The Crew 2 quer ser relevante nos jogos de corrida - Antevisão

Ubisoft continua a ser ambiciosa.

O primeiro The Crew foi um dos jogos mais ambiciosos desta geração, mas também um dos lançamentos mais desastrosos. A Ubisoft ainda tentou redimir a sua criação com a actualizações e expansões, mas depois do caldo estar entornado, é difícil recuperar. Para quem nunca jogou, The Crew é um jogo de corridas com a ambição de ter um mapa do tamanho dos Estados Unidos. Embora o mapa não tenha realmente a dimensão do país inteiro, tem as cidades e pontos de interesse mais importantes, e consegue ser surpreendente vasto, sendo preciso muito tempo para a atravessar o mapa de uma ponta à outra. Neste aspecto, The Crew cumpriu, mas falhou em tudo o resto. A condução era fraca, as colisões eram estranhas, e apesar do tamanho do mapa, a qualidade visual era pobre.

Apesar de ter criticado o primeiro, estou contente que a Ubisoft tenha apostado numa sequela. Por vezes, é difícil concretizar um conceito logo à primeira. Com The Crew 2 a Ubisoft espera resolver todos os problemas que afectaram o primeiro, mas também aumentou a sua ambição. O primeiro The Crew era um jogo unicamente sobre carros (com as expansões também foram introduzidos motociclos), mas com a sequela a Ubisoft expandiu-se para barcos e aviões. A ideia é deixar o jogador transitar de veículo a qualquer momento. Basicamente, estamos a conduzir um carro na estrada, carregamos num botão e de repente estamos dentro de um avião a levantar vôo. No caso dos barcos, temos que saltar para a água e trocar de veículo no ar.

Mas vamos começar pelo início. A demonstração começa com um Porsche 911 a acelerar pelas ruas de Nova Iorque. A condução pareceu-me imediatamente melhor. O carro responde melhor e, no geral, mais entusiasmante do que a condução no primeiro jogo. Há que ter em conta que se trata de um jogo de arcade, portanto, não esperem simulação, nem mesmo um pouquinho. Passando para o ar, os aviões parecem uma excelente forma de percorrer o mapa rapidamente e de apreciar à vista. Os controlos e a sensação de controlar um avião parece-me... normal... é tudo o que possa dizer. O produtor a acompanhar a minha sessão não me deu muito tempo e parecia mais entusiasmado em encaminhar-me para os barcos.

Entre os barcos, gostei especialmente dos hovercraft. A Ubisoft está decida em apostar na diversidade e tem um mapa grande o suficiente para isso. Num momento estava entre os canais de Nova Iorque e de repente, recorrendo às viagens rápidas, estava num pântano pronto a iniciar uma corrida com hovercraft. Foi divertido controlar o hovercraft e passar por cima de pequenas ilhas sem ter que me preocupar com colisões. O desafio da Ubisoft será afinar as jogabilidades dos diferentes tipos de veículos. Conduzir um carro é completamente diferente de conduzir um barco, e o mesmo acontece com um avião. Ainda assim, o jogo está num bom caminho e gostei da diversidade que apresenta.

"A Ubisoft está decida em apostar na diversidade e tem um mapa grande o suficiente para isso"

Fiquei com a sensação que a Ubisoft inspirou-se bastante em Forza Horizon, principalmente no que toca ao ambiente de festa e música. O estilo da apresentação também nos recordou do jogo de corridas em mundo aberto da Xbox One. A personalização estará de volta a The Crew 2, se bem que não tive a oportunidade de brincar com as modificações disponíveis. O produtor também me garantiu que a sequela terá uma história mais apelativa do que o primeiro, se bem que contar uma história num jogo de carros não seja propriamente fácil. Curiosamente, esse é um dos objectivos com Need For Speed: Payback. Não tenho nada contra um jogo de corridas com história, mas depois do primeiro The Crew, permaneço céptico quanto a esta parte da sequela.

O que está sem dúvida melhor do que o primeiro é a qualidade visual. O mapa de The Crew era gigantesco, mas os gráficos deixavam muito a desejar. A sequela, para além de ter um mapa com menos "zonas mortas" pelo meio, é visualmente muito mais apelativo. Os cenários estão mais polidos, os modelos dos carros foram aprimorados e há mais efeitos visuais para apimentar. Mais uma vez, teremos várias disciplinas de corridas: Street, Pro, Off-Road e Freestylers. Com esta diversidade, The Crew 2 quer consagrar-se como uma referência nos jogos de corrida. Será que vai conseguir? Ficamos com impressões positivas do que jogámos na E3 2017, mas precisamos de jogar mais antes de tecermos alguma conclusão. Felizmente haverá uma beta.

The Crew 2 estará disponível no início de 2018 para PlayStation 4, Xbox One e PC. O suporte para a Xbox One e PlayStation 4 Pro está confirmado.

Publicidade

Salta para os comentários (16)

Sobre o Autor

Jorge Loureiro

Jorge Loureiro

Editor

É o editor do Eurogamer Portugal e supervisiona todos os conteúdos publicados diariamente, mas faz um pouco de tudo, desde notícias, análises a vídeos para o nosso canal do Youtube. Gosta de experimentar todo o tipo de jogos, mas prefere acção, mundos abertos e jogos online com longa longevidade.

Conteúdos relacionados

Nintendo permite comprar jogo e subscrição online por preço especial

Super Mario Maker 2, Splatoon 2, Super Smash Bros. Ultimate e Mario Kart 8 Deluxe na promoção.

Vendas da PS4 nos EUA acima de 30 milhões de unidades

País representa 30% das consolas vendidas.

Também no site...

Comentários (16)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários