A Remedy Entertainment não está a trabalhar em Alan Wake 2 e esclareceu que o seu novo projecto, que tem o nome de código P7, não é a sequela que muitos aguardam.

Numa longa conversa com o Eurogamer britânico, Sam Lake, o director criativo da Remedy, disse a alto e bom som que "P7 não é Alan Wake 2, mas isso não significa que a sequela, como uma ideia, está morta".

O estúdio adorava tornar Alan Wake 2 realidade, dizendo que "Alan Waken é nosso e sentimos que há valor na propriedade". Contudo, "estas coisas são mais do que ideias criativas: existe um lado de negócios. Existem muitas coisas que têm que clicar para que seja possível".

Sam Lake confessou que já levou conceitos de Alan Wake 2 às editoras, mas ficou sempre com a sensação de que "não era o momento nem o sítio certo para realizar a visão". "Parecia sempre que haveria um compromisso por múltiplas razões, e assim não íamos fazer a sequela de Alan Wake que realmente queremos".

A Remedy Entertainment está agora a trabalhar em dois projectos. O primeiro é CrossFire, um free-to-play de estratégia (a Remedy está a tratar da campanha), e outro é o projecto P7, que sabemos que será um jogo de acção na terceira pessoa para PC, Xbox One e PS4.

Publicidade

Sobre o Autor

Jorge Loureiro

Jorge Loureiro

Editor

É o editor do Eurogamer Portugal e supervisiona todos os conteúdos publicados diariamente, mas faz um pouco de tudo, desde notícias, análises a vídeos para o nosso canal do Youtube. Gosta de experimentar todo o tipo de jogos, mas prefere acção, mundos abertos e jogos online com longa longevidade.

Mais artigos pelo Jorge Loureiro