Destiny: Vale a pena voltar depois da actualização de Abril?

A Prison of Elders está de volta.

Após vários meses sem novos conteúdos relevantes, a Bungie finalmente respondeu à sede dos jogadores de Destiny com a actualização de Abril, que ficou disponível na semana passada. Os novos conteúdos também são uma forma indirecta de tentar reconquistar os jogadores que entretanto partiram para The Division, o jogo da Ubisoft do mesmo estilo de Destiny que foi lançado no início de Março. Esta é a maior adição de conteúdos ao jogo desde o lançamento da expansão The Taken King em Setembro do ano passado, mas será que vale mesmo a pena voltar a jogar Destiny? É isso que tentamos descobrir desde a semana passada, experimentando o que a actualização de Abril para oferecer.

Para começar, novos conteúdos não são propriamente as melhores palavras para descrever a actualização de Abril. O que a Bungie fez foi reaproveitar uma grande parte dos conteúdos que ficaram para trás, nomeadamente a Prison of Elders, a grande novidade de expansão House of Wolves mas que perdeu a relevância após a chegada de The Taken King. A actualização de Abril trouxe também uma nova missão e strike, mas novamente, a palavra "nova" tem que ser colocada entre aspas. A nova missão é extremamente curta, não durando mais do que dois minutos. E quanto à "nova" strike, não passa de uma reciclagem da missão Shrine of Oryx, que já existe desde o lançamento do jogo em 2014. O que a Bungie fez foi simples: pegou nesta missão, adicionou inimigos Taken, e colocou um novo boss chamado Malok, que se tornou no líder dos Taken depois da derrota de Oryx.

1
As novas armaduraes têm efeitos luminosos em cada peça.

Fora isto, resta a Prison of Elders, um modo arena que regressou com dois níveis de dificuldade (260 e 320 de Light). Nestas novas dificuldades há a hipótese de encontrarmos inimigos e bosses Taken, que são novidade na Prison of Elders. A renovada Prison of Elders tem apenas três rondas de inimigos, mas esta é uma mudança positiva. As versões antigas têm cinco rondas (ou seis no caso da versão mais difícil), no entanto, o estilo deste modo torna-o rapidamente repetitivo, pelo que menos rondas reduz o cansaço dos jogadores. A redução de rondas também tornam a Prison of Elders mais apropriada para o Elder's Sigil, um bounty semanal deste modo. Este Bounty tem dois objectivos: alcançar 30.000 pontos ao longo de três rondas, e acumular 90.000 pontos ao longo da semana (ou seja podem repetir a actividade quantas vezes quiserem para alcançarem a pontuação). Embora a Bungie tenha descrito o Elder's Sigil como um desafio, até agora tem sido bastante fácil atingi-lo. Portanto, está longe de ter o grau de dificuldade de uma Raid (muito longe mesmo).

Apesar de não ser propriamente novidade, foi divertido regressar à Prison of Elders, mas tal como referi acima, esta actividade torna-se cansativa e não tem o mesmo valor de repetição das Raids. Não obstante, existem recompensas que tornam a visita à Prison of Elders recompensadora. Ao completarem o Elder's Sigil recebem uma arma e uma peça de armadura com Light acima de 320, ajudando-vos a atingir o novo nível máximo de de 335 (antes da actualização era 320). Mas a Prison of Elders não é a única forma de atingirem o nível máximo de Light. A Bungie ouviu as críticas e com esta actualização passou a ser possível receber loot a nível máximo de várias fontes: das Strikes, da Nightfall, no Bounty Semanal do Crucible, e nos pacotes que recebem quando sobem o nível de uma facção. Ainda podem receber loot a mais de 320 de Light do Trials of Osiris e da Raid King's Fall, mas estas já não são as únicas formas de maximizar a vossa personagem.

"Os conteúdos da actualização de Abril servem para entreter durante algumas horas"

Em adição ao que já foi mencionado, as razões para voltar a jogar Destiny são as novas armaduras e armas, que agora podem ser personalizadas com efeitos luminosos. Nada disto afecta a jogabilidade, mas Destiny sempre teve desde o início uma componente estética e há jogadores que se orgulham de ter um Guardião bem vestido, pelo que esta é uma adição engraça. Há ainda novos shaders para ganhar, algumas armas do primeiro ano com o dano actualizado, e uma nova sniper exótica no caso das versões PlayStation. É verdade que esta actualização poucos conteúdos novos traz, mas há que ter em conta que é gratuita e que foi desenvolvida pela Live Team, uma equipa dedicada pela manutenção do jogo. A equipa principal da Bungie está neste momento a trabalhar na grande expansão paga que chegará mais adiante em 2016 e na sequela prevista para 2017.

2
O Archon Priest está de volta numa versão Taken.

Mais uma das novidades da actualização de Abril foi a renovação da Strike Winter's Run, cujo boss é o Archon Priest. Se jogaram Destiny durante o primeiro ano, então certamente estão familiarizados com esta Strike, já que era uma das mais populares. Agora existe uma versão Taken desta Strike, mas o problema é que não a podemos jogar quando queremos. Esta Strike está misturada na playlist das Vanguard Strikes a 260 de Light, e como as Strikes desta playlist aparecem aleatoriamente, jogar a versão renovada desta Strike é uma questão de sorte. É uma pena, até porque existem novas armas Taken que só dropam no boss desta Strike.

A actualização de Abril também serviu para a Bungie refinar alguns dos sistemas do jogo, nomeadamente o sistema de loot e o funcionamento da Infusion. O sistema de loot passou a ser verdadeiramente inteligente. Embora esta fosse uma das promessas para expansão The Taken King, só foi implementado em pleno agora. À medida que forem subindo de Light, vão ganhar equipamentos de nível superior, pelo que atingir o nível máximo de 335 é apenas uma questão de tempo. Adicionalmente, o sistema de Infusion ficou muito melhor. Este sistema permite que peguem num equipamento de Light superior e subam o nível de um equipamento inferior, no entanto, no passado perdia-se sempre alguns níveis de Light. Com o novo sistema de Infusion não há perda de níveis de Light. Por exemplo, se fizerem infusion de um equipamento de 320 de Light num equipamento de 3 de Light, este último ficará imediatamente a 320 de Light.

"A Bungie está a brincar perigosamente com o conceito de pay-to-win"

Como parte da actualização a Bungie adicionou os Sterling Treasures, que são pacotes de loot onde podem ganhar armaduras Taken, novas naves, os efeitos luminosos das armaduras, e itens que aumentam temporariamente a reputação ganha no Vanguard e Crucible (e quando sobem de nível, podem ganhar equipamentos até 335 de Light). Embora todos os jogadores possam ganhar três Sterling Treasures por semana ao completar determinadas actividades, a Bungie está a brincar perigosamente com o conceito de pay-to-win, permitindo que mais Sterling Treasures sejam comprados com dinheiro real (200 de Silver cada um) As armaduras provenientes do Sterling Treasure tem apenas 3 de Defesa, pelo que vão precisar de fazer Infusion se quiserem usá-las, no entanto, o problema está nos itens que aumentam a temporariamente a reputação ganha. Ou seja, comprando mais Sterling Treasures e recorrendo a estes itens, é possível progredir mais rápido.

Uma semana depois da chegada da actualização, já tenho vários amigos na minha lista com personagens a 335 Light, o novo nível máximo, pelo que rapidamente os mais dedicados devoraram todas as novidades da actualização. A actualização não é má de todo, e veio trazer um pouco de ar fresco aos fãs, mas com tantos lançamentos no horizonte, não tem argumentos fortes o suficientes para vos manter agarrados. As novidades servem para gastarem algumas horas por semana a jogar, pelo menos até atingirem o novo nível máximo e ganharem tudo aquilo que desejam, mas nada mais do que isso. Portanto, respondendo à questão colocada no início, será que vale a pena voltar a Destiny? Se estão com saudades, até porque The Division está a passar por um mau bocado neste momento, os conteúdos da actualização de Abril servem para entreter durante algumas horas, mas as grandes novidades, como uma nova Raid e novos locais para explorar, só chegarão com a próxima grande expansão.

Publicidade

Salta para os comentários (34)

Sobre o Autor

Jorge Loureiro

Jorge Loureiro

Editor

É o editor do Eurogamer Portugal e supervisiona todos os conteúdos publicados diariamente, mas faz um pouco de tudo, desde notícias, análises a vídeos para o nosso canal do Youtube. Gosta de experimentar todo o tipo de jogos, mas prefere acção, mundos abertos e jogos online com longa longevidade.

Conteúdos relacionados

The Game Awards - Todas as novidades numa página

A Xbox Series X, os vencedores, jogos PS5 e mais.

Sekiro nomeado o Jogo do Ano nos Game Awards 2019

Disco Elysium foi um dos grandes nomes da noite.

Novo trailer de Cyberpunk 2077 destaca a banda sonora

Conhece os artistas que estão a fazer as músicas.

The Game Awards 2019 - eis os horários

Estás pronto para uma madrugada com videojogos?

Também no site...

Metro Exodus - Quais as melhores armas do jogo?

Explicamos-te ainda como personalizar e limpar as tuas armas.

Metro Exodus - Todas as localizações dos Postais

Descobre a localização dos 21 postais em Metro Exodus.

Metro Exodus - Onde procurar todos os Diários

Onde encontrar as 71 páginas de Diário em Metro Exodus.

Comentários (34)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários