Crackdown 3 é o mais recente exclusivo da Xbox Game Studios e este trabalho da Sumo Digital estará finalmente disponível amanhã na Xbox One, Windows 10 e Xbox Game Pass.

Para partilhar todos os detalhes sobre a tecnologia e performance que encontrarás em Crackdown 3, o Digital Foundry analisou este aguardado e controverso lançamento.

Num novo artigo onde elogia Crackdown 3 por apostar na sua própria linguagem visual, mesmo que não quebre barreiras, o Digital Foundry destaca a sensação de escala, a estética e revela que "não existe uma versão má de Crackdown 3, mas existe uma ordem de preferência."

"Em termos do básico, a versão Xbox One X de Crackdown 3 corre com uma resolução dinâmica. O jogo consegue alcançar e manter-se a 4K nativa na maioria do tempo, mas pode ajustar o eixo horizontal até um máximo de 60% de 4K. Isto significa que pode descer até 2304x2160 nos piores momentos, mas é extremamente raro. Além disto, tens ainda a anti-aliasing temporal da Epic e um pouco de pós-processamento adicional por cima. Para um jogo focado nas longas distâncias de visão e formas abstractas e limpas, a elevada resolução faz sentido e quem jogar numa TV 4K vai ficar contente."

Se vais jogar na Xbox One S, a resolução máxima passa para 1080p, mas existem momentos onde pode descer 60% e "a Xbox One S parece ter mais dificuldades em manter a 1080p nativa e frequentemente vemos resoluções como 1536x1080 ou aproximado, quando vais a conduzir rapidamente, mas pode descer ainda mais."

A versão PC de Crackdown 3 está repleta de opções para ajustar e até é possível optar por resolução dinâmica, ultra-wide e levar os rácios de fotogramas acima de 60fps. A versão PC está preparada para te dar uma qualidade visual superior à da Xbox One X, se tiveres hardware para isso.

"A conclusão é que Crackdown 3 está similar em todas as plataformas, mas adapta-se a cada uma como seria de esperar. Na Xbox One S, o detalhe à distância, densidade do trânsito estão inferiores. Na Xbox One X estes elementos estão melhor e, naturalmente, podes ir ainda mais longe no PC. A limitação é a densidade do trânsito em modo cooperativo, determinada pela máquina com as piores especificações. Se jogas com um amigo que está na Xbox One S ou Xbox One e estás numa Xbox One X, terás a mesma redução na densidade, para prevenir e perda de sincronização. Faz sentido, mas é fácil de notar."

Na Xbox One original, Crackdown 3 perde algumas funcionalidades, como as sombras criadas a partir dos faróis dos veículos. O Digital Foundry diz ainda que a qualidade das sombras também é inferior, mas que apesar dos cortes, tem na mesma bom aspecto.

Sobre a performance, é confirmado que o jogo mantém o alvo de 30fps na grande maioria do tempo, mas tal como a qualidade visual, o resultado dependerá da plataforma onde jogas.

"Na Xbox One X, com a sua elevada resolução e o facto de ser um jogo Unreal Engine 4 em mundo aberto, estava céptico que a Sumo Digital cumprisse na performance - não existem muitos exemplos de jogos UE4 para consola a ou perto de 4K com mundos deste tamanho. O alvo é 30fps e é impressionante ver que se aguenta ali na maioria do tempo. Na verdade, nas primeiras horas de jogo apenas reparei em algumas quedas, manifestando-se como um conjunto de fotogramas quebrados no topo do ecrã e um ponto no tempo de fotograma."

"As consolas Xbox mais antigas não se portam tão bem. A performance está boa, na maioria do tempo, tendo em conta o hardware limitado, mas no geral, está melhor do que o original na Xbox 360. No entanto, comparadas com a X, é fácil ver tempos mais longos de screen-tearing e rácios de fotogramas inferiores - mesmo com os cortes na resolução, efeitos e detalhes."

"A performance PC está boa, no geral, conseguindo 60fps fixos sem grandes dificuldades. No entanto, Crackdown 3 parece sofrer com problemas de streaming de cenários, independente da GPU e CPU que tens. Inicialmente, instalei o jogo num disco 7200rpm mecânico e descobrir que ao correr pelos cenários, ou até olhar, podia gerar trepidação perceptível. Ao passar o jogo para um SSD (algo que a Windows Store permite sem o voltar a descarregar, felizmente) as melhorias foram dramáticas, mas não resolveu o problema. Espero que a Sumo Digital corrija isto."

Para o Digital Foundry, Crackdown 3 tem uma performance como seria de esperar num jogo desta série e mesmo sem a destruição que muitos esperariam dele, descreve-o como um jogo que honra a identidade do original e a transporta para uma nova geração.

Publicidade

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Mais artigos pelo Bruno Galvão