Super Smash Bros. é uma das mais aclamadas séries da Nintendo, cujos jogos são desfrutados por jogadores em casa e também em torneios competitivos.

Apesar da sua popularidade, alguns podem acreditar que este fascínio em torno da série surgiu por acaso, mas a Bill Trinen da Nintendo quer acabar com esse mito e explica que isso implica que Masahiro Sakurai não sabia o que fazia, o que não é verdade.

Segundo diz Bill Trinen, Sakurai desenhou o jogo de forma muito específica e com toda a certeza do que estava a fazer.

"A primeira coisa que quero fazer é recuar um ponto até ao 'acidente feliz' pois quero acabar com esse mito. Acabar de vez. Isso quase implica que a Nintendo não sabia o que tinha com Super Smash Bros. Isso até sugere que o senhor Sakurai não sabia o que estava a fazer."

"Na verdade, ele desenhou, muito, muito especificamente o jogo mesmo na altura da Nintendo 64 e especialmente na GameCube, muito especificamente e estamos a falar de um jogo que todos podem pegar e jogar, mas que tem uma incrível camada de profundidade nele. Quero dizer, nós jogávamos Melee todos os dias no almolo e após o trabalho durante 10 anos."

"Tínhamos família e tudo isso. Mesmo nessas alturas, continuámos a melhorar e a crescer enquanto jogadores porque ele desenhou especificamente o jogo com camada sobre camada sobre camada de profundidade. Não foi um acidente," diz Trinene sobre a fórmula da série.

"O jogo não se ficou daquela forma por acidente. Ele foi um game designer meticuloso. Todas as decisões que toma num jogo é uma decisão planeada. O 'acidente feliz' foi o jogo não ter sido desenhado dessa forma. O acidente feliz foi as pessoas começaram-no a descobrir e isso tornou-se algo com o qual as pessoas se podiam relacionar e divertiam-se a jogar umas com as outras."

Foi essa sensação de diversão e comunidade que incentivou os jogadores a desejar torneios competitivos e não foi uma obra do acaso, explica Trinen sobre o sucesso de Super Smash Bros. entre os jogadores profissionais.

Publicidade

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.