Ryzen 3 2200G/ Ryzen 5 2400G análise: jogar jogos AAA sem placa gráfica?

O processador de entrada da AMD é um verdadeiro vencedor.

A AMD gosta de providenciar aos usuários de PC um óptimo CPU a rondar os 80 euros e, com o Ryzen 3 2200G, podes contar com um verdadeiro clássico. A sabedoria tradicional sugere que, ao construíres um PC para gaming, precisas de comprar tanto um CPU como GPU, mas a última oferta da Red Team oferece um pacote tudo-em-um - um CPU Ryzen quad-core, emparelhado com gráficos Radeon RX Vega. Terás, todavia, de ser realista com as configurações e resoluções de qualidade - não te esqueças que tens apenas pouco mais que 1,1 teraflops de computação para jogares - algo que será suficiente para executares a maioria dos títulos AAA para PC, testes estes que nos garantiram imensa diversão.

Além do 2200G com um preço bastante interessante, poderás também escolher o Ryzen 5 2400G, mais poderoso mas também um pouco mais caro - e este suporte de APUs é o primeiro que podemos recomendar devido à sua integração na plataforma AM4 mais abrangente da AMD. Por melhores que tenham sido no seu tempo, as APUs da geração anterior exigiram as suas próprias motherboards, limitando o potencial de actualização. No entanto, se precisares de mais poder, não há nada que te impeça de manteres a tua placa e RAM e actualizar para um chip Ryzen de gama mais alta, emparelhado com uma placa gráfica Nvidia ou AMD.

Certamente que, em termos de APUs, há a sensação de que apenas uma das duas ofertas dá um valor verdadeiramente excepcional. O Ryzen 3 2200G oferece uma configuração quad-core com um relógio base de 3.5GHz, aumentando para 3.7GHz, enquanto o companheiro Ryzen 5 2400G possui relógios mais altos e suporte SMT - a versão AMD do hiper-threading, efectivamente. Em termos de gráficos, o 2200G tem oito unidades de computação Vega activas a uns reduzidos 1100MHz, em comparação com o 2400G que possui um total de 11 em 1240MHz. As melhorias no desempenho do jogo parecem variar entre sete por cento e cerca de vinte por cento - talvez não seja o suficiente para justificar o preço maciço de 60 euros da 2400G.

No que diz respeito ao CPU, porém, o suporte SMT da 2400G ajuda definitivamente e a impressão geral que tiramos dos dois lançamentos da Ryzen é que o 2200G é realmente mais amigo do jogador no que diz respeito a orçamento, enquanto o 2400G - por mais parecido que seja - é possivelmente mais orientado para os usuários que fazem muito mais uso com os seus sistemas do que apenas jogar. Por extensão, outro ponto chave que separa os dois novos Ryzens diz respeito à concorrência.

Com o preço a rondar os 80 euros (cerca de 90 libras no Reino Unido), o 2200G é mais barato do que o Core i3 8100 de 3,6 GHz da Intel, e oferece uma solução gráfica integrada que é, no mínimo, duas vezes mais poderosa que a da Intel. Não tivemos problemas para iniciar e executar qualquer jogo no 2200G, algo que não pode ser dito para o pobre núcleo de gráficos UHD 630 da i3. No entanto, o preço de 140 euros para a 2400G (cerca de 150 libras no Reino Unido) deixa-o mais próximo do custo do i3 e de um GPU discreto, especialmente se uma RAM mais cara é trazida para a equação. O i3, felizmente, funciona no pórtico DDR4 - uma APU exige mais de maneira a obter o melhor desempenho.

Os Benchmarks estão muito bons, mas tirar o máximo proveito das APUs Ryzen é uma questão de gestão de configurações. Se o souberes fazer, irás obter bons resultados, algo demonstrado aqui pelo Rich.

Ryzen 3 2200G Ryzen 5 2400G
CPU Núcleos/Threads 4/4 4/8
Base/Boost Clock 3.5GHz/3.7GHz 3.6GHz/3.9GHz
Unidades de Computação GPU 8 11
Peak GPU Clock 1100MHz 1240MHz
Preço £90/$99 £150/$169

Ter orçamento para a criação de um sistema baseado em APU deve - em teoria - poupar-te muito dinheiro já que não precisarás de comprar um GPU. No entanto, para tirares o máximo proveito dos gráficos integrados, RAM rápida é uma necessidade - algo que é um problema cada vez maior devido ao preço da DDR4. A AMD criou a GSkill FlareX, avaliada em 3200MHz com latência CL14 ultra-baixa. É uma RAM excelente, mas uma competição fraca para um processador com um orçamento de 80 euros; todavia, analisando o mercado do Reino Unido neste preciso momento, os preços parecem estar divididos em duas categorias: 2400MHz com a memória mais lenta custa cerca de 20 libras a menos do que qualquer outra alternativa mais rápida. E, debruçando-nos sobre as opções mais rápidas, os módulos de 3000MHz parecem, geralmente, custar o mesmo que as ofertas de 2666MHz. O nosso conselho? Tenta focar-te nos 3000MHz como mínimo e assegura-te de que os módulos que escolhes são totalmente compatíveis com Ryzen (alguns DDR4 não são).

Prosseguindo para o desempenho real, temos alguns benchmarks nesta página com a resolução de 1080p e configurações médias como objectivo principal. No entanto, alguns dos números são claramente bastante baixos. Vale a pena realçar que estes benchmarks - como todos os outros - são uma questão de julgar o desempenho relativo em oposição à quantificação de uma experiência de jogo. Os números que colocamos estabelecem uma linha de base de como os jogos são executados em velocidades padrão, sendo que podes depois averiguar se a taxa de fotogramas sofre alguma quebra usando uma memória mais barata e mais lenta. Depois disto, terás de verificar os ganhos obtidos pelo overclocking. Sim, semelhante a qualquer Ryzen, o 2200G pode ser "pressionado" com mais força. Em teoria, a CPU pode atingir cerca de 3.9GHz (dependendo da qualidade da sua amostra), enquanto a GPU pode atingir 1600MHz - um aumento massivo de 45 por cento.

Para os nossos testes de overclocking, deixamos a CPU sozinha e executámos a GPU em 1500MHz, 100MHz abaixo do seu máximo teórico. Isto permite uma gestão dos níveis térmicos ​​até ao ponto em que nosso sistema baseado em 2200G se conseguiu manter sólido e estável em todos os nossos testes de jogabilidade usando o refrigerador Wraith Stealth. O que é instantaneamente claro é o facto do 2200G ser uma verdadeira jóia de overclocking, embora as taxas de fotogramas de gameplay não se alinhem inteiramente com os aumentos de poder - a quantidade de largura de banda de memória DDR4 disponível desempenha um papel importante no que diz respeito ao desempenho extra que irás obter. Curiosamente, o mesmo perfil de OC no 2400G mais caro exigiu um refrigerador mais ameno - usamos o Wraith Spire da AMD (empacotado com o Ryzen 5 1600), que fez um óptimo trabalho. Não podemos deixar de pensar que, com o preço mais alto do 2400G, talvez a AMD possa ter fornecido o seu melhor refrigerador.

Os números aqui sugerem que o Ryzen 3 2200G é mais adequado para jogos 900p com configurações razoáveis, com apenas Grand Theft Auto 5 entregando resultados médios ​​acima dos 30 fps. Overclocking leva-nos mais próximo do alvo dos 30 fps mas, na verdade, é tudo uma questão de adaptar a experiência ao poder do GPU disponível. Às vezes, isto requer uma queda de resolução (os scalers de resolução no jogo são muito úteis) e um ajuste das configurações para se adequar. O melhor uso para valores é na avaliação do desempenho relativo. Usando o DDR4 2400MHz barato, em vez dos módulos rápidos, o desempenho do jogo cairá de seis por cento para 14 por cento, dependendo do jogo. Overclocking produz resultados excelentes - qualquer coisa entre os 19 e 28 por cento - mas, novamente, a memória rápida realmente faz toda a diferença neste campo. O 2200G fez overclock para além do desempenho padrão do 2400G e conseguiu mesmo "comer" uma boa parte da liderança do 2400G quando foi também executado o seu overclock.

Bench1
Apenas em Far Cry Primal e The Witcher 3 conseguimos ver os gráficos integrados da 2400G competir com a GPU mais discreta Nvidia GT 1030.
Stock vs Nvidia GT 1030 Ryzen 3 2200G Ryzen 5 2200G Ryzen 5 2400G Ryzen 5 2400G/GT 1030
DDR4 Bandwidth 2400MHz 3200MHz 3200MHz 3200MHz
AC Unity/Medium/FXAA 15.7 16.3 19.8 21.6
Crysis 3/Medium/FXAA 28.8 33.7 36.2 47.3
Far Cry Primal/Normal/SMAA 22.9 24.3 29.9 30.1
Grand Theft Auto 5/High/FXAA 35.6 41.1 45.9 60.0
Rise of the Tomb Raider/Medium/SMAA 20.6 23.9 27.3 29.4
The Witcher 3/Medium/Post-AA 18.8 21.1 25.8 25.5

Jogar com o Ryzen 3 2200G é muito divertido caso estejas disposto a ajustar as configurações. Jogar jogos em vez de estar a compará-los revela que o 2200G pode fazer um óptimo trabalho e enfatiza também o quão "escalável" são os jogos mais modernos. O vídeo acima é um lembrete fascinante de como jogar num PC não é apenas sinónimo de configurações altas e ultra - podes obter bons resultados escolhendo as tuas batalhas. Nós corremos o 2200G em modo overclocked, mas reduzimos a largura de banda da memória para 3000MHz na latência do CL16 - especificações que reduzem o custo do kit de memória significativamente quando comparado com a GSkill FlareX AMD mais cara.

Destiny 2 a 1080p corre por volta dos 30 fps com uma mistura de configurações de qualidade baixa, alta e média, e é uma experiência notável para um processador tão modesto. Define a resolução para 50 por cento (coloca a resolução a um quarto, nos 540p) e podes ainda obter um valor decente de taxa de fotogramas, na marca de 60fps. Está um pouco desfocado e, para sermos sinceros, preferimos brincar com o limite de 30 fps do jogo - todavia, aquilo que deves reter é que os 60fps oferecem uma resposta mais precisa que não obtens nas versões consola e é muito bom ver isto ser atingido por um processador tão modesto.

Outra configuração variável com definições baixas, médias e altas, emparelhada com uma escala de resolução de 75 por cento, bloqueia Overwatch nos 60fps - no entanto, a experiência mais gratificante é, sem dúvida, Titanfall 2. Mais uma vez, é necessária uma abordagem à la carte na gestão de configurações, mas emparelhado com o excelente anti-aliasing temporal e escala dinâmica da Respawn, o nível de desempenho bloqueado nos 60fps proporciona uma experiência notavelmente satisfatória. Se todos os jogos pudessem ser feitos dessa maneira...

Rise of the Tomb Raider é um jogo um pouco exigente mas o 2200G executa-o decentemente com configurações médias ajustadas aos 900p. É interessante notar aqui que a utilização da CPU - mesmo em 30 fps - pode ser máxima nas áreas mais elaboradas deste título. Suspeitamos fortemente se prende com o facto da memória da largura de banda ser compartilhada entre CPU e GPU. Conectando um Titan X Pascal e desactivando a GPU interna, terás como resultado a duplicação da taxa de fotogramas nessas mesmas áreas desafiadoras, com configurações de qualidade aumentadas até ao máximo (onde cenas mais complexas podem resultar numa quebra pesada no CPU).

Bench2
Overclocking produz resultados fascinantes: o 2200G a 1500MHz pode ultrapassar os gráficos da Vega 11 na 2400G. Claro está, podes também fazer overclock ao chip mais caro mas não existe muito mais performance em termos de gaming pelo preço premium.
Overclocking Ryzen 3 2200G Ryzen 3 2200G Ryzen 5 2400G Ryzen 5 2400G
GPU Clock 1100MHz 1500MHz 1240MHz 1500MHz
AC Unity/Medium/FXAA 16.3 20.7 19.8 22.9
Crysis 3/Medium/FXAA 33.7 38.4 36.2 39.8
Far Cry Primal/Normal/SMAA 24.3 31.0 29.9 33.9
Grand Theft Auto 5/High/FXAA 41.1 49.1 45.9 52.0
Rise of the Tomb Raider/Medium/SMAA 23.9 28.9 27.3 31.4
The Witcher 3/Medium/Post-AA 21.1 25.6 25.8 27.6

Para além disso, os jogos mais complexos podem ter dificuldades em ser executados, e a própria natureza da configuração da APU pode causar problemas nalguns títulos. Crysis 3 em 900p com configurações médias é um exemplo. Notavelmente, ambientes pesados ​​em detalhes podem fazer com que a taxa de fotogramas desça para baixo dos 10 fps. No entanto, basta girares e olhares para uma área geometricamente menos complexa, e chegarás aos 40fps. São situações como esta que dividem o 2200G de GPUs mais discretas, como a GT 1030 da Nvidia. Em alguns cenários, o 2200G com overclock poderia acompanhar o ritmo de uma GPU de nível de entrada de 65 euros da Nvidia, mas títulos com um gosto particular pela largura da banda da memória , ou onde CPU e GPU competem pela bandwidth limitada, darão um avanço significativo à GPU discreta.

Esta é uma observação que nos leva à nossa fase final de testes: o desempenho da CPU com as APUs combinadas com uma placa gráfica separada. Em termos de preços, o Ryzen 3 2200G substitui efectivamente o não-APU Ryzen 3 1200, enquanto o Ryzen 5 2400G substitui o Ryzen 5 1400X. As pontuações do Cinebench sugerem que o APU mais caro é semelhante ao Core i3 8100 da Intel em tarefas de um único thread, enquanto o 2200G é apenas um pouquinho mais lento (embora o overclocking o traga de volta à disputa). Contudo, e de forma semelhante, o Ryzen demonstrou certas fraquezas em testes prévios de jogabilidade - uma fraqueza que consegue apenas ultrapassar com a ajuda de mais núcleos e threads em relação à competição como pudemos ver quando o excelente Ryzen 5 1600 derrotou o Core i5 7600K.

Para avaliar o desempenho relativo com uma GPU separada, fizemos overclock a uma Titan X Pascal e executamos jogos com resolução de 1080p, de forma a garantir a limitação máxima do CPU nos nossos testes. As configurações foram mantidas o mais perto possível do máximo. Os resultados vão de encontro às nossas expectativas. Jogos como Far Cry Primal, que prosperam no desempenho de um único thread, possuem uma vantagem com a Intel, enquanto o suporte SMT no 2400G oferece à AMD uma grande vantagem sobre a Intel em títulos com motores de múltiplos threads como Crysis 3 e Rise of the Tomb Raider.

SMT é algo extremamente importante para a Ryzen. Sem isso, as taxas de fotogramas sofrem significativamente: há uma perda de 28 por cento no desempenho de Crysis 3 passando da 2400G para a 2200G e que não pode ser explicado pelos relógios ligeiramente mais baixos do chip mais barato. Isto é acompanhado por uma perda directa de 20 por cento em Rise of the Tomb Raider e 24 por cento em The Witcher 3. Por outro lado, o i3 8100 possui uma melhoria significativa com o 2400G mais caro. Far Cry é mais lento de uma forma geral, mas se não precisas de gráficos integrados, estarás a obter um maior desempenho do 2400G a um preço muito mais baixo.

Bench3
Esta imagem do nosso teste ao CPU com Rise of the Tomb Raider resume os nossos pensamentos. O Ryzen 5 2400G é melhor que o i3 8100 da Intel em motores com threads, mas o 2200G fica aquém das expectativas - principalmente devido à falta de suporte SMT.
Performance CPU Ryzen 3 2200G Ryzen 5 2400G Core i3 8100
DDR4 Bandwidth 3200MHz 3200MHz 2400MHz
Cinebench R15 Single-Core 123 157 157
Cinebench R15 Multi-Core 580 837 609
AC Unity/Ultra High 100.3 109.2 107.3
Crysis 3/Very High 71.5 97.5 99.0
Far Cry Primal/Ultra 92.8 91.8 102.8
Rise of the Tomb Raider/Very High 65.6 82.0 77.1
The Witcher 3/Ultra 72.0 94.2 87.4

AMD Ryzen 3 2200G/ Ryzen 5 2400G: o veredicto da Digital Foundry

Embora o Ryzen 3 2200G não tenha a potência do CPU como o Core i3 8100 mais caro da Intel em jogos com uma GPU mais discreta, o mesmo possui uma solução gráfica integrada que pode efectivamente jogar títulos triplo A modernos - e, nesta área, a Intel simplesmente não pode competir. Sim, com jogos baseados em APU, terás de ajustar as configurações de forma significativa e aceitar resoluções abaixo dos 1080p em muitos casos, mas os resultados são satisfatórios e podem, por vezes, impressionar. Como uma solução de jogo para PC de nível básico, não há nada disponível no mercado neste preço que seja capaz de fornecer a qualidade destes resultados. É um pacote encantador, no geral.

Emparelhado com uma placa gráfica separada, o 2200G comporta-se de forma decente mas, na verdade, o Core i3 8100 é apenas um pouco mais caro e pode ser executado com memória muito mais barata, cancelando a vantagem de preços do 2200G. No entanto, o facto da Intel ainda não ter sido capaz de lançar uma board com um preço mais em conta para os seus processadores bloqueados Coffee Lake oferece à AMD uma vantagem inquestionável no momento da escrita, assim como com a sua política de permitir o overclocking - algo que a Intel não permite em partes como o 8100. Descobrimos que o aumento das frequências de GPU no 2200G ajudou a melhorar o desempenho e tornar viáveis ​​os títulos mais desafiadores.

O Ryzen 5 2400G é uma proposta mais complexa e menos atraente. O impacto do seu poder adicional da GPU adicional varia um pouco de título para título, e o componente de CPU mais rápido faz pouco para melhorar a capacidade de jogar quando emparelhado com a sua solução gráfica integrada (é uma história diferente com uma placa dedicada, no entanto). Embora o 2400G ofereça, sem dúvida, um aumento substancial nas tarefas de produtividade neste preciso momento, parece um pouco caro, especialmente se tens o gaming como o foco principal. Num mundo ideal, o preço do Ryzen 5 2400G deveria cair para os 120 euros e veríamos um novo 2300G com gráficos SMT e Vega 8 a 10o euros. O Ryzen 3 2200G pode ficar onde está: o preço é excelente e o produto representa aquilo que a AMD melhor faz - é um verdadeiro vencedor.

Publicidade

Lê o nosso Sistema de Pontuação

Salta para os comentários (5)

Sobre o Autor

Richard Leadbetter

Richard Leadbetter

Technology Editor, Digital Foundry

Rich has been a games journalist since the days of 16-bit and specialises in technical analysis. He's commonly known around Eurogamer as the Blacksmith of the Future.

Conteúdos relacionados

Star Wars Jedi: Fallen Order corre a 1260p na PS4 Pro

Na PS4 corre a 900p com resolução dinâmica.

Call of Duty: Modern Warfare terá battle royale para 200 jogadores

Jogadores encontraram informações nos ficheiros do jogo.

The Mandalorian e Death Stranding combinados em grande estilo

BossLogic apresenta uma homenagem bem especial.

Pokémon Sword & Shield Review - A série precisa de uma mega-evolução

A transição da Gamefreak para a Switch não é suave.

Também no site...

The Mandalorian e Death Stranding combinados em grande estilo

BossLogic apresenta uma homenagem bem especial.

Star Wars Jedi: Fallen Order corre a 1260p na PS4 Pro

Na PS4 corre a 900p com resolução dinâmica.

Call of Duty: Modern Warfare terá battle royale para 200 jogadores

Jogadores encontraram informações nos ficheiros do jogo.

Comentários (5)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários