Criador de Yakuza fala sobre o futuro da série

E fez uma comparação entre a narrativa dos seus jogos e a de James Bond.

O primeiro jogo de Yakuza chegou ao mercado nipónico em 2005, e desde então a popularidade da série não parou de crescer naquele país. No entanto no Ocidente não teve a mesma sorte, pois nesta região o seu número de vendas é muito inferior às relatadas no Japão. Apesar disto, o jogo já conta com uma base de fãs ocidentais, pela qual a SEGA trabalha para localizar os novos jogos da franquia.

O criador de Yakuza, Toshihiro Nagoshi, falou recentemente com o Gamespot e partilhou algumas informações interessantes sobre as influências do jogo e o futuro da série. Para começar, Nagoshi falou de Yakuza 6: The Song of Life, que supostamente será o final da saga de Kazuma Kiryu.

O produtor revelou que os planos para terminar esta linha narrativa surgiram quando trabalhava em Yakuza 4. "O jogo conta histórias com pessoas reais e dramas reais. Isto foi sempre uma grande característica da série, por isso sempre soube que a história de Kiryu teria que chegar ao fim".

Nagoshi comparou o fim desta história com a série James Bond, que conta com diferentes protagonistas ao longo da sua narrativa. "cada actor coloca o seu próprio estilo ao personagem 007, por isso da mesma forma acreditamos que os diferentes protagonista que usamos serão capazes de passar o testemunho de Kiryu," afirmou ele.

Por fim, ele falou sobre a popularidade dos jogos japoneses no Ocidente. Nagoshi sublinhou o trabalho de jogos como Call of Duty: WW2 e God of War, no entanto esclareceu que nem tudo se trata de vendas, mas sim dos jogadores começarem a consumir produtos que não estão habituados.

"Nem sempre se trata de vendas - claro que a série Yakuza vendeu muito no Japão - mas penso que há pessoas aqui no Ocidente que estão a começar a procurar por jogos que nunca tinham jogado, como Persona 5 e Yakuza 0," finalizou.

Yakuza: Kiwami será lançado no Ocidente no dia 29 de Agosto, enquanto que Yakuza 6: The Song of Life chegará nos primeiros meses de 2018. Ambos são jogos exclusivos da PlayStation 4.

Salta para os comentários (14)

Sobre o Autor

Luís Alves

Luís Alves

Colaborador

É o nosso super-homem. Não existe nada que o Luís não saiba e o seu conhecimento da indústria é longo, permitindo-lhe estar sempre à frente de todos. É o homem que nunca dorme.

Conteúdos relacionados

Cyberpunk 2077 volta à PS Store com preço mais baixo

Sony não recomenda a compra para a PlayStation 4.

Death Stranding: Director's Cut com mecânicas furtivas

Jogo já foi classificado e é exclusivo PlayStation 5.

Jogo Indiana Jones ainda está muito longe

Jogo da Bethesda esteve ausente da E3 2021.

Psychonauts 2 foi desenvolvido sem crunch

No Xbox Game Pass no dia do lançamento.

Também no site...

Digital Foundry | Star Wars Jedi: Fallen Order - Patch aperfeiçoado da PS5/Xbox Series - todas as atualizações testadas

Uma nova versão nativa da aplicação vs. o patch de retrocompatibilidade existente.

Recomendado | Guilty Gear Strive review - Porrada complicada

Arc System Works tenta criar fórmula mágica para casuais e hardcore.

Death Stranding: Director's Cut com mecânicas furtivas

Jogo já foi classificado e é exclusivo PlayStation 5.

Abandoned da Blue Box terá eventualmente versão para PC

Misterioso estúdio confirma no Twitter.

Comentários (14)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários