Nós cobrimos alguns exemplos de como a arquitectura Turing visa melhorar a qualidade e o desempenho por meio de recursos novos e aprimorados, mas o facto é que, de muitas maneiras, isto diz respeito ao futuro da tecnologia de jogos. Então e o presente - e o passado? Tem havido muita preocupação com a falta de números de desempenho no período que antecede o lançamento. A Nvidia gastou muito do seu tempo em novos recursos que podem ou não ser utilizados? Para responder a esta pergunta, montamos um conjunto de nove títulos de referência - uma mistura de antigos favoritos e novatos com base nas mais modernas técnicas de renderização.

Devido a pressões de tempo, limitamos os nossos resultados apenas ao desempenho em 4K - realizamos alguns testes em resoluções mais baixas, mas na verdade nenhuma destas placas deve ser considerada para nada além de jogos em 1440p ou em resoluções mais altas. Na verdade, com a RTX 2080 Ti a 1440p, notamos alguns gargalos no CPU - num Core i7 8700K, o CPU de jogos mais veloz do mercado actualmente. Iremos obter mais números sobre isto futuramente mas, por enquanto, está bem claro que a resolução ultra HD é a melhor maneira de separar todas estas placas no que diz respeito às suas capacidades.

Vamos começar com um dos favoritos do Digital Foundry - Assassin's Creed Unity. É um título que aspira computação e VRAM - para não mencionar a largura de banda de memória quando o efeito de profundidade de campo entra em acção durante as cutscenes (daí os números medíocres do Vega 64 - a profundidade de campo influencia muito a performance). Os resultados gerais são claros. A RTX 2080 faz um trabalho notável ao imitar o throughput de saída da GTX 1080 Ti. É um pouco mais lenta em média, mas melhora os seus valores mais baixos.

Enquanto isso, a RTX 2080 Ti apresenta as suas credenciais imediatamente - oferecendo 30 por cento de desempenho extra sobre a GTX 1080 Ti e RTX 2080. Jogar este jogo em hardware RTX de ponta num monitor 4K é uma grande experiência.

AC Unity: Ultra High, FXAA

  • Vega 64
  • GTX 1080
  • GTX 1080 Ti
  • RTX 2080
  • RTX 2080 Ti

Em seguida, está na hora de darmos uma olhada a Battlefield 1 com DX12, correndo uma pequena secção da campanha do jogo nas definições ultra - não existe benchmark enlatado neste título, o que significa que pode haver alguma variação. No entanto, a tendência é clara o suficiente. O Turing parece obter o máximo de desempenho das arquitecturas de renderização mais modernas e isso pode ser visto aqui, já que a RTX 2080 desfruta de um sólido 10 de avanço na taxa de fotogramas sobre a GTX 1080 Ti. Gen-vs-gen (supondo que consideras a RTX 2080 a sucessora da GTX 1080), o Turing oferece uma melhoria de 32%.

Mais uma vez, a RTX 2080 Ti fornece resultados adequadamente monstruosos. Há um claro aumento de 41% no desempenho em comparação com a GTX 1080 Ti, e é pouco mais de 28% mais rápida do que a RTX 2080, solidificando ainda mais as credenciais de 'GPU King' da Ti. Este benchmark também é notável por ser um título onde a tecnologia Vega da AMD traz benefícios, dando à Vega 64 uma vantagem sobre a GTX 1080. No entanto, uma olhada neste gráfico de barras mostra o quão longe a Nvidia se encontra neste momento.

Battlefield 1: Ultra, TAA

  • Vega 64
  • GTX 1080
  • GTX 1080 Ti
  • RTX 2080
  • RTX 2080 Ti

Crysis 3 é o primeiro jogo que eu carrego sempre que uma nova placa gráfica chega. Porquê? Bem, em primeiro lugar, estamos já bem cientes da sua capacidade em puxar ao máximo cada parte de uma nova GPU. Em segundo lugar, apesar do jogo ter mais de cinco anos agora, conforme as resoluções de ecrã foram aumentando com o tempo, o shooter da Crytek continua a oferecer um sério desafio para qualquer tipo de hardware que corra o jogo. O jogo é monstruosamente desafiador para o hardware da GPU em resolução 4K e tem o hábito peculiar de revelar pontos fracos específicos.

No passado, era Crysis 3 que mostrava que Vega da AMD poderia ser significativamente mais lento do que o seu antecessor Fiji (explicando o fraco resultado da Vega 64 aqui) e neste caso, ele mostra que a existente GTX 1080 Ti pode realmente vencer a RTX 2080 por uma margem notável nalgumas tarefas, com o chip Pascal fornecendo uma vantagem de 4,8% no geral. Isto parece ser uma questão de arquitectura, pois o diferencial percentual da RTX 2080 consome o impacto de desempenho fornecido pela RTX 2080 Ti, que aumenta 25% em relação ao antecessor.

No jogo real, porém, a diferença da RTX 2080 Ti é claramente sentida. Conseguir 4K60 bloqueados era já há muito esperado - a 2080 Ti consegue fazê-lo durante a grande maioria do jogo, com apenas algumas quedas ocasionais - colocando as configurações de sombra de muito alto para alto, poderás obter um grande aumento de desempenho que deve mantê-lo acima desse limite.

Crysis 3: Very High, SMAA T2X

  • Vega 64
  • GTX 1080
  • GTX 1080 Ti
  • RTX 2080
  • RTX 2080 Ti

Um novo e significativo jogo na nossa suíte de benchmarks. Primeiro de tudo, enquanto eu não tiver os resultados renderizados aqui, notei que a dependência deste jogo num CPU single-thread significa que podes fazer bottleneck na RTX 2080 Ti para uma resolução de 1440p (!). Em segundo lugar, Far Cry 5 adopta matemática(s) repleta de recursos, dando à Vega 64 uma melhoria considerável de desempenho em seis por cento sobre a GTX 1080. Mas a existência da GTX 1080 Ti e a chegada de Turing elevam o desempenho do jogo a um novo nível.

Mais uma vez, a RTX 2080 revela que o seu nível de desempenho geral é muito semelhante ao da GTX 1080 Ti - e a liderança que ela possui pode desaparecer quando as placas que correm com clocks de referência aparecerem (lembra-te de que as placas Founder's Edition recebem OCs de fábrica desta vez). Por outro lado, vale a pena ressalvar que Turing possui mapeamento de tons HDR ao nível de hardware - algo que o Pascal não possui - o que significa que se estiveres a jogá-lo num display de faixa dinâmica alta, a RTX 2080 será superior.

No que diz respeito à nova RTX 2080 Ti, há um aumento de 29,5% no desempenho em relação à RTX 2080 - o aumento padrão que devemos esperar por passar de TU104 para TU102. Esse diferencial percentual aumenta para 33% contra a GTX 1080 Ti. Em termos de desempenho do jogo real, os números aqui são enganadoramente baixos. Ficar em 4K60 na GTX 1080 Ti exige que baixes algumas configurações de ultra, enquanto a RTX 2080 Ti oferece-te a experiência em ultra total.

Far Cry 5: Ultra, TAA

  • Vega 64
  • GTX 1080
  • GTX 1080 Ti
  • RTX 2080
  • RTX 2080 Ti

Análise GeForce RTX 2080/ RTX 2080 Ti

Publicidade

Sobre o Autor

Richard Leadbetter

Richard Leadbetter

Technology Editor, Digital Foundry

Rich has been a games journalist since the days of 16-bit and specialises in technical analysis. He's commonly known around Eurogamer as the Blacksmith of the Future.