O preço da Realidade Virtual na Sony

Será o PlayStation VR o meio mais acessível?

Quando a Oculus anunciou que o seu Oculus Rift iria custar mais de €600 e quando foi anunciado que seriam precisos quase €1000 para adquirir o HTC VIVE, muitos ficaram a ponderar sobre o preço da Realidade Virtual. É certo e sabido que quando uma tecnologia se estreia, os valores tendem a ser elevados para os primeiros utilizadores, baixando com o tempo, mas ficou desde logo garantido que entrar na realidade virtual seria caro. Especialmente para quem precisa actualizar os seus computadores com componentes e peças capazes de cumprir com os requisitos necessários para uma utilização satisfatória. Para os jogadores PC, este é o panorama mas os jogadores PlayStation 4 ainda tinham uma última possibilidade.

Depois de anos de pesquisa e desenvolvimento, depois de meses de apresentações e especulações, eis que finalmente foi revelado oficialmente que o PlayStation VR chegará em Outubro e será vendido por €399. Praticamente metade dos valores apresentados para os outros capacetes e com uma provável vantagem adicional, podem deslocar-se a uma loja e adquirir o produto ao invés de encomendar pela internet e pagar quase €100 em gastos de envio. Custos associados que são sempre factores que aumentam o valor total. Como referido sistematicamente pela Sony, a companhia estava conscienciosa que o preço era o factor mais sensível para o PlayStation VR e este anúncio revela que não estavam a falar só porque sim.

Há muito que a Sony afirmou que o PS VR não seria para quem vai comprar uma PlayStation 4, que gastaria perto de €1000, antes sim para os cerca de 53 milhões de consumidores que já têm uma consola em casa e não resistem a uma experiência alternativa. Enquanto o Oculus Rift e o HTC Vive vão-se gladiar por uma fatia estimada em 17 milhões de utilizadores, a Sony terá mais de 50 milhões de potenciais compradores que queiram experiências que podem partilhar de forma social com família e amigos. Uma das suas principais vantagens é mesmo a presença da consola em muitas salas.

Outro factor muito importante na hora de olhar para o preço da realidade virtual na Sony, é a sua importância na indústria dos videojogos e como isso já lhe garantiu o apoio de 230 companhias que estão a trabalhar em mais de 180 jogos. Isto significa que além dos exclusivos desenvolvidos por estúdios internos que nos deram Getaway, Killzone ou Until Dawn, os jogadores serão beneficiados com parcerias exclusivas com as principais editoras da indústria. Star Wars Battlefront, Ace Combat, Hatsune Miku, Dynasty Warriors e outros nomes já foram associados ao PlayStation VR.

Piers Harding-Rolls, analista na IHS Technology, falou sobre a vantagem da Sony no preço e no número total de potenciais compradores, que considera ser um factor altamente positivo para a Sony. Mesmo tendo em conta a ausência da Playstation Camera e dos dois comandos PlayStation Move, investimento adicional que rondará os €120, o PlayStation VR será a forma mais barata de entrar na realidade virtual, pelo menos para os que já são donos de uma consola PlayStation 4.

"A abordagem da Sony para o preço da PS4 significa que está bem posicionada para providenciar uma experiência RV melhor controlada e mais consistente aos consumidores. Será importante para incentivar a compra e para gerar o passa a palavra positivo sobre o PlayStation VR," disse Harding-Rolls.

Shuhei Yoshida da Sony, confirmou que existirá um pacote com PS Camera e PS Move incluídos com o PS VR mas cujo preço ficou por revelar, para não criar distracção dos €399 anunciados, o valor sonante que a Sony quer gravar na mente dos consumidores. Ao mesmo tempo, nem todos os jogos vão precisar necessariamente dos dois periféricos e dá alguma margem de manobra à Sony, mesmo com o risco de criar confusão perante os consumidores.

"Existe potencial para confusão mas muitos dos primeiros compradores já têm a PS Camera ou comandos PS Move, isso dá a possibilidade de escolha às pessoas. Não acredito que afecte a adopção," disse o analista da IHS Technology.

Para quem já tem uma PlayStation 4, o público alvo da Sony, o PlayStation VR é decididamente o meio mais barato para entrar na Realidade Virtual, formato que deverá ganhar tracção em 2017, especialmente com exclusivos de peso. A ausência de periféricos permite manter o preço mais baixo e oferece margem de manobra aos potenciais compradores e a Sony tem um número bem apelativo de possíveis interessados. Para muitos será um investimento superior a €500 mas dificilmente será um investimento de €1000.

Futuramente, será talvez um pouco similar ao que já acontece com outras tecnologias, apresentando perguntas similares. Preferes um bom PC mesmo com os custos associados ou preferes utilizar a PlayStation 4 como porta de entrada para a realidade virtual? O preço do PlayStation VR cumpre com o limite psicológico que traçaste enquanto potencial comprador?

Publicidade

Salta para os comentários (17)

Jogos em destaque neste artigo

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Conteúdos relacionados

Star Wars Jedi: Fallen Order corre a 1260p na PS4 Pro

Na PS4 corre a 900p com resolução dinâmica.

The Mandalorian e Death Stranding combinados em grande estilo

BossLogic apresenta uma homenagem bem especial.

Anthem será remodelado e relançado, diz rumor

Bioware prepara ainda novo Mass Effect.

Days Gone distinguido pela sua narrativa nos Golden Joystick Awards

Actualização: Resident Evil 2 eleito Jogo do Ano.

Star Wars Jedi: Fallen Order corre a 1440p na Xbox One X

Podes optar por modo 1080p com rácio de fotogramas variável.

Também no site...

Comentários (17)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários