Battle Chasers: Nightwar - Análise - Um belo clássico ao estilo dos anos 90

Difícil e divertido, tal como antigamente.

Battle Chasers: Nightwar chegou em Outubro à Xbox One, PlayStation 4 e PC, mas a chegada da versão Nintendo Switch permitiu-nos finalmente entrar neste curioso mundo da Airship Syndicate. É fácil perceber que Battle Chasers: Nightwar é um produto de paixão, desenvolvido com um propósito muito específico. Nightwar é um jogo que tenta demonstrar o fascínio dos seus criadores pelos JRPGs clássicos dos anos 90, os jogos que serviram para deslumbrar o imaginário de legiões de jogadores. No entanto, apenas se tornou numa realidade graças à ajuda do financiamento público, o que revela bem o quão desejado foi e ainda é. Além destes dois factores, Battle Chasers: Nightwar é um jogo especial pois dá uma nova vida a uma aclamada propriedade intelectual que ficou esquecida.

Battle Chasers nasceu como um comic de Joe Madureira e se tiveste a oportunidade de os ler, sabes bem que esta série não foi terminada. Isso é algo que sempre incomodou os fãs e também o próprio criador. Nightwar ressuscita esse universo nascido nos comics e apresenta-o num novo meio, num videojogo que poderá ser encarado como um dos mais interessantes RPGs da actualidade. Algo que é preciso ter em conta é que Battle Chasers: Nightwar foi desenvolvido por um estúdio pequeno e, como já referido, com a ajuda de financiamento público. Isto revela as suas origens humildes, mas também torna o resultado muito mais impressionante do que poderias esperar.

Em Battle Chasers: Nightwar conhecerás Garrison, Callibreto, Red Monika, Knola e Gully, personagens que mantém o excelente estilo apresentado por Madureira nos comics, que vão parar a uma ilha misteriosa quando são atacados por bandidos. Isto leva-os a enfrentar um grupo que não queria a sua presença naquela ilha e acabam por encontrar Alumon, que os ajuda na sua jornada. Neste mundo arcanepunk, a estética cyberpunk é usada num mundo onde existe magia e feitiços, algo que se reflecte nos cenários e no sistema de combate. A trama não é o melhor elemento do jogo, mas cumpre o seu propósito, mas as pequenas cutscenes estilo comic encaixam na perfeição. A Airship tentou criar uma narrativa apelativa e até te dá a oportunidade de encontrar diversos livros ou missões secundárias que exploram o lore desta ilha, mas são os restantes elementos que cativam.

Algo que rapidamente constatarás com satisfação é que Nightwar cumpre o seu propósito de homenagear os clássicos dos anos 90 através do seu design, estrutura e sistema de combates. Aquele conceito de desenvolver nos dias de hoje um jogo desenvolvido de acordo com os padrões de outrora é glorificado pela Airship. Como era norma no género quando Chrono Trigger, Final Fantasy VI e outros apaixonavam os jogadores, tens um mapa mundo, visto de uma perspectiva aérea, no qual avanças por uma linha e visualizas onde estão os inimigos. Quando estás perante uma masmorra, o jogo alterna para uma belíssima perspectiva isométrica que confere ao jogo um estilo visual ao estilo de um Diablo. No entanto, os inimigos que deambulam pelo local não são combatidos directamente. Quando tocas num deles, o jogo passa-te para um cenário de combate.

Aqui, os teus personagens ficam à esquerda e atacam os inimigos ou bosses à direita. Se a narrativa não é o seu melhor, é nos combates que Nightwar deixa o seu gameplay vibrar e serás surpreendido com a profundidade que a Airship conseguiu. Poderás atacar ou recorrer a habilidades específicas de cada personagem, mas também poderás carregar uma barra Overcharge com os ataques, que depois te permite despoletar um golpe altamente poderoso. Apesar de ser simples explicar o sistema de combate de Battle Chasers: Nightwar, existe aqui uma impressionante profundidade e é fulcral usar uma equipa equilibrada, com habilidades que consideras ser mais úteis para o tipo de inimigos e tentar prever os turnos para melhores resultados: saber quando proteger, quando atacar ou como neutralizar mais rapidamente um inimigo.

"Battle Chasers é para os apaixonados pelos clássicos dos anos 90."

Repleto de lore e missões secundárias, Nightwar consegue agarrar-te com este sistema de combate por turnos que presta uma belíssima homenagem aos clássicos onde foi buscar inspiração. Cada personagem tem os seus prós e contras, sendo incrivelmente importante criar uma party de forma inteligente. A dificuldade é uma forma através da qual presta homenagem a alguns clássicos e não pensas que vais andar aqui a passear. Se a todos os instantes relembra os clássicos que quer homenagear, grande parte disso está no sistema de combates. Dependendo das habilidades de cada um, do seu poder de ataque, dos buffs ou debuffs que pode usar nos inimigos, terás de criar uma equipa de 3 personagens muito bem pensada. Este sistema de combate é muito sólido e o tempo de intervalo entre a execução de acções é um dos maiores focos, criando tensão e elevando Battle Chasers: Nightwar para um patamar superior.

A experiência Battle Chasers: Nightwar decorre exactamente como a grande maioria dos JRPGs da década de 90, mas com uma qualidade visual que revela bem ter sido desenvolvido com ferramentas actuais. Tal como o sistema de combate, a arte e visuais das masmorras de Nightwar são dos seus maiores trunfos, mas nesta homenagem aos clássicos poderá estar uma das suas maiores debilidades. Facilmente sentirás que existem picos de dificuldade e a necessidade de passar demasiado tempo a acumular XP para subir de nível e equilibrar o poder dos teus personagens. Gerir o tempo de ataque e ser inteligente no confronto com os diferentes tipos de inimigo é extremamente importante, mas se falhares e não conseguires prever os padrões de ataque, poderás dar por ti a perder facilmente. Isto afecta a progressão e poderá tornar o ritmo muito mais lento do que na verdade é. Dependerá de jogador para jogador, mas é algo ao qual tens de estar atento em Nightwar.

Um dos grandes trunfos de Battle Chasers: Nightwar é a arte de Joe Madureira, como já referido, especialmente no design dos personagens. Nightwar contou com a colaboração do criador original da propriedade e isso é altamente importante para a sua estética. Preserva a sua identidade e relembra os aclamados comics que conquistaram milhões. Combinado com os belos visuais em perspectiva área, Battle Chasers: Nightwar consegue satisfazer com os seus diversos cenários que tentam mostrar uma ilha misteriosa e repleta de diferentes locais. Ao contrário de outros jogos com premissa similar, Nightwar cumpre em pleno o seu maior propósito - mostrar como seria um clássico dos anos 90 se fosse feito hoje. Isso poderá ser do mais satisfatório que poderás sentir.

Battle Chasers: Nightwar é um jogo que facilmente apaixonará os que cresceram com as melhores produções dos anos 90. É um pouco difícil e poderás sentir que se arrasta um pouco, poderás até sentir que tenta prolongar artificialmente a longevidade, mas quando esqueces essa sensação, ficas com um jogo tal e qual os que te apaixonaram há tantos anos atrás. Mesmo para quem ainda é relativamente novo no género, é um jogo que capta a essência das experiências que apaixonaram milhões e um jogo divertido.

Publicidade

Lê o nosso Sistema de Pontuação

Salta para os comentários (16)

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (16)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários