Uncharted: The Lost Legacy é mais do que uma expansão - Antevisão

Naughty Dog mantém os seus elevados padrões de qualidade.

Uncharted 4: O Final de um Ladrão não foi realmente a despedida da Naughty Dog à série. Embora o estúdio tenha anunciado entretanto The Last of Us: Part 2, que se transformou automaticamente num dos jogos mais aguardados para a PlayStation 4, ainda havia trabalho para ser feito na série Uncharted. Como parte do lançamento de Uncharted 4 foi anunciado o Explorer's Pack, que por outras palavras é o equivalente a um Season Pass. Como parte do Explorer's Pack era prometido o acesso a vários conteúdos adicionais para o multijogador e uma expansão. A expansão é Uncharted: The Lost Legacy, que acabou por se tornar numa expansão standalone, ou seja, não precisas de ter comprado Uncharted 4 para ter acesso.

A ideia com que fiquei, depois de assistir a uma apresentação privada na E3 2017 e de conversar com membros da Naughty Dog, é que esta expansão assumiu proporções inesperadas e que se tornou mais do que isso. "É um jogo completo", foram estas as palavras que a Naughty Dog usou para descrever a expansão (e isso acaba por se reflectir no preço, que na Europa será 39.99 euros). Questionei acerca da duração da expansão, e embora não tenha recebido uma resposta específica, foi-me dito que The Lost Legacy não será tão longo como Uncharted 4, que jogado normalmente, dura entre 15 a 16 horas. Apesar disto, é arrojado descrever o que era uma inicialmente expansão como um jogo completo, mas estamos a falar da Naughty Dog, um estúdio que não costuma desiludir.

Visualmente, The Lost Legacy é tão impressionante como Uncharted 4, estando repleto daquelas paisagens tipicamente usadas pelas agências de viagens para promover as férias a destinos exóticos. Nesta aventura, que em vez de ter Nathan Drake como protagonista tem Nadine e Chloe, vamos viajar até há Índia para explorar ruínas e mistérios do século XIII. Se jogaram Uncharted 4 então já conhecem Nadine. É uma mulher extremamente forte e capaz, e que deu simultâneamente uma coça em Nathan Drake e no seu irmão. Chloe é uma personagem que, embora não tenha aparecido em Uncharted 4, teve um papel importante nos jogos anteriores da série, tendo até um caso com Nathan Drake. Embora a expansão seja sobre duas personagens, fiquei desiludido quando me disseram que apenas poderemos jogar com Chloe. A Nadine não passa uma assistente poderosa para nos ajudar a derrubar os maus da fita.

Uncharted: The Lost Legacy pode ser equiparável a um jogo completo, o que é respeitável, mas por outro lado, a fórmula de Uncharted 4 é visível. A expansão não reinventa a roda nem traz novidades para a jogabilidade, pelo menos com base nesta demonstração. A mecânica da corda, que é usada para escalar e para baloiçar de um lado para o outro, está de volta, bem como os níveis que nos permitem escolher vários caminhos. Como já referi, Nadine é a acompanhante de Chloe e serve como sidekick, tal como Sam ajudava e acompanhava Nathan Drake em diversos níveis de Uncharted 4. Estou curioso para ver como é que estas duas personagens se conheceram, o que ainda é um mistério, mas acima de tudo, para jogar Uncharted fora da perspectiva de Nathan Drake.

"Mais uma aventura satisfatória e emocionante para os fãs da série"

Não desgosto do Nathan, mas depois de quatro jogos, é bom ver outras personagens a ganhar destaque. É claro que já vimos Nadine e Chloe noutros jogos, mas nunca foi criado o nível intimidade que temos Nathan. Creio que esta é a parte mais atraente da expansão. No fundo, a fórmula usada é a mesma de Uncharted 4, o que não é propriamente mau, mas a Naughty Dog já provou que sabe contar histórias e com esta expansão vamos ficar a conhecer a história Chloe e Nadine. Não tenho dúvidas que será mais uma grande aventura, e apesar da fórmula não variar, mantém os elevados padrões de qualidade da Naughty Dog, combinando acção, sequências coreografadas e cinematográficas, momentos de humor e, no geral, uma boa forma de passar o tempo.

Uncharted: The Lost Legacy será lançado a 23 de Agosto na Europa. O que vimos na E3 2017 soube a pouco, tal como é habitual neste tipo de eventos, mas com base no que vimos, parece que será mais uma aventura satisfatória e emocionante para os fãs da série. Por outro lado, devido ao facto de ser uma expansão standalone, até poderá ser atraente para aqueles que nunca jogaram Uncharted e não se querem dar a trabalho de jogar os títulos anteriores para conhecer a história na integra.

Publicidade

Salta para os comentários (26)

Sobre o Autor

Jorge Loureiro

Jorge Loureiro

Editor

É o editor do Eurogamer Portugal e supervisiona todos os conteúdos publicados diariamente, mas faz um pouco de tudo, desde notícias, análises a vídeos para o nosso canal do Youtube. Gosta de experimentar todo o tipo de jogos, mas prefere acção, mundos abertos e jogos online com longa longevidade.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (26)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários