A Deep Silver admitiu que lançou Homefront: The Revolution demasiado cedo.

Homefront: The Revolution foi lançado em Maio deste ano, no entanto, chegou às lojas com vários problemas que geraram em pouco tempo uma reputação negativa. Na nossa análise recebeu o selo "A Evitar", sendo um dos seus problemas a execução do conceito.

Agora, Paul Nicholls, gestor da marca e de marketing na Deep Silver, confidenciou ao MCV que "aprendemos grandes lições com Homefront."

"Podes ver neste momento no mercado que a qualidade é absolutamente rainha e algumas das grandes propriedades estão com dificuldades. Aprendemos muitas lições sobre o que fazer no futuro. Não apenas sobre a qualidade do produto, mas também no período de lançamento."

Apesar da reputação negativa do jogo, Nicholls elogiou a equipa do Dambuster, o estúdio que desenvolver Homefront: The Revolution, pelas actualizações contínuas para resolver os problemas.

"Estamos a receber muito feedback positivo em comparação com o período de lançamento, portanto, a calenderização é provavelmente a maior lição que aprendemos aqui."

Publicidade

Sobre o Autor

Jorge Loureiro

Jorge Loureiro

Editor

É o editor do Eurogamer Portugal e supervisiona todos os conteúdos publicados diariamente, mas faz um pouco de tudo, desde notícias, análises a vídeos para o nosso canal do Youtube. Gosta de experimentar todo o tipo de jogos, mas prefere acção, mundos abertos e jogos online com longa longevidade.