Apesar dos jogos da série Super Smash Bros. da Nintendo encantarem os jogadores profissionais que frequentemente constar nos principais torneios dedicados ao género, o director de Super Smash Bros. Ultimate não se quer focar no aspecto competitivo.

Masahiro Sakurai, que está a liderar a equipa responsável pelo exclusivo Nintendo Switch, diz que o mais importante é que as pessoas joguem o jogo e não quer criar um título demasiado técnico, para correr o risco de alienar parte da audiência.

Em conversa com o The Washington Post, Sakurai explicou algumas das suas filosofias para Super Smash Bros. Ultimate e como olha para a actual cena competitiva.

"Quando falas de audiência, não penso muito na audiência, por assim dizer. Sinto que um jogo, no final do dia, se trata de jogar o jogo. Mas se nos focarmos demasiado nos jogadores do topo - ou na audiência - o jogo poderá direccionar-se um pouco mais para o lado técnico," disse Sakurai.

Conhecida como uma série de jogos "fáceis de aprender, difíceis de dominar", bem ao estilo da Nintendo, Super Smash Bros. é alvo de constantes ajustes no equilíbrio, algo que se aplica a Super Smash Bros. Ultimate.

Sakurai e a sua equipa procuram constantemente o melhor entre difícil e fácil, para que nenhum jogo corra o risco de perder qualquer tipo de jogador e sobre os eSports, sente que não se encaixam com a filosofia da Nintendo.

"A sua filosofia não se encaixa com a filosofia da Nintendo pois alguns jogadores apenas jogam pelo dinheiro. Chega a um ponto em que estão a jogar o jogo pelo dinheiro e sinto que esse tipo de direcção não coincide com a visão da Nintendo para o que devem ser os videojogos."

Sakurai sente que o seu trabalho é assegurar que o jogo é acessível o suficiente para que qualquer pessoa sinta que o consegue jogar, envergando na mesma suficiente profundidade para quem procura algo mais.

"Não bate um jogo onde pressionas um botão para criar um movimento especial. Peno que isso é realmente fácil de pegar para muitas pessoas."

Super Smash Bros. Ultimate chegará às lojas a 7 de Dezembro.

Publicidade

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.