Os videojogos são produtos caros de construir - mais do que conseguimos imaginar - e, para proteger os seus investimentos e garantir que as vendas dos jogos são aceitáveis, as produtoras gastam quantias astronómicas em campanhas de marketing, por vezes injectando tanto dinheiro quanto na própria criação do jogo.

Anúncios televisivos, entrevistas, billboards, feiras de exposição são algumas das formas das editoras colocarem o seu produto na boca dos consumidores e o darem a conhecer ao público. No entanto, isto não impede que as editoras tentem criar outros tipos de campanhas de marketing para marcar pela diferença.

Podem ser bem-sucedidas, claro, mas existe a possibilidade séria de sair o tiro pela culatra e ser necessário trazer ao de cima a equipa de controlo de danos. E é exactamente isso que vamos falar neste artigo.

Já a seguir, podes então ver 8 Campanhas Publicitárias Ridículas dos Videojogos que não foram recebidas da melhor forma pelo público e acabaram por ter repercussões menos boas. Claro está, existem muitas mais e, caso estejas familiarizado com alguma, podes sempre usar a caixa de comentários para da a tua opinião. Pronto?

1. Certificado de nascimento

Lembras-te do jogo Turok: Evolution? Foi um shooter em primeira pessoa lançado em 2002 pela Acclaim Entertainment, fazendo parte de uma saga que fez bastante sucesso nos anos 90.

Já lá vão alguns anos desde o lançamento do jogo e a campanha de marketing que pretendia reavivar a chama do sucesso que a saga havia feito na Nintendo 64 foi simplesmente desastrosa. Porquê?

Para colocar o nome de Turok:Evolution na boca dos gamers, o estúdio decidiu que iria oferecer 10.000 dólares a qualquer pessoa que fosse capaz de chamar Turok ao seu bebé recém-nascido. É difícil imaginar como uma campanha deste género seria capaz de alavancar as as vendas do jogo e, de qualquer das formas, o mesmo acabou por não ser o sucesso que a produtora pretendia.

Portanto, se te chamas Turok (ou conheces alguém que se chame assim) existe a possibilidade dos teus pais terem recebido 10.000 dólares. Os meus pêsames.

SI_GCN_TurokEvloution_image1600w

2. Infectado pelo T-Virus

Os fãs de Resident Evil - e de videojogos, de uma forma geral - sabem perfeitamente que o T-Virus é a causa central da epidemia de zombies presentes nos videojogos. Mas será que as pessoas que não jogaram os jogos estão a par dessa informação?

Pois bem, era 2003-2004 quando a Capcom decidiu dirigir a saga RE por novos caminhos, com o intuito de criar uma experiência online onde amigos teriam que cooperar para vencer o jogo - uma ideia que foi posteriormente executada por Left 4 Dead. Para dar a conhecer esta nova ideia ao público, a Capcom realizou uma campanha de marketing no mínimo... peculiar.

Em parceria com uma agência, a Capcom criou um website onde podias inserir o número de telemóvel de qualquer um dos teus amigos que, posteriormente, iria receber uma mensagem no seu dispositivo que dizia que contraiu e estava infectado com o T-Virus.

Só por estas informações, já deves deduzir o que aconteceu. Quem conhecia o jogo sabia que não havia nada com que se preocupar, mas quem desconhecia dirigiu-se a instituições para se questionar sobre como lidar com a doença.

1SsiT64

Publicidade

Sobre o Autor

Jorge Salgado

Jorge Salgado

Redactor

Fã de cultura pop, séries jogos animes. É o nosso noobie.

Mais artigos pelo Jorge Salgado

Comentários (15)

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários

Conteúdos relacionados

Boavista FC junta-se à liga eSports de PES 2019

Outros clubes como o FC Barcelona já estão presentes.

Thronebreaker: The Witcher Tales fora da Switch

CD Projekt Red sem planos para versão híbrida.

Spider-Man: The Heist já disponível

Celebra a chegada de Black Cat com este vídeo.

Últimas

Boavista FC junta-se à liga eSports de PES 2019

Outros clubes como o FC Barcelona já estão presentes.

Thronebreaker: The Witcher Tales fora da Switch

CD Projekt Red sem planos para versão híbrida.

Spider-Man: The Heist já disponível

Celebra a chegada de Black Cat com este vídeo.

Publicidade