera que o lançamento antecipado no PC apenas prejudicou Anthem.

Pachter sente que foi um erro permitir que as análises da versão PC chegassem tão cedo, especialmente porque o encara como um jogo de consola e não como um jogo de PC.

"A minha perspectiva pessoal é que isto não é apenas um jogo PC - podes voar no jogo e controlar o teu personagem que voa é como conduzir um carro; os controlos não funcionam tão bem para isso no PC e funcionam na perfeição nas consolas."

Pachter acredita que as análises de Anthem feitas por quem joga na consola serão superiores às de quem jogou no PC, mas permanecerão na mesma más.

Publicidade

Sobre o Autor

Jorge Soares

Jorge Soares

EG.pt Master of Puppets

Sempre ocupado e cheio de trabalho, é ele quem comanda e gere a Eurogamer Portugal. Queixa-se que raramente arranja tempo para jogar, mas quando está mesmo interessado num jogo, lá consegue arranjar uns minutos. Tem mau perder e arranja sempre alguma desculpa para a sua derrota, mas no fundo, é o que todos fazemos.

Mais artigos pelo Jorge Soares