À semelhança do que outras editoras estão a fazer, a Capcom quer mudar o seu modelo de negócio para gerar receitas a longo prazo.

A companhia Japonesa sente que o modelo actual no qual se inserem a maioria dos seus jogos já não é o mais rentável e vai apostar num modelo capaz de gerar receitas a longo prazo.

Além do plano para reforçar o ritmo de lançamentos anuais entre as suas principais séries, a Capcom quer alterar o modelo de negócio de forma a manter-te durante mais tempo a jogar os seus jogos.

Num relatório entregue aos investidores e analistas, a Capcom diz que é "importante criar uma estrutura para transitar o negócio para a próxima geração. Como em qualquer estrutura, construir a fundação é a parte mais desafiante, mas os esforços iniciados há cinco anos atrás estão finalmente a começar a ganhar forma."

Para se preparar para o futuro, a Capcom vai-se focar em mecanismos que patrocinem um crescimento estável, de forma a controlar os ricos das receitas voláteis.

"Para mitigar os riscos da volatilidade nas receitas a médio e longo prazo, as medidas para permitir um crescimento sustentado devem incluir a transformação da fundação do nosso modelo de negócio com o consumidor," diz a companhia.

Essa transformação implica transitar do "tradicional modelo de transacção única para um modelo de receita recorrente, criar um catálogo e diversificar os riscos de receitas ao gerir de forma cuidada a estratégia básica da Capcom, Um Conteúdo Múltiplo Uso."

A Capcom parece pronta para seguir outras editoras e desenvolver experiências vivas que te vão agarrar ao longo de meses e com potencial para gerar receitas a longo prazo.

Street Fighter 5 poderá ser um exemplo deste novo modelo de negócio que a Capcom quer desenvolver e explorar - um jogo lançado em 2016 e que continua a receber conteúdos que incentivam o jogador a gastar mais dinheiro.

Publicidade

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Mais artigos pelo Bruno Galvão

Comentários (21)

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários

Conteúdos relacionados

Últimas

Publicidade