Pokkén Tournament - Análise

Tekkén + Pokémon = Sucesso?

O conceito de Pokkén Tournament convence, mas esta primeira entrega peca por falta de conteúdos. A diversăo dura apenas algumas horas.

Por mais de 20 anos que as batalhas de Pokémon estiveram condicionadas por turnos, num ritmo de agora ataco eu e depois atacas tu. As batalhas por turnos são estratégicas e requerem um uso inteligente de cada Pokémon e dos seus ataques e habilidades, mas falham em capturar o espectáculo retratado na série animada. É aqui que entra Pokkén Tournament, um novo jogo de luta produzido pela Bandai Namco que pede emprestado alguns elementos à série Tekken. Inicialmente, este jogo de luta só estava disponível nas arcadas do Japão, o que serviu para refinar o jogo, mas chegará esta semana à Wii U.

Apesar de algumas semelhanças com Tekken, Pokkén Tournament tem mecânicas que o tornam num jogo diferente. Aliás, depois de várias horas jogadas, diria que a maior semelhança está no estilo de lutas em arenas tridimensionais, o que gera uma dinâmica diferente de jogos como Street Fighter, que preferem que as lutas decorram num plano bidimensional. Pokkén Tournament funciona como os tradicionais jogos da série. Assumimos o papel de um treinador, mas quando chega o momento de combater, controlamos directamente e em tempo real os Pokémon. A vossa missão é simples e directa: chegar ao topo da Ferrum's League.

O passo mais importante de um jogo de luta antes de mergulhar na acção, seja nos modos offline ou no online, é passar pelo modo tutorial para aprender o básico. Embora já me tenham passado pelas mãos jogos do género que negligenciam o tutorial, Pokkén Tournament não é um deles. O tutorial aborda todos os aspectos dos combates, desde os ataques mais simples às técnicas mais avançadas. A parte mais importante a reter é que existem três tipos de ataques e que uns derrotam outros. O esquema é o seguinte: os ataques de amarrar derrotam os ataques charge, que por sua vez derrotam os ataques normais; os ataques de amarrar perdem para os ataques normais. Para vos ajudar, cada um destes ataques tem uma cor diferente, pelo que vão assimilar o esquema num instante.

"Pokkén Tournament tem mecânicas que o tornam num jogo diferente."

No tutorial também encontram vários dos combos possíveis para cada Pokémon, mas Pokkén Tournament não coloca coloca grande enfâse neste aspecto. Quase todos os combos são simples e acessíveis, existindo apenas algumas excepções. Todos os Pokémon partilham um combo de igual execução: basta carregar várias vezes seguidas no X para desencadear este combo. Outro factor a ter em conta é o tipo de Pokémon, que adopta um esquema diferente dos jogos RPG. Os tipo de Pokémon existentes aqui são Standart, Technical, Speed e Power. Cada tipo indica o que esperar de cada Pokémon. Os Pokémon do tipo Standart, como Lucario e Blaziken, são os mais equilibrados, sendo rápidos e fortes, mas isto não quer dizer que são melhores do que os outros. Os Pokémon do tipo Speed, como o Pikachu, são extremamente velozes e normalmente conseguem atacar primeiro, enquanto os do tipo Power, como Charizard, causam grande dano com um só golpe. Os Pokémon Technical, como Gardevoir, são os mais complicados e conseguem ser adversários irritantes.

No total podem jogar com 16 Pokémon, sendo que dois são apenas variações, nomeadamente Pikachu Libre e Shadow Mewtwo. Não é uma lista extensa, tendo em conta a enorme variedade de Pokémon que existe actualmente e também que existem mais Pokémon de suporte em Pokkén Tournament do que aqueles que são jogáveis. Os Pokémon de suporte devem ser escolhidos antes dos combates e quando a barra de suporte fica cheia (a velocidade depende de cada Pokémon), podem chamá-lo para vos ajudar. Existem Pokémon de suporte que limitam-se a atacar, enquanto outros aplicam efeitos como aumento de velocidade, redução de defesa ou aumento de ataque, pelo que existe um elemento estratégico na escolha de suportes.

O número de Pokémon que podem escolher não é elevado, mas pelo menos, jogar com cada um é uma experiência diferente. Em simultâneo, como o jogo é baseado em mecânicas acessíveis, não é complicado aprender a jogar com um novo Pokémon. Os controlos para executar os ataques são simples. Basta carregar num botão e numa direcção para desencadear um ataque visualmente apetitoso. O ponto alto dos combates são quando o Pokémon mega-evoluí (nota: os Pokémon sem mega-evolução não mudam de forma, mas ficam mais poderosos), o que acontece se carregarem no L + R. Carreguem novamente nestes dois botões em simultâneo e vão executar um ataque cinemático que causa muito dano. Pokkén Tournament não é um jogo tão simples quanto Super Smash Bros, mas a ideia é a mesma: um jogo de luta acessível e divertido.

Apesar da acessibilidade, Pokkén Tournament não deixa de ter alguma profundidade, mas a ideia que fica, isto depois de lutarmos de lutarmos contra oponentes humanos no modo online, é que qualquer um pode triunfar neste neste jogo, e para isso não precisam de saber combinações de vários botões difíceis de executar. O modo online também serviu para reparar que existem alguns Pokémon irritantes, nomeadamente aqueles que conseguem disparar ataques a longas distâncias (Suicune parece ser o Pokémon preferido para usar esta técnica). É possível que se defendam destes ataques, mas se levarem com vários ataques seguidos o vosso escudo pode partir-se!

Ainda sobre o sistema de combate, resta dizer que está dividido em duas fases, uma escolha que consideramos questionável. Na primeira fase, os Pokémon podem deslocar-se livremente pela arena, mas os ataques possíveis são limitados. É na segunda fase, quando o jogo troca para uma perspectiva bidimensional, que há mais acção, mais liberdade de ataque e possibilidade de combos. Todavia, depois de causarem algum dano ao adversário, o jogo volta a trocar de perspectiva, o que prejudica o ritmo dos combates. Além disto, quando encostamos o adversário aos limites da arena, o jogo atira-o para o meio, permitindo que se recomponha e ganhe espaço. Percebemos a intenção desta mecânica, mas é injusto retirar vantagem a quem está a dominar o espaço.

O modo online, que se divide entre partidas casuais e ranked, é de longe o modo mais divertido de Pokkén Tournament. Só a lutar contra oponentes de carne e osso é que vemos o sistema de combate a funcionar em pleno. A Ferrum League, que é o principal do modo offline, é na sua maioria bastante aborrecida. Esta liga está divida em quatro categorias, e só quando chegamos à última (o que demora algum tempo) é que os oponentes controlados pela IA se tornam desafiantes. Nas restantes categorias é quase como estar a bater num saco de boxe. Apesar disto, é praticamente obrigatório dedicarem-se a este modo. É aqui que desbloqueiam mais Pokémon de suporte, cenários, e o Mewtwo e a sua versão Shadow. Também há vários desbloqueáveis, sobretudo títulos e opções de personalização para o vosso avatar. Se têm amiibos de Pokémon, podem usá-las uma vez por dia para desbloquear mais bónus.

"Se têm amiibos de Pokémon, podem usá-las uma vez por dia para desbloquear mais bónus."

A história da Ferrum League, que explica a origem do Shadow Mewtwo, é leve. Este Pokémon aparece juntamente com a sua misteriosa treinadora sempre que sobem de categoria e a história avança através de diálogos breves. São poucos os jogos de luta com uma história desenvolvida, mas havia margem para criar algo melhor. Tirando a história, a Ferrum League resume-se a enfrentar grupos de cinco oponentes de cada vez para subir de rank em cada categoria. Quando chegam aos primeiros ranks, há um torneio com os melhores treinadores e o vencedor terá a oportunidade de enfrentar o campeão da categoria. Feito isto, vão subir de categoria. Para terem noção do quão fácil é este modo, antes de chegar à ultima categoria tinha mais de 100 vitórias acumuladas com o meu Charizard e nenhuma derrota.

Em termos visuais, Pokkén Tournament deixa uma boa impressão. Os combates são um festim de efeitos visuais e os Pokémon estão bem animados, o que não deve ser ignorado devido às diferentes formas que estes assumem. Em todos os modos o jogo corre a 60 fotogramas por segundo, com a excepção do modo multijogador local, no qual há uma redução para 30 fotogramas. A troca desta fluidez é a resolução: Pokkén Tournament corre a 720p. O jogo teria um impacto muito maior com um aumento na resolução, mas devido às limitações do hardware da Wii U, não é possível combinar a fluidez desejada para um jogo de luta com uma resolução mais elevada.

O problema de Pokkén Tournament é que tem poucos conteúdos. A Ferrum League dura várias horas, mas devido à extrema facilidade, facilmente ficam aborrecidos. Resta então o modo online, que é o melhor que o jogo tem para oferecer e funciona bem, mesmo contra oponentes que estão do outro lado do mundo (há contudo algumas quebras ocasionais). O sistema de combate está bem elaborado no geral, mas a constante troca de perspectiva nos combates não convence. Sendo assim, Pokkén Tournament prova que o conceito de um jogo de luta da série ao estilo de Tekken resulta, não obstante, esta primeira entrega tem várias limitações. Há alguma diversão para ser extraída de Pokkén Tournament, mas o resultado poderia ser muito melhor.

Lê o nosso Sistema de Pontuação

Salta para os comentários (19)

Sobre o Autor

Jorge Loureiro

Jorge Loureiro

Editor

É o editor do Eurogamer Portugal e supervisiona todos os conteúdos publicados diariamente, mas faz um pouco de tudo, desde notícias, análises a vídeos para o nosso canal do Youtube. Gosta de experimentar todo o tipo de jogos, mas prefere acçăo, mundos abertos e jogos online com longa longevidade.

Conteúdos relacionados

Granblue Fantasy Versus - Review - Grande Fantasia

Modo RPG inesperado e acessibilidade marcam este jogo.

Kill la Kill: IF - Análise - Excęntrico e simples

A Arc System Works aposta na irreveręncia.

Também no site...

Comentários (19)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários