A série DareDevil da Marvel e Netflix é provavelmente a série mais aclamada entre as diversas produções apresentadas pelo serviço de streaming, e isso apenas torna a iminente chegada da Season 3 ainda mais entusiasmante.

A forma como conseguiu equilibrar o lado humano de Matt Murdock com o desejo de usar os seus poderes para fazer de Hell's Kitchen um melhor lugar, com o fato de DareDevil vestido, resultou em duas temporadas verdadeiramente memoráveis.

Numa série que lida com os dilemas morais e espirituais de um advogado cego que à noite veste uma máscara para espancar criminosos, o elenco de suporte também foi incrivelmente importante.

Foggy e Karen foram partes imprescindíveis da personalidade de Murdock, para levantar conflitos constantes na sua personalidade e questionar quase constantemente os seus actos, mas também Elektra e o Justiceiro serviram como partes fundamentais da alma desta série. No entanto, nenhuma delas teve a profundidade e charme de Wilson Fisk.

Com todo o respeito para o restante elenco, Vincent D'Onofrio ameaçou roubar o protagonismo a Charlie Cox - que dá vida ao personagem titular da série e o mais impressionante é que o fez com uma aparente facilidade.

A personagem que ganha vida através de D'Onofrio é tudo o que esperavas que fosse - um vilão sério, sempre um passo à tua frente e com um sentido de justiça que o levar a crer que age pelo bem de Nova Iorque, para curar cidade que ama dos males que corroem a sociedade.

É este detalhe que torna o confronto entre os dois personagens verdadeiramente fascinante e resulta em momentos surpreendentes. Ambos defender agir pelo bem da cidade e ambos podiam ser vistos como dois lados da mesma moeda - completamente diferente, mas em alguns momentos perigosamente iguais.

"Wilson Fisk está de volta para um novo jogo do gato e do rato com Murdock".

Talvez seja por isso que é fácil olhar para os primeiros 6 episódio de DareDevil Season 3 a que tivemos acesso e sentir que concorre desde logo à posição de melhor série da Marvel na Netflix. Não apenas porque D'Onofrio está de volta com grande destaque, mas por elevar a um novo patamar os principais valores das duas temporadas anteriores.

Depois de levar com um prédio em cima, Matt Murdock desiste de se tornar no DareDevil e não mais acredita nos valores que o incentivavam a defender a cidade. Sente-se traído pelas causas que defendia e totalmente quebrado a nível espiritual - pronto para se render e tornar-se no diabo que os habitantes de Hell's Kitchen lhe chamam. Do outro lado está Fisk, prestes a sair da prisão e a lutar pelas causas em que acredita, pronto para se erguer.

É assim que começa esta DareDevil Season 3, com os dois lados da mesma moeda em trajectórias completamente opostas. Murdock é um homem perdido, desprovido de crenças e sem suporte para continuar, enquanto Fisk está mais dedicado do que nunca, depois de ter conhecido o amargo sabor da derrota.

"Murdock é um homem perdido, desprovido de crenças e sem suporte para continuar"

Com Murdock totalmente desamparado, o DareDevil desapareceu e no seu lugar surge um homem que apenas encontra satisfação na violência gratuita. No entanto, nada disso impedirá Fisk de colocar em plano a sua vingança e Murdock encontrará inesperadamente um novo propósito - voltar a defender-se das armadilhas de Fisk.

O que estes 6 episódios nos mostraram foi um jogo do gato e do rato, com cenas ao melhor nível do que já viste nesta série e quando inseres na equação Bullseye - o novo vilão que promete marcar a série, a brutalidade e intensidade sobem a pique.

É difícil tentar explicar o quão marcante e fascinante é a presença de Bullseye na série sem partilhas spoilers, mas podes ter a certeza que ele sobe a qualidade da série. Tal como O Justiceiro marcou a Season 2, Bullseye está posicionado para se tornar numa das grandes figuras de DareDevil Season 3 e a forma como se liga à luta entre Fisk e Murdock é verdadeiramente surpreendente.

1

"As séries da Marvel na Netflix já nos apresentaram vilões surpreendentes, mas nenhum deles tão promissor e sádico quanto Bullseye.

Nos primeiros 6 episódios a que tivemos acesso, a série DareDevil Season 3 mostra Matt Murdock completamente perdido e sem um propósito. Um homem anteriormente religioso que após se sentir abandonado está pronto para fazer justiça ao nome de "Diabo de Hell's Kitchen". O regresso de Wilson Fisk marca o regresso do jogo do gato e do rato com Murdock e, mais importante, aumenta o suspense e mistério em torno do que acontecerá em seguida.

O outro grande vilão da Season 3, Bullseye, ainda estava numa fase de origem e a sua transformação é verdadeiramente surpreendente. Grande parte do entusiasmo provém dessa transformação e dos acontecimentos em paralelo que afectam directamente Murdock. Fisk é um verdadeiro rei neste seu jogo de xadrez e o grande responsável pelo tom brutal e até surpreendente desta Season 3.

Publicidade

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Mais artigos pelo Bruno Galvão

Comentários (8)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários

Conteúdos relacionados

Demon's Souls Remaster é possível, mas nas condições certas

Mas teria de ser feito por outro estúdio e com luz verde da Sony.

Square Enix regista o termo "HD-2D" usado em Octopath Traveler

Será que teremos mais jogos neste estilo visual?

A Switch foi a consola mais vendida em França em 2018

Mais de 2 milhões de unidades vendidas.

Far Cry: New Dawn aprofundou os elementos RPG

A Ubisoft reforçou a aposta nesta vertente.

Últimas

Demon's Souls Remaster é possível, mas nas condições certas

Mas teria de ser feito por outro estúdio e com luz verde da Sony.

Square Enix regista o termo "HD-2D" usado em Octopath Traveler

Será que teremos mais jogos neste estilo visual?

A Switch foi a consola mais vendida em França em 2018

Mais de 2 milhões de unidades vendidas.

Far Cry: New Dawn aprofundou os elementos RPG

A Ubisoft reforçou a aposta nesta vertente.

Publicidade