Spider-Man: O Outro Lado da Silver - O melhor ficou para fim

Tarefas repetitivas, dificuldade exagerada e uma história espectacular.

A Insomniac Games apresentou finalmente "O Outro Lado da Silver", a terceira parte do episódico DLC "A Cidade Que Nunca Dorme" para o aclamado Spider-Man, que chegou em Setembro à PlayStation 4.

Se jogaste o jogo ou qualquer um dos episódios anteriores, sabes o que terás neste terceiro. A estrutura é a mesma da campanha principal, as tarefas altamente similares e igualmente repetitivas, algo que The Heist - a primeira parte do DLC já tinha deixado a entender.

A Insomniac Games não injectou novidades nos episódios adicionais e focou-se em dar mais do mesmo a quem ficou entusiasmado com o que teve na campanha. Existem variações e até tens os Desafios da Screwball (do melhor nestes DLC), mas Spider-Man não te apresenta oportunidades de gameplay diferentes do que viste até agora. Além disso, o primeiro episódio é incrivelmente divertido, mas muito curto.

Para "Guerras Territoriais", o segundo episódio, a Insomniac tentou compensar isso ao aumentar artificialmente a longevidade. A estrutura permaneceu a mesma, as tarefas repetidas (apenas mudou a organização e o local) e se jogares somente a história, terás um episódio que dura entre uma hora e meia a 2 horas.

A longevidade foi aumentada com picos de dificuldade, jogar o segundo DLC em Normal é mais castigador do que jogar a campanha na dificuldade máxima, Ultimate. O dano que Spider-Man sofre é muito maior, o número de inimigos na maioria dos combates e tarefas opcionais é largamente superior (até o número de vagas nos esconderijos de bandidos) e mesmo o posicionamento dos rufias foi gerido de forma a deixar-te sempre com alguém nas costas.

Mesmo na dificuldade Normal, tudo pode correr na perfeição e conseguires um Combo 94x, mas de um momento para o outro, com apenas um pequeno erro, tudo pode ir por água abaixo. Um tiro de uma das armas especiais pode tirar-te quase metade da vida e sentes que um deslize é caro. Demasiado até, mas essa foi a forma encontrada pela Insomniac para te desafiar e aumentar assim a longevidade.

Tudo isto é válido para "O Outro Lado da Silver". Não terás nada de verdadeiramente novo, a estrutura e tarefas opcionais são versões das mesmas que já jogaste, enquanto a dificuldade exagerada e artificial continua aqui.

No entanto, o que este último capítulo te dá é o melhor momento de história do DLC - uma conclusão altamente divertida, com situações entusiasmantes e que te vão lembrar o porquê de teres ficado fascinado com o trabalho da Insomniac na sua visão original de Spider-Man. Como referi, se te focares unicamente na história adicional, não enfrentarás os desafios opcionais frustrantes e terás em troca mais diversão.

Spider-Man: A Cidade Que Nunca Dorme termina em alta com "O Outro Lado da Silver", mas chegar até aqui não foi pêra doce e ficaram muitos momentos amargos, especialmente se quiseste algo mais do que a história. Quem quiser todos os fatos terá de sofrer um pouco. Para quem pretendia maximizar o investimento adicional, a Insomniac Games prolongou a duração dos episódios com tarefas repetitivas que se tornaram frustrantes devido à dificuldade exagerada.

Ao final do terceiro episódio, fica a sensação que Spider-Man: A Cidade Que Nunca Dorme começou muito bem, tropeçou e voltou a erguer-se com toda a confiança. Isto apenas para quem se vai interessar pela história - a longevidade fica incrivelmente reduzida, mas a diversão é garantida. Caso contrário, terás somente mais do mesmo artificialmente manipulado para durar mais.

Publicidade

Salta para os comentários (22)

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (22)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários