A Way Out podia ter sido um exclusivo Microsoft

Josef Fares diz que Phil Spencer é fantástico.

Josef Fares, director de A Way Out, já se tornou numa figura bem conhecida por falar o que pensa sem grandes rodeios e recentemente confessou que o seu jogo poderia ter sido um exclusivo Microsoft.

Em conversa com o IGN, Fares disse que a Hazelight apresentou o jogo a várias editoras e a Microsoft avançou com a proposta de tornar o seu jogo exclusivo, mas a EA já o tinha feito uma semana antes.

"A diferença entre criar Brothers e A Way Out é que a situação inverteu-se, as pessoas pediam-nos para trabalhar com eles e estivemos perto de assinar com a Microsoft, muito perto, a diferença foi de uma semana."

Fares diz que Phil Spencer é a melhor coisa que aconteceu à Microsoft e que é uma pessoa fantástica e apaixonada, que se preocupa a sério com a esta indústria.

"Sim, estivemos mesmo muito perto. Phil Spencer é a melhor coisa que podia ter acontecido à Microsoft. Aquele tipo é muito fixe, super apaixonado pelos videojogos e preocupa-se a sério com os jogos. Ele não fala por falar, é mesmo apaixonado por isto."

"Mas Patrick Soderlund da Electronic Arts contactou-me uma semana antes e na altura parecia fazer mais sentido para o nosso jogo, eles estão na Suécia e algumas coisas locais também ajudaram."

Fares diz que o mais importante é encontrar uma parceira que acredita na sua proposta e tenha a mesma ambição, que sinta paixão pois isso é algo que não se consegue comprar com dinheiro.

Salta para os comentários (37)

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (37)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários