Depois do lançamento de Pokémon Sun & Moon em Novembro do ano passado, todos esperavam que a GameFreak saltasse directamente para a Nintendo Switch. Apesar do estúdio já ter confirmado que está a trabalhar num jogo de Pokémon para a mais recente consola da Nintendo, surpreendeu ao anunciar duas novas versões de Pokémon para a Nintendo 3DS, uma plataforma que já deu todos os frutos que tinha a dar. Não procuro diminuir a importância da 3DS, mas a realidade é que se trata de uma portátil que caminha para o sétimo ano, tendo sido lançada em Março de 2011. Com a Nintendo Switch já no mercado há vários meses, a atenção está sobretudo virada para o jogo Pokémon confirmado para 2018, que tem o potencial, só pelo nome que carrega, de se tornar num colossal system seller.

Apesar das atenções estarem viradas para outro lado, a Gamefreak decidiu que queria despedir-se da Nintendo 3DS ao lançar mais um jogo para os fãs de Pokémon. Esses são jogos são o Pokémon Ultra Sun & Ultra Moon. A melhor forma de pensar nestas versões é olhar para as primeiras gerações. Na primeira geração, a GameFreak lançou Pokémon Blue & Red em primeiro lugar, lançado posteriormente a versão Yellow, que tinha algumas diferenças face às primeiras versões. Pokémon Ultra Sun & Ultra Moon são uma espécie de Pokémon Yellow. Não é um jogo completamente novo, mas tem novidades face às versões originais. A história foi expandida e poderemos viajar para dentro dos Ultra Worm Holes, os buracos de onde aparecem as misteriosas Ultra Beasts. Para os fãs, as afinações e novidades poderão ser motivo suficiente para voltarem a pegar na 3DS para jogar Pokémon.

A convite da Nintendo, tivemos a oportunidade de viajar até à sede europeia em Frankfurt para entrevistar Shigeru Ohmori, director da Game Freak, e Kazumasa Iwao, director dos jogos Pokémon Ultra Sun & Ultra Moon. Antes da entrevista tivemos a oportunidade de visualizar alguns trailers, mas infelizmente não foi possível experimentar as novas versões. Como um fã de Pokémon de longa data fiquei curioso com as novas versões, mas o que foi mostrado não é suficiente para fundamentar impressões sólidas acerca de Pokémon Ultra Sun & Moon. Aqui fica a entrevista:

Por que razão decidiram fazer estas novas versões? Já anunciaram um novo jogo para a Nintendo Switch, portanto, qual é o motivo para voltar a apostar na 3DS?

Shigeru Ohmori: Estamos a desenvolver jogos Pokémon para a Nintendo 3DS desde que lançamentos as versões X & Y e desde então que juntamos uma grande base de fãs na plataforma. Depois também fizemos Omega Ruby & Alpha Sapphire e sentimos que criamos algo muito bom, que levava a 3DS aos limites naquela altura. A seguir começamos a preparar Pokémon Sun & Moon e decidimos re-trabalhar o sistema e construí-lo do zero. Nesse momento, acreditávamos que era o mais longe que poderíamos chegar. No entanto, temos muitos fãs e considerámos que ainda havia muito para fazer com a região de Aloha e quisemos explorá-la mais. Portanto, decidimos tentar mais uma vez e levar o sistema absolutamente aos limites e oferecer algo novo e entusiasmante para os fãs.

z-moves
A praticar os meus Z-Moves lado-a-lado com Shigeru Ohmori e Kazumasa Iwao.

Em relação à história, é uma sequela ou uma narrativa alternativa?

Shigeru Ohmori: Estas novas versões não são uma sequela como Black 2 & White 2. São o que nos chamamos de "versão melhorada", tal como as versões Emerald e Platinum em gerações anteriores. Mas desta vez não quisemos fazer exactamente o que fizemos antes, de forma a criar uma experiência diferente e mais surpreendente para os fãs. Com isto em mente decidimos criar duas versões melhoradas, assim ainda mantens a experiência de trocas com amigos. Esperamos que os jogadores, quer tenham ou não amigos que jogaram Sun & Moon, tenham essa experiência.

Em X & Y investiram nas Mega Evoluções, mas depois, quando lançaram Sun & Moon, alteraram o foco para os Z-Moves. Qual foi a razão?

Shigeru Ohmori: De facto, em X & Y criamos as Mega Evoluções para vários Pokémon, mas quando estávamos a desenhar Pokémon Sun & Moon, era o 20º aniversário da série e quisemos criar algo novo e surpreendente para os jogadores. Também queríamos que fosse algo que qualquer Pokémon pudesse fazer parte. Como sabes, as Mega-Evoluções estão restritas a alguns Pokémon.

Eventualmente chegamos aos Z-Moves e qualquer Pokémon pode usá-los, o que dá origem a diferentes estratégias que variam de jogador para jogador. No Torneio Mundial de Pokémon tens jogadores que recorrem aos Z-Moves para para complementarem as suas estratégias. Do nosso ponto de vista, no papel de produtores, é precisamente disso que estávamos à procura, de mudar o ambiente das batalhas e de ter pessoas a criar estratégicas novas e únicas.

Kazumasa Iwao: Os Z-Moves vão regressar em Ultra Sun & Ultra Moon, é claro, mas quisemos dar-lhes um aumento. Por isso, as novas formas de Necrozma têm, cada uma, um novo Z-Move. Kommo-o também tem um novo Z-Move, que depois de ser usado aumenta as estatísticas.

A DexNav, uma das novas funcionalidades de Omega Ruby & Alpha Sapphire, foi uma das melhores adições à saga Pokémon. Mas quando Pokémon Sun & Moon foram lançados, reparei que tinha desaparecido. Estão a pensar em implementá-la novamente?

Shigeru Ohmori:Foi uma ideia que teve seguimento depois de Pokémon X & Y. Nestes jogos, sempre que ias para a zona verde da relva, encontravas novos Pokémon que ainda não tinhas visto. Por outro lado, em Omega Ruby & Alpha Sapphire não tinhas tantos, portanto, se os mesmos Pokémon continuassem a aparecer, como o Zigzagoon, os jogadores não teriam tanto interesse em ir para a relva, um dos elementos centrais de Pokémon.

Tendo isso mente, para tornarmos isso mais interessante, criamos a DexNav, que mostrava os Pokémon que podiam aparecer naquela área. Foi uma das razões principais pelas quais implementamos essa funcionalidade. No entanto, não é tão interessante ou útil se tiveres uma grande variedade de Pokémon. Em Ultra Sun & Ultra Moon existem muitos tipos diferentes de Pokémon que podes encontrar, pelo que não implementamos a DexNav.

Na realidade, a DexNav era útil porque há Pokémon com habilidades escondidas e era uma forma mais fácil de obter Pokémon com essas habilidades.

Kazumasa Iwao: Bem, no que toca a encontrar Pokémon, existe o Island Scan, uma funcionalidade que já existia em Sun & Moon e que estará de volta nas novas versões para te ajudar a encontrar Pokémon mais raros. Há ainda outra nova funcionalidade, graças a uma versão mais poderosa da RotomDex e com mais utilidades. Uma dessas utilidades é o RotoLotto, que realça efeitos especiais no jogo como a captura mais fácil de Pokémon ou redução de passos para chocar os ovos

Nas primeiras versões, depois de vencermos a Liga dos Pokémon, podíamos explorar mais a região e capturar as diferentes Ultra Beasts.No que toca ao end-game, o que haverá de diferente nestas novas versões?

Kazumasa Iwao:Nos jogos anteriores tinhas Solgaleo e Lunala, os dois Pokémon Lendários de Sun & Moon. Desta vez poderás cavalgar em cima desses Pokémon e explorar os Ultra Worm Holes. Como deves saber, Solgaleo e Lunala têm a habilidade de abrir estes portais e nas novas versões poderás explorar o que está lá dentro. Do outro lado está o mundo das Ultra Beasts, onde poderás encontrá-las. Para além das Ultra Beasts, existem outros sítios onde poderás encontrar Pokémon fortes. Por exemplo, o MewTwo está no jogo.

Ainda no que toca a conteúdos após o final do jogo, existe muito conteúdo depois da história principal terminar. Por exemplo, Ultra Sun & Ultra Moon têm mais 100 pequenos eventos que podes encontrar ao navegar pelo mapa. Existe mesmo muito conteúdo nestas versões dos quais os jogadores poderão desfrutar.

Será que Necrozma é um Pokémon malvado? Até agora nos jogos de Pokémon tivemos Pokémon poderosos que são usados para fins malvados por pessoas com más intenções, mas o Necrozma parece ser o primeiro Pokémon genuinamente malvado. É todo preto, e ainda por cima sugou toda a luz em Ultra Megapolis

Kazumasa Iwao:É uma excelente pergunta! Até agora na série Pokémon, como tu disseste, nunca retratamos nenhum Pokémon como se fosse necessariamente malvado. No caso de Necrozma, dependendo da tua perspectiva, talvez possas pensar que é malvado, mas com outro ponto de vista poderá não ser. De facto, existem certas coisas que o Necrozma tem que fazer que sobreviver, mas existe um confronto natural com as personagens que aparecem Ultra Sun & Ultra Moon.

Foram feitas alterações ao Festival Plazza? Penso que o espaço é um pouco confuso e não percebi o seu propósito. Sei que era possível treinar Pokémon, mas penso que o Poké Pelago era um sistema mais fácil e eficaz

Shigeru Ohmori:O Festival Plazza é uma parte importante do mundo que criamos, portanto, ainda está lá. Todavia, adicionamos algumas funcionalidades como o Alola Photoclub, no qual podes tirar fotografias e guardá-las e/ou partilhá-las com outros jogadores. A base para isto é o Festival Plazza. Existe outra novidade nesta área, mas não podemos falar dela neste momento. Apenas podemos dizer que está relacionada com o sistema de combate de jogos anteriores.

No que toca ao Poké Pelago, estamos contentes por dizeres que gostaste. Houve algumas alterações desta vez para tornar ainda mais fácil evoluíres lá os teus Pokémon. Esperemos que gostes das mudanças.

Voltando ao Necrozma. De um lado temos os Pokémon e do outro as Ultra Beasts. Será que Necrozma é a ligação perdida entre estes dois tipos diferentes de criaturas?

Kazumasa Iwao:Não demos esse papel particular ao Necrozma, mas no que diz respeito às Ultra Beasts, poderás visitar o mundo delas. Ao fazeres isso poderás aprender mais sobre elas, o lugar onde vivem e por que razão existem. Também poderás descobrir que tipo de relação as Ultra Beasts têm com as pessoas à medida que avançares na história.

Num dos vídeos mais recentes anunciámos a UB Adhesive, que vem acompanhada do Ultra Recon Squad. Esta Ultra Beast tem uma relação diferente com as pessoas e poderás descobrir mais sobre isso na história de Pokémon Ultra Sun & Ultra Moon.

Senti que com Pokémon Sun & Moon se afastaram da fórmula tradicional e arriscaram mais. É este o vosso plano para o jogo Pokémon para a Nintendo Switch e para o futuro da série?

Shigeru Ohmori:Fazemos jogos de Pokémon desde a era do Gameboy e sempre tivemos uma ligação ao hardware para o qual estávamos a desenvolver. O Gameboy era portátil e tinhas que usar os cabos de ligação para jogar e trocar com os teus amigos. Depois, à medida que a tecnologia avançou, tiveste o Gameboy Advance, em que tinhas um adaptador wireless para combater e trocar sem fios. Eventualmente surgiu a 3DS, com funcionalidades como o Streetpass e um ambiente de comunicação sem fios.

Sempre que a tecnologia evoluiu, Pokémon acompanhou essa evolução. Sempre avançamos juntamente com o tempo. É uma das filosofias que temos quando estamos a desenvolver um novo Pokémon. No entanto, apesar do avanço, ainda temos estes elementos centrais que são os Pokémon, a sua captura, as batalhas e o teu crescimento juntamente com eles. Este é o núcleo de Pokémon. Portanto, misturar o avanço dos tempos com o núcleo de Pokémon é o que queremos fazer para o futuro da série.

Reparei que adicionaram um mini-jogo de Surf em que no final, mediante o nosso desempenho, é nos atribuída uma pontuação. Existe alguma recompensa para completar esta actividade?

Kazumasa Iwao:Como viste, no Mantine Surft podes recorrer a várias técnicas para obteres pontuações elevadas. No final recebes pontos e podes usá-los para pagar ao Move Tutor, que pode ensinar aos teus Pokémon diferentes movimentos que não podiam aprender em Pokémon Sun & Moon. Também podes trocar os pontos por itens úteis.

Existem vários sítios em que podes fazer o Mantine Surf, nomeadamente em áreas que ligam as duas ilhas. Queremos que os jogadores usem esta actividade para os ajudar a progredir durante a história.

A viagem para Frankfurt foi custeada pela Nintendo.

Publicidade

Sobre o Autor

Jorge Loureiro

Jorge Loureiro

Editor

É o editor do Eurogamer Portugal e supervisiona todos os conteúdos publicados diariamente, mas faz um pouco de tudo, desde notícias, análises a vídeos para o nosso canal do Youtube. Gosta de experimentar todo o tipo de jogos, mas prefere acção, mundos abertos e jogos online com longa longevidade.

Mais artigos pelo Jorge Loureiro