Unravel é uma das maiores surpresas a surgir no catálogo da Electronic Arts. O jogo foi apresentado entre gigantes na E3 e foi desenvolvido pela Coldwood Interactive, um estúdio de desenvolvimento de jogos relativamente desconhecido. Ainda assim, Unravel conseguiu captar a atenção da audiência com a sua personagem adorável feita de lã. Os jogos de plataformas são um dos géneros mais antigos dos videojogos, pelo que é difícil encontrar algo verdadeiramente novo, no entanto, este é um dos méritos de Unravel.

A inovação de Unravel está na sua mecânica. Yarny, a personagem feita de lã, está constantemente preso por um fio que se desenrola do seu próprio corpo. Este é bonito pormenor, pois vemos a personagem a ficar mais "magra" à medida que a distância percorrida aumenta. Usando o fio de lã que sai de Yarny temos que ultrapassar vários obstáculos. Apesar de inicialmente simples, Unravel surpreende até ao fim com o uso criativo dos fios de lã para resolver puzzles baseados na física, como puxar e partir ramos das árvores, empurrar pedras, e baloiçar de um lado para o outro para saltar para sítios mais altos.

O jogo começa dentro de uma velha casa, e se explorarem um pouco, rapidamente vão descobrir que existem várias molduras com fotografias nas quais podemos entrar. Estas molduras representam os níveis do jogo. No final dos níveis, encontramos pequenos objectos feitos de lã, que depois são colocados num álbum de fotografias em cima de uma mesa na casa. Quantos mais destes objectos encontrarem, mais fotografias vão desbloquear no álbum. É desta forma que a história do jogo é contada.

"Os cenários com visuais realistas foram inspirados em fotografias de zonas naturais"

A história de Unravel não é contada de uma forma tradicional. Alguns até poderão dizer que o jogo não tem história, mas ela existe. Através dos vários níveis estamos a viver as memórias de outra pessoa, nomeadamente a pessoa à qual o álbum pertence. Nem sempre a história é feliz e são os níveis que nos transmitem o tom. Embora existam níveis alegres, há outros níveis com uma atmosfera mais negra em que até Yarny mostra uma expressão assustada. Mas como a história é minimalista, há espaço para várias interpretações.

O que mais impressiona em Unravel, além das formas engraçadas de utilizar fios de lá para resolver puzzles, são as suas paisagens naturais impressionantes. Os cenários com visuais realistas foram inspirados em fotografias de zonas naturais e, devido ao pequeno tamanho de Yarny, mostram-nos como podemos encontrar beleza até nas coisas mais pequenas. Os vários níveis levam-nos a uma praia, à montanha, à floresta, à neve, a uma quinta, e a outros lugares que tornam esta experiência memorável.

Apesar de apresentar algumas situações que nos colocam a coçar a cabeça para pensar, Unravel é simplista. Existe um botão para saltar, um para empurrar / puxar os objectos, e outro para lançar um fio de lã que se agarra a sítios devidamente sinalizados. Apenas com estes instrumentos o jogo propõe desafios que, só depois de várias tentativas, é que percebemos a solução. Por vezes temos que criar pontes com o fio de lã para atravessar com objectos que vão servir para chegar a um sítio alto, outras vezes temos usar o peso de Yarny e criar uma espécie de balança para levantar um obstáculo.

Um dos níveis mais bonitos, e que demonstra bem o quão criativos podem ser os puzzles, é o nível da praia. Aqui teremos que saltar cuidadosamente de plataforma em plataforma por cima de pequenas ondas constantes. Apesar de pequenas, estas ondas são grandes o suficiente para afogar Yarny. Mais adiante, a nossa salvação é uma garrafa, que podemos usar como um barco e ainda para levantar um obstáculo que está no nosso caminho.

Os puzzles não são dificílimos, mas representam um desafio gratificante. Para aqueles que querem subir um pouco a parada, existem vários coleccionáveis opcionais em cada nível. Embora tenha apanhado alguns, houve outros que apesar de os ter visto, não cheguei a perceber o que tinha de fazer para os alcançar (normalmente os coleccionáveis estão em sítios em que parece impossível chegar lá). Não há nenhum motivo para apanhar estes cinco coleccionáveis que existem em cada nível, a não ser claro o desafio extra e o troféu.

a
Uma paisagem verdejante.

"É mais uma prova que jogos oriundos de produções mais pequenas podem causar um grande impacto"

Quando Yarny esgota o fio de lá, ficando assim impossibilitado de avançar, há que encontrar um checkpoint que normalmente se encontra por perto. Nos checkpoints, Yarny volta a enrolar-se em lã e pode assim continuar a progredir no nível. Como o fio de lá é limitado, e Yarny está sempre dependente dele para continuar a andar em frente, por vezes temos que ter alguma regra para que não acabe. Sempre que dão um nó em algum sítio, o fio fica mais pequeno. Dar nós é muitas das vezes um passo essencial para resolver os puzzles, contudo, a maioria dos puzzles estão concebidos de forma a que no fim possamos desatar o nó e ganhar mais margem de deslocação.

Embora nos primeiros níveis tal não aconteça, na recta final Unravel fica mais agressivo e por vezes até nos engana para morrermos. Felizmente, os checkpoints são abundantes e nunca perdemos muito progresso, mas ainda existe alguma frustração nestes momentos porque era impossível prever o que iria acontecer. Por exemplo, há partes em que somos esmagados por objectos que aparecem de repente. Nestas partes não há outra forma de avançar a não ser pelo método de tentativa e erro. Ainda assim, face à experiência maravilhosa que Unravel oferece, estes momentos são toleráveis e não arruínam os outros bons momentos que proporciona.

Unravel é comparável a uma jornada de descoberta e vai agradar principalmente àqueles que gostam de explorar e de estar em contacto com a natureza. Existem muitos jogos de plataformas, mas nenhum é como Unravel. A forma como consegue captar tão bem a natureza no seu estado puro é marcante, e cada nível deixou-nos ansiosos para avançar para o seguinte e descobrir novas paisagens e desafios. É mais uma prova que jogos oriundos de produções mais pequenas podem causar um grande impacto.

Publicidade

Sobre o Autor

Jorge Loureiro

Jorge Loureiro

Editor

É o editor do Eurogamer Portugal e supervisiona todos os conteúdos publicados diariamente, mas faz um pouco de tudo, desde notícias, análises a vídeos para o nosso canal do Youtube. Gosta de experimentar todo o tipo de jogos, mas prefere acção, mundos abertos e jogos online com longa longevidade.

Mais artigos pelo Jorge Loureiro

Comentários (16)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários

Conteúdos relacionados

Unravel 2 aparece classificado pela ESRB

Actualizado: Confirmado! Chama-se Unravel Two e já está disponível!

Coldwood Interactive está a trabalhar em Unravel 2

Electronic Arts confirmou à revista PC Gamer.

EA e estúdio de Unravel com novo jogo

Ambas as partes assinaram novo acordo.

Últimas

Nintendo anuncia nova Indie Highlights

Especial focado nos indies de 2019.

Super Smash Bros. comemora 20 anos

Sakurai agradece aos jogadores.

Reveladas as Funko Pop! de Persona 5

Será que conseguem roubar o teu coração?

Publicidade