Microsoft espera que Scalebound tenha apelo global

Além do público Platinum Games.

Scalebound de Hideki Kamiya em exclusivo para a Xbox One é um jogo muito aguardado e a Microsoft espera que o jogo possa ter um apelo global, que consiga ir além do público adepto do estúdio Japonês.

Aaron Greenberg, gestor do grupo de marketing nos Microsoft Studios, sente que o título tem potencial para agradar também a quem nunca jogou um título do Platinum Games.

"Para nós, é outra prenda. Se pensares no que Kamiya criou, e o seu historial de criação de jogos incrivelmente únicos, de qualidade tão elevada que são adorados pelos jogadores dedicados...Ser capaz de o ter a criar uma nova propriedade intelectual exclusiva para nós e um grande jogo, penso que é algo que nos deixa muito entusiasmados."

Em conversa com o Dualshockers, Greenberg disse que a Microsoft vê Scalebound como um RPG de acção que irá apelas aos fãs do Platinum mas que também terá apelo para novos fãs.

"O que estão a fazer com este jogo...Mostrámos uma demo muito boa na Gamescom no Verão, e como o jogo está a progredir. Continuamos a trabalhar de perto com eles e é mesmo algo que vemos muito perto do topo da lista dos jogos mais aguardados. Continua a progredir bem."

Sobre o potencial apelo no Japão e Ásia, Greenberg espera que tenha um apelo global, como referido, estejas onde estiveres, o que importa é que este jogo possa ser espectacular para te cativar.

Greenberg diz que a reacção dos fãs ao jogo tem sido espectacular. Para muitos está aqui um dos jogos mais aguardados do ano, ou é só para mim?

Salta para os comentários (15)

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (15)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários