A PlayStation Classic é a primeira consola miniatura da Sony. Seguindo as pegadas da Nintendo, que viu uma oportunidade para relançar para o mercado consolas retro em formato miniatura, a Sony anunciou este ano os seus planos para lançar uma versão miniatura da primeira PlayStation, baptizada de PlayStation Classic. Ainda falta praticamente um mês para o lançamento oficial, mas a convite da PlayStation Portugal, já tivemos a oportunidade de experimentar a consola durante cerca de duas horas sem qualquer restrição. Pudemos pegar na consola, examiná-la de perto e experimentar todos os 20 jogos do catálogo.

A consola é realmente pequena, mas mantém todos os traços característicos do modelo original. Os dados oficiais da Sony afirmam que a PlayStation Classic é 45 porcento mais pequena do que a consola original, mas lado-a-lado, parece ainda mais pequena. Com este tamanho tão reduzido, será fácil de arranjar um espaço para ela perto da televisão. Mas a maior surpresa surge quando pegamos na consola, é surpreendentemente leve, pesando praticamente o mesmo do que um smartphone actual (apesar da consola ser maior).

É uma réplica extremamente fiel à primeira PlayStation, desde os materiais usados até à própria sensação de pegar nos comandos. A PlayStation Classic é um produto desenhado para despertar nostalgia, e mesmo sabendo disto de antemão, é fácil ficarmos embalados neste sentimento e nas memórias que vêm à superfície quando voltamos a alguns dos jogos que fizeram parte da nossa juventude. Não há dúvidas que a PlayStation Classic foi feita a pensar sobretudo nos fãs de longa data da marca.

O único elemento que não foi preservado do modelo original é o compartimento do disco. Está lá o formato da tampa na consola miniatura, mas não abre, todos os 20 jogos incluídos estão armazenados no interior. Mesmo que a tampa do compartimento do disco abrisse, não teria qualquer utilidade visto que os discos dos jogos são maiores do que a consola miniatura. Excluindo este pormenor, é uma réplica idêntica num formato mais pequeno mas que ainda preserva todo o carisma de 1994.

"É uma réplica extremamente fiel à primeira PlayStation, desde os materiais usados até à própria sensação de pegar nos comandos"

A PlayStation Classic é ligada à televisão por uma saída HDMI e suporta resolução 720p (ou 480p se preferires jogar numa televisão que não seja HD). A interface é simples e directa de se navegar. Depois de ligada, encontras imediatamente os 20 jogos incluídos na consola. Cada jogo tem espaço para múltiplos ficheiros de gravação e suporte para suspensão, ou seja, podes sair do jogo e depois continuar exactamente no mesmo sítio em que estavas. O botão "Open" não é meramente estético e serve para trocares virtualmente os discos em certos jogos, como Metal Gear Solid e Final Fantasy VII.

20181105_124101
Uma réplica perfeita em formato miniatura.

Uma vantagem da tecnologia moderna é que o tempo de carregamento dos jogos da PlayStation Classic é mais rápido do que na consola original. Todos os jogos estão prontos para serem jogados numa questão de segundos. O alinhamento dos 20 jogos é abrangente e nota-se que a Sony tentou incluir títulos de diferentes géneros, mas estou seguro que cada um de nós gostava de fazer alterações. Pessoalmente, trocava o Cool Boarders 2 por Tony Hawk's Pro Skater 2. Também preferia que Grand Theft Auto 2 tivesse sido incluído em vez do primeiro. Depois, há ausências de peso como Gran Turismo, Tomb Raider e Crash Bandicoot.

Mais jogos não podem ser adicionados à consola, embora esse fosse um dos nossos desejos. O catálogo da primeira PlayStation é vasto pelo que haverá sempre clássicos e favoritos pessoais que ficarão de fora. A alternativa seria implementar um loja online onde os utilizadores pudessem comprar mais jogos para a PlayStation Classic, mas isso implicava haver uma infra-estrutura online, manutenção e gastos com servidores. Seria o ideal, mas a Sony idealizou um produto mais simples: compras a consola e tens acesso a 20 jogos clássicos. Continua a ser um pacote recheado de nostalgia e que já provou ser um sucesso noutras companhias.

"Mais jogos não podem ser adicionados à consola, embora esse fosse um dos nossos desejos"

De base também estão incluídos dois comandos. São réplicas perfeitas dos comandos originais da primeira PlayStation. Quanto falamos em comandos originais, estamos mesmo a falar dos primeiros comandos e não do Dualshock, que surgiu três anos após o lançamento da consola. Apenas dois jogos do catálogo da PlayStation Classic - Resident Evil: Director's Cut e Metal Gear Solid - é que receberam suporte para o Dualshock, portanto, mesmo que a Sony tivesse feito réplicas do primeiro Dualshock, apenas dois jogos do catálogo é que iam tirar partido destes comandos (e provavelmente acabariam por encarecer o produto final).

20181105_122358
O comando original à direita e a réplica incluída na PlayStation Classic à esquerda. Não há diferenças para além da cor do plástico, que mudou de cor com a idade.

Quanto aos jogos em si, o mais chocante de regressar a títulos com tão antigos não são os gráficos. Sim, existe uma diferença visual abismal entre os jogos actuais e os jogos de há 20 anos, mas a diferença mais gritante está nos controlos. RPGs como Final Fantasy VII e jogos de luta como Tekken 3 aguentaram-se bem, mas outros jogos como Twisted Metal, em que tens de carregar para cima no d-pad para acelerar, ou Resident Evil, em que controlas a personagem com o d-pad, causam um choque. Os controlos são tão diferentes em alguns jogos que temos que aprender a jogar de novo. Para o bem e para o mal, a PlayStation Classic é uma autêntica viagem no tempo para o final da década de 90.

"A PlayStation Classic é uma autêntica viagem no tempo"

A PlayStation Classic chegará às lojas a 3 de Dezembro e promete ser uma das prendas de Natal mais requisitadas para aqueles que cresceram agarrados à primeira consola da Sony. Acima de tudo, este é um produto nostálgico que reproduz fielmente a experiência de como eram os videojogos naquela época. Contudo, não é perfeito. Os jogos incluídos estão longe de ser consensuais e não há possibilidade de adicionar (pelo menos de forma oficial) mais jogos à consola. Neste aspecto, sentimos que a Sony poderia ter ido mais longe do que a Nintendo com as suas consolas miniatura e lançar um produto mais completo.

Publicidade

Sobre o Autor

Jorge Loureiro

Jorge Loureiro

Editor

É o editor do Eurogamer Portugal e supervisiona todos os conteúdos publicados diariamente, mas faz um pouco de tudo, desde notícias, análises a vídeos para o nosso canal do Youtube. Gosta de experimentar todo o tipo de jogos, mas prefere acção, mundos abertos e jogos online com longa longevidade.

Mais artigos pelo Jorge Loureiro

Comentários (33)

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários

Conteúdos relacionados