Se antes era em Setembro que se dava o clássico embate entre as duas únicas séries de futebol dos videojogos, este ano a Konami adiantou-se e começa já jogar para vencer a 30 de Agosto, uma data de lançamento inesperada mas que permite a PES 2019 adiantar-se à concorrência e ficar isolado nas lojas durante praticamente um mês. É certamente uma vantagem de peso e que permite uma abertura para que a nova edição de PES possa mostrar o que vale e convencer os fãs de futebol que existe aqui uma fórmula vencedora que tem sido aprimorada de versão para versão e que apresenta-se aqui na sua melhor forma.

Não há como ignorar que a perda da licença da Liga dos Campeões para o jogo adversário é um abalo para a série. Durante anos PES reteve a exclusividade da Liga dos Campeões e, para aqueles que dão valor às licenças, figurava-se como uma mais valia. Mas quando se está a lutar contra uma editora como tão grande como a Electronic Arts, a luta é difícil e há que sabe escolher as batalhas. A Electronic Arts tem o poder financeiro e está disposta a pagar por direitos de licença e exclusividade, conseguindo que o seu jogo vença neste aspecto. No entanto, PES tem outras forças e esta edição de 2019 torna isso bem claro.

Desde início que PES 2019 tem uma vantagem sobre os seus antecessores: finalmente foi desenvolvido exclusivamente para as plataformas actuais, ficando de fora de consolas ultrapassadas como a PlayStation 3 e Xbox 360. As plataformas alvo são o PC, PlayStation 4 e Xbox One, permitindo à equipa tirar um melhor aproveitamento do FOX Engine, que tem providenciado os alicerces para a fórmula que a equipa tem estado a construir ao longo desta geração. Os resultados estão à vista, começando pela qualidade e fidelidade das caras dos jogadores, e culminando no ambiente e iluminação dos estádios.

"Foi desenvolvido exclusivamente para as plataformas actuais"

O realismo das caras dos jogadores sempre foi uma das das forças de PES, mas não conseguimos deixar de ficar impressionados com o progresso apresentado em PES 2019. Numa apresentação do jogo que se realizou esta semana na Cidade do Futebol, a Konami mostrou vários exemplos, entre os quais estava o celebrado Cristiano Ronaldo. A cara do jogador português estava praticamente indistinguível da versão real, uma amostra do tipo de realismo que PES 2019 consegue alcançar e que obviamente ajuda os jogadores mais conhecidos e badalados a distinguirem-se rapidamente dos restantes em campo.

A Konami também destacou o Enlighten Software, uma das tecnologias usadas em PES 2019 que permite recriar de forma mais fiel a iluminação dos estádios. A iluminação nos videojogos é um dos factores mais complexos e um passo para conseguir recriar experiências mais realistas. O que o Enlighten Software faz é simular os efeitos da luz reflectida nos objectos e diferenciar a iluminação artificial dos estádios, vinda das luzes instaladas no topo, e da iluminação natural vinda dos raios solares que atravessam as brechas da arquitectura.

A equipa implementou ainda uma transição da iluminação com o passar do tempo. O que isto quer dizer é que poderás começar a jogar uma partida ao final da tarde e terminar de noite devido ao pôr-do-sol ter acontecido durante o jogo. A percepção inicial que tivemos é que a solução seria em tempo real, ou seja, ao transição ocorreria durante os 90 minutos, no entanto, Kei Masuda, produtor assistente, explicou-nos que tal não acontece. O que a equipa fez foi implementar duas iluminações diferentes, sendo que a troca acontece no intervalo, aos 45 minutos, quando nas definições da partida escolhes a opção dia / noite.

Na jogabilidade a equipa continua apostar na fórmula que em muito distingue PES 2019 da concorrência e que criou uma base de fãs leal. Para aqueles que jogaram os anteriores, é uma experiência familiar e rapidamente acessível, mas com diferenças e melhorias visíveis. Uma das novidades de PES 2019, e que realmente se nota nas partidas, é a fadiga dos jogadores. Esta faceta já existia em títulos anteriores, mas foi melhor explorada nesta edição. Além de terem sido feitas novas animações para este efeito, os jogadores cansados têm uma maior probabilidade de lesão em embates com os adversários, encorajando os jogadores a explorar as substituições depois da primeira parte.

Para atenuar as paragens provocadas pelas substituições, que anteriormente implicava ter que pausar o jogo, visitar o menu de estratégia e seleccionar os jogadores de substituição, a equipa inventou um sistema de substituições rápido que é quase imediato e muito simples de usar. O sistema pode ser usado sempre que a bola sai fora de campo, carregando no touchpad do comando. Este comando invoca uma pequena interface em cima da imagem do jogo que permite rapidamente circular pelo plantel de jogadores em campo, escolher um deles, e depois navegar pelos jogadores de substituição para realizar a troca. É uma melhoria que torna as substituições muito mais acessíveis e menos enfadonhas, não quebrando o ritmo do jogo.

"A equipa inventou um sistema de substituições rápido que é quase imediato e muito simples de usar"

Estas novidades são acompanhadas por melhorias no first-touch, que está mais realista e será altamente influenciado pela habilidade do jogador a receber a bola, e por novas mecânicas de remate com animações mais diversificadas. Uma dessas animações, que não estava presente nos jogos anteriores, é a bola a rodopiar e a escapar das mãos do guarda-redes. Apostando ainda mais na individualidade dos jogadores, foram implementadas 11 novos traços característicos como passes sem olhar, a finta de duplo toque e remates em arco para acompanhar as novas técnicas do futebol e assegurar que o espectáculo do desporto está bem vivo em PES 2019.

Há mudanças também na fluidez e animações dos dribles, que dependem agora da situação do jogador e do seu posicionamento em campo. Por outras palavras, o drible será diferente mediante o espaço disponível do jogador e, deste modo, o jogador não vai controlar a bola da mesma forma no meio campo, onde tem mais espaço disponível e liberdade de movimentos, como nas laterais perto das linhas, onde o risco da bola sair para fora é maior. Isto é complementado por melhorias no Full Body Touch, introduzido no ano passado, que modifica o controlo da bola mediante a situação em redor do jogador.

Efectivamente, as mudanças e novidades de PES 2019 tornam-no num título sólido e altamente promissor, capaz de reproduzir com fidelidade o futebol actual. Não há dúvidas que a grande aposta da Konami está na jogabilidade e é aí mesmo que PES 2019 encanta e apela. A experiência é acessível para quem procura um título de futebol casual, mas existe um poço de profundidade para aqueles que jogam diariamente. Serão esses jogadores que vão extrair todo o potencial do trabalho que a equipa fez para este ano. Daquilo que experimentamos, estamos convencidos e apenas temos a apontar pequenas inconsistências no comportamento da inteligência artificial na hora de receber a bola.

"Não podemos deixar de referir que PES 2019 terá a liga NOS completamente licenciada"

E mesmo para aqueles que dão valor a licenças, não podemos deixar de referir que PES 2019 terá a liga NOS completamente licenciada, juntamente com com a liga Russa, que será exclusiva do jogo da Konami. Para além destas, haverá outras ligas devidamente licenciadas da Bélgica, Escócia, Argentina, Dinamarca, Suiça e Argentina. É certo que não são as ligas mais famosas a nível europeu, mas como dissemos no início, a Konami está a escolher as suas batalhas. Com PES 2019 a editora também continuará a apostar em parcerias com equipas como o Monaco para recriar os equipamentos, jogadores e estádio com a máxima fidelidade.

O que foi anunciado em termos de licenças é apenas uma parte do que a Konami reservou para PES 2018, prometendo na apresentação mais anúncios de novas ligas e parcerias. PES 2019 será lançado a 30 de Agosto para PC, PlayStation 4 e Xbox e cá o esperamos com ansiedade para podermos testar a fundo as novidades deste ano depois deste primeiro encontro satisfatório.

Publicidade

Sobre o Autor

Jorge Loureiro

Jorge Loureiro

Editor

É o editor do Eurogamer Portugal e supervisiona todos os conteúdos publicados diariamente, mas faz um pouco de tudo, desde notícias, análises a vídeos para o nosso canal do Youtube. Gosta de experimentar todo o tipo de jogos, mas prefere acção, mundos abertos e jogos online com longa longevidade.

Mais artigos pelo Jorge Loureiro

Comentários (15)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários

Conteúdos relacionados

Últimas

Demon's Souls Remaster é possível, mas nas condições certas

Mas teria de ser feito por outro estúdio e com luz verde da Sony.

Square Enix regista o termo "HD-2D" usado em Octopath Traveler

Será que teremos mais jogos neste estilo visual?

A Switch foi a consola mais vendida em França em 2018

Mais de 2 milhões de unidades vendidas.

Far Cry: New Dawn aprofundou os elementos RPG

A Ubisoft reforçou a aposta nesta vertente.

Publicidade