Jogos do Ano 2016 da Eurogamer Portugal - As nossas escolhas

Serão assim tão óbvias?

Depois de um ano rico em lançamentos de grande qualidade, estamos aqui para apresentar as nossas principais escolhas. Estes são alguns dos jogos que mais nos entusiasmaram ao longo deste 2016, e que nos deixaram ainda mais apaixonados pela indústria dos videojogos. Títulos que de alguma forma mexeram connosco, que se tornaram parte da nossa vida, do nosso dia-a-dia, e que vão ficar com todo o agrado no currículo de jogador que temos. São aqueles jogos que temos todo o orgulho em ter jogado, ter passado umas boas e belas horas com eles, e queremos partilhar convosco quais são.

Num ano em que novas propriedades intelectuais chegaram ao mercado, que finalmente tivemos nas mãos jogos há muito desejados, e num ano em que tantas séries de renome regressaram, é praticamente impossível sentir um grande entusiasmo pelos videojogos. Por muitas controvérsias e problemáticas que possam ter existido, a sensação de diversão parece ser cada vez maior.

Existem mais listas da Eurogamer Portugal a caminho, por isso está atento se quiseres saber quais as nossas principais escolhas do ano em algumas categorias diferentes.

Overwatch

Sem qualquer pedido para nerfar por Jorge Loureiro

Overwatch tem tudo aquilo que um jogo multijogador online deve ter: é acessível, imediatamente divertido e, se me permitem a expressão, dá um gozo do caraças, principalmente quando temos que dar o nosso melhor para conseguir ganhar uma partida suada! Não era perfeito no lançamento, mas o apoio excelente da Blizzard após o lançamento tornou Overwatch num jogo ainda melhor com maior variedade de modos, mais heróis, mais equilibrado e competitivo.

Overwatch está disponível para PlayStation 4, Xbox One e PC, e podes saber mais aqui.

Rise of the Tomb Raider

Após cuidadosa exploração de Luís Alves

Inicialmente arrefecido por uma recepção um pouco morna da parte dos jogadores, lá embarquei finalmente na mais recente aventura de Lara Croft. Apesar de não revolucionar em nada, este novo Tomb Raider mostra logo no início que estamos perante um jogo com grandes ambições, e no final mostrou ser bastante superior ao reboot de 2013. Sim, Uncharted 4 é um jogo muito impressionante, mas neste tipo jogos de aventura é a bela Lara Croft quem mais me cativa, e me tem cativado, para o melhor e para o pior, durante estes últimos 20 anos

Rise of the Tomb Raider está disponível para PlayStation 4, Xbox One, Xbox 360 e PC, e podes saber mais aqui.

The Last Guardian

Fruto de perfeita simbiose do Trico com o Vítor Alexandre

Não foi uma escolha pacífica, até porque em 2016 muitos jogos ficaram na retina, especialmente certos momentos e contextos. Mas de todos os jogos que tive oportunidade de experimentar nenhum me levou tão longe, me marcou tanto e a adorar este meio como The Last Guardian, mesmo com os seus defeitos. Do primeiro ao último momento é uma experiência incrível, recheada de um sentido de magia e maravilhoso (conjugado com um magnífico trabalho artístico) que pouco se vê nos dias de hoje. No jogo estão presentes ainda assim algumas cicatrizes, fruto de uma produção atribulada, mas no final, e ponderada a mais valia de pela primeira vez se controlar um NPC em moldes épicos, até ao majestoso final, a experiência suplanta o resto.

É um dos poucos jogos de autor a resistir a fórmulas dominantes e esquemas de sucesso testados, ao mesmo tempo que é uma aposta ganha da Sony e de Shuhei Yoshida que nunca desistiram do trabalho marcante de Fumito Ueda e do GenDesign, que contou ainda com a ajuda do Sony Studio.

The Last Guardian está disponível na PlayStation 4, e podes descobrir mais aqui.

Persona 5

Uma emancipação feita em 2014 pelo Bruno Galvão

A febre Persona está decididamente no seu ponto máximo. Quem não entrou nela com Persona 3, provavelmente aderiu com Persona 4, ou talvez mais precisamente com Persona 4 Golden na PS Vita, e não é possível evitar sentir um grande entusiasmo com este Persona 5. A Atlus pegou em tudo o que de bom existia no anterior, optimizou tudo o que havia para optimizar, mesmo pequenos detalhes que nem os fãs se iriam lembrar, e apresenta um jogo com um menus de navegação ainda mais fluída, uma história rica e profunda protagonizada por personagens fantásticos, e um mundo que dá gosto explorar.

O sistema de combate beneficia com atalhos que tornam o ritmo mais dinâmico, e apesar da dificuldade ter sido reduzida, as alterações às masmorras, a banda sonora, os visuais, e acima de tudo o combinar destes factores todos, suportados por uma incrível sensação de estilo, fazem de Persona 5 uma delícia.

Persona 5 será lançado a 4 de Abril para PlayStation 4 e PS3, encontrando-se desde já disponível na Ásia e Japão, e podes saber mais aqui.

Publicidade

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (43)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários