6 coisas que adoramos em Mortal Kombat 11

As nossas impressões depois de jogarmos a demo.

Na semana passada estivemos em Londres, a convite da Warner Bros, para assistirmos ao evento de revelação de Mortal Kombat 11 e jogarmos em primeira mão o mais recente projecto da NetherRealm Studios. Com uma atmosfera calorosa, festiva e com agradável companhia de fãs britânicos e até de Gaz Deaves da Rocksteady, que se juntou a nós para umas partidas renhidas, tivemos a oportunidade de experimentar uma demo de Mortal Kombat 11 que colocava ao nossos dispor as sete personagens confirmadas até agora: Raiden, Scorpion, Subzero, Geras, Skarlet, Sonya e Baraka.

A demo estava virada puramente para confrontos directos com outros jogadores, pelo que os outros modos de jogo, como o modo história, não estavam acessíveis. Num ambiente destes, e ainda para mais tratando-se de um jogo de luta, que são complexos e requerem bastante tempo e atenção para que sejam conhecidos a fundo, não nos foi possível extrair profundas ilações de Mortal Kombat 11, mas, no mínimo, podemos dizer que a experiência foi muito divertida que gostamos das novidades e da direcção que a NetherRealm escolheu para Mortal Kombat 11. Enquanto fã de longa data da série, fiquei ansioso para o lançamento e para o que será revelado até lá.

Na lista que se segue podes ficar a conhecer algumas das novidades que foram introduzidas em Mortal Kombat 11, bem como algumas das coisas que mais gostamos neste novo capítulo.

1. A violência

Desde a sua concepção que Mortal Kombat e a violência andam de mãos dadas. A violência não é um mero acrescento que pode ser removido, faz parte do ADN da série e é por isso que o jogo de luta concebido pela NetherRealm Studios continua a ser único até os dias de hoje. Em Mortal Kombat 11, a violência que sempre esteve associada à série está mais expressiva do que nunca.

Com os gráficos dos videojogos a darem cada vez mais passos em direcção ao realismo, Mortal Kombat 11 tira partido disso para mostrar detalhes arrepiantes. Ver uma personagem a comer o cérebro de outra como parte de uma Fatality pode ser considerado como nojento e mórbido, mas simultaneamente, há uma faceta cómica e até satisfatória que advém da violência exagerada. Este é um dos talentos da NetherRealm: pegar no gore, na violência e transformá-los em diversão, num alívio de stress. Este é um jogo em que arrancar cabeças e partir ossos sabe bem.

"Ver uma personagem a comer o cérebro de outra como parte de uma Fatality"

2. Os Fatal Blows

Os Fatal Blows são basicamente uma evolução dos ataques X-Ray que foram introduzidos no Mortal Kombat de 2011 e que continuaram presentes em Mortal Kombat X. Em suma, continuam a ser ataques devastadores em que vemos, num plano cinemático, os ossos do oponente a serem partidos e a carne a ser perfurada, mas agora já não estão dependentes de uma barra de energia que enche ao longo do combate. A janela para executar um Fatal Blow abre quando o adversário chega a 30% da barra de vida. Se conseguires acertar o Fatal Blow, que é activado ao carregares em ambos os gatilhos, vais ganhar garantidamente a ronda.

Porque razão é que os Fatal Blows são melhores do que os X-Ray? A primeira razão é que os Fatal Blows apenas podem ser usados uma vez em cada partida. Se activares o teu Fatal Blow na primeira ronda, não vais poder usá-lo na ronda seguinte. Em segundo lugar, os Fatal Blows não estão dependentes de uma barra de energia e tornam os momentos finais de cada ronda entusiasmantes. Portanto, os Fatal Blows são os ataques X-Rays, mas implementados de uma forma mais interessante.

3. A personalização das personagens

Na demo a que tivemos acesso a personalização das personagens era bastante limitada, mas a NetherRealm Studios garante que na versão final teremos um grande leque de opções para cada personagem. Como é que este sistema funcionará ao certo? Cada personagem terá três peças que poderão ser personalizadas ao teu gosto. Em cada peça terás diversas opções. Na demo mostrada durante a transmissão em directo da semana anterior, Ed Boon, o director criativo, mostrou como Scorpion podia ficar radicalmente diferente graças ao sistema de personalização.

"Cada personagem terá três peças que poderão ser personalizadas ao teu gosto"

Também sabemos que cada peça terá espaço para colocares "Augments", que segundo a explicação que obtivemos na nossa entrevista com Derek Kirtzic, gameplay designer, vão aumentar o dano causado por determinados golpes. Derek Kirtzic garantiu-nos ainda que tudo será desbloqueável sem pagar e que vais desbloquear peças de personalização em todas as actividades.

White_scorpion
Scorpion vestido de branquinho? Será possível.

4. A escolha e variedade das personagens

A lista completa de personagens para Mortal Kombat 11 ainda não foi revelada. Até 23 de Abril, a data de lançamento deste próximo jogo da saga, ainda vamos ter surpresas, mas o leque inicial de personagens escolhidas é sólido. Não faltam caras familiares como Raiden, que agora tem uma versão malvada com raios vermelhos, Scorpion, Subzero e Sonya Blade.

Todavia, há também personagens que regressam, como Baraka e Skarlet, que não eram jogáveis em Mortal Kombat X. O regresso de Baraka foi especialmente aplaudido pelos fãs. Com uma dentadura assustadoramente afiada e duas garras enormes nos braços, qualquer combate com esta personagem é definitivamente Mortal. Há ainda Geras, uma personagem completamente nova que nos deixou francamente curiosos. É um indivíduo altamente musculado que consegue manipular areia e pedra para surpreender os seus oponentes.

5. O novo patamar de realismo

Uma das primeiras coisas que reparei enquanto observa Mortal Kombat 11 é que a NetherRealm Studios conseguiu dar um salto qualitativo no nível de realismo. Mortal Kombat X não tinha, de forma alguma, um mau aspecto, mas não conseguia afastar aquela sensação de que estávamos a controlar bonecos. Mortal Kombat 11 vai mais longe com detalhes e expressões faciais mais naturais e cenários com iluminação mais realista.

A única coisa de que sentimos falta é de uma maior quantidade de danos visíveis nas personagens. Para que fique claro, existem danos visíveis nas personagens, mas dada a violência de alguns golpes que sofrem, sentimos que os danos visíveis deviam ser maiores. Claro que não é um pedido fazer de realizar, principalmente quando o jogo tem que manter a fluidez dos 60 fotogramas por segundo.

6. É Mortal Kombat!

Eu sei, é uma razão óbvia, mas acho importante sublinhar a NetherRealm continua fiel ao ADN original de Mortal Kombat, apesar de ser hoje um jogo muito mais moderno em todos os aspectos. Mortal Kombat 11 será uma experiência com diversas novidades para os fãs, mas também mantém aquela sensação de familiaridade. É um jogo de luta com uma identidade própria, diferente de todos os outros no mercado. A boa notícia é que já não falta assim tanto para 23 de Abril. Depois de passarmos meia hora a jogar no evento de revelação em Londres, ficamos logo com vontade de jogar mais. É um jogo brutalmente divertido e cativante.

Publicidade

Salta para os comentários (3)

Sobre o Autor

Jorge Loureiro

Jorge Loureiro

Editor

É o editor do Eurogamer Portugal e supervisiona todos os conteúdos publicados diariamente, mas faz um pouco de tudo, desde notícias, análises a vídeos para o nosso canal do Youtube. Gosta de experimentar todo o tipo de jogos, mas prefere acção, mundos abertos e jogos online com longa longevidade.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (3)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários